terça-feira, 7 de outubro de 2014

Gay Também é Homem. E Não Quer Ser Mulher!





Certa vez me disseram: 
"Eu pensava que você queria ser mulher; que todo gay queria ser mulher."
Ora essa, gente, de onde tiraram que todo gay quer ser mulher? Ou que queria ter nascido mulher? Até porque, se todo gay quisesse ser mulher ou ter nascido uma, não existiriam ativos no mundo! Já pensaram a merda que ia ser? 

Quando se fala em família, o que primeiro vem à mente de muita gente é o famoso sonho americano: homem conhece mulher, namoram, casam, compram uma casa com quintal, adotam um cachorro, depois eles resolvem ter um ou dois filhos e a vida segue. Agora, quando o assunto é um casal gay... Mudam até a genética!

Não existe essa coisa de "homem da relação" e "mulher da relação". Não existe, porque em um relacionamento entre dois homens não existe mulher. Se fosse assim, seria um casal hétero. E isso se deve ao fato de as pessoas associarem gays a mudança de sexo. Claro, se um homem não gosta de mulher, ele é automaticamente mulher e quer, desesperadoramente, ser mulher, certo? Errado!

O homem que não gosta de mulher, não gosta e pronto. Isso não quer dizer que ele queira ser uma mulher, de forma alguma. Homem é homem e mulher é mulher. 
"Ah Glauco, mas e os afeminados?"
O que é que tem os afeminados? Sim, muitos gays usam roupas femininas, penteados femininos, falam "mole", referem-se a si mesmos no feminino. Eu sei bem disso, o que não quer dizer que eles queiram "virar" mulher de fato. Eles são homens que usam roupas femininas, mas preferem ser homens, com os órgãos sexuais masculinos e todo o resto que vem nesse pacote. Ser afeminado não faz do gay menos homem que um não afeminado. Ser passivo não faz do gay menos homem que um ativo. Todos são homens, todos são gays e cada um do seu jeito. Cada um no seu quadrado, mas todos homens. O universo gay é bem mais amplo que o preto no branco e os delírios diversos das pessoas.

Eu não quero abrir mão da praticidade de fazer xixi em pé, meus caros. Muito menos quero virar mulher só pra ficar na dúvida sobre qual sapato eu vou usar com a minha blusa que combina com a saia que vai com o colar que... 

Estão vendo? Eu seria uma péssima mulher. Por isso, me deixem ser do jeito que sou. Porque sou gay, sou homem e pretendo continuar assim, do jeitinho que vim ao mundo!
Leandro Faria  
Glauco Damasceno, do interior do RJ, é o colunista oficial das terças no Barba Feita. Tem aproveitado a fase de solteiro para viver tórridos casos de amor. Com os personagens dos livros que lê e das séries que assiste, porque lidar com o sofrimento do término com personagens é bem mais fácil do que com pessoas reais.
FacebookTwitter


20 comentários:

Bianco Silva disse...

Ahazou na estreia migo!

Glauco Damasceno disse...

Valeeeeu, migo <3

Leandro Faria disse...

Acredito que a sociedade em geral tem uma necessidade enorme de categorizar. E se algo não é entendido por sua percepção, precisa enquadrar em um conceito pré-existente.
Ser homem é bom demais, fato. E acho que a fauna humana é rica e ampla, cabendo aqui todo tipo de expressão da sexualidade.

Sobre ser mulher ou homem, cada sexo tem as suas alegrias e tristezas. E não há demérito em um ou outro. Acho que o que realmente incomoda é o fato de as pessoas não entenderem que cada um é cada um e cada qual é cada qual.

Excelente estreia, Glauco. E pensar que você disse que não estava inspirado, heim?

;-)

Glauco Damasceno disse...

Ótimo complemento, Leco! A inspiração veio com a mudança de tema heheheheh

Serginho Tavares disse...

Perfeito. Glauco sempre pontual no que diz. Este post deveria ser lido e relido por todos aqueles que acham que ser gay e ser mulher é a mesma coisa!

Parabéns Glauco, excelente estreia!

Tiago Guerim disse...

'Tem aproveitado a fase de solteiro para viver tórridos casos de amor' (vou fingir que não li o resto, pq essa bio tá <3)
Parabéns meu amigo, sou seu fã desde sempre.

Glauco Damasceno disse...

Valeu, Serginho! E é mesmo uma pena que ainda existam muitas pessoas que pensem assim, mas isso vai mudar!

Glauco Damasceno disse...

Melhor tipo de relacionamento, Tiago! HAHAHAHAHA brigado <3

Sonia Rodrigues disse...

Gostei muito do seu ponto de vista de gay ser homem e não querer ser mulher, nunca tinha pensado dessa maneira...Adorei seu texto.

Glauco Damasceno disse...

Poxa, que legal, Sonia! Fico feliz, de verdade! Beijos, continua acompanhando o blog, viu?? =D

Lucas disse...

Acredito que hoje as pessoas estão cada vez mais em busca da 'rotulação'. O que você é? O que você gosta? Ter uma resposta ou 'taxar' as coisas é algo que é relevante no ser humano. Não concordo.

Ser quem se é. Ser aquilo que lhe fez feliz de verdade. Existem gays que gostam de se vestir igual a mulher, como você descreveu. Concordo. Aí eu me pergunto: o que tem demais? Ser quem se é! Da mesma forma, os gays mais homens que os rotulados 'machões'. Tem gay que você vê e não imagina de sua condição sexual, enfim.

Ninguém escolhe ser gay, aí vem o termo 'condição sexual'. E você pode optar por ser macho, afeminado, peludo, lisinho, ativo, passivo, enfim. Ser quem se é, gente.

Adorei o texto. Parabéns pela a sua estreia! ;) .

Glauco Damasceno disse...

Falou tudo, Lucas! Excelente complemento (= E valeu, continua acompanhando o blog =D

Anônimo disse...

Oi, meu nome é B.
Então, esse texto é bem intencionado mas muito equivocado sobre as questões de gênero, hein?
Os argumentos ignoram que "homem" e "mulher" da relação também não se dão por conta de ser heterossexual. As definições de papel de gênero no relacionamento se dão por hierarquia machista do que vivemos no ocidente.
Aliás, definir ser homem e ser mulher por conta de órgão sexual ("homem é homem e mulher é mulher e pronto") é de uma afronta aos estudos de gênero e identidade que mostra que o autor carece de leitura. Um absurdo que o site esteja começando, se propondo a algo novo, e faz isso propagando ideias e conceitos arcaicos e sem instrução, reforçando pensamentos pífios de identidade de gênero e não respeitando a diversidade que relações heterossexuais e homossexuais possuem.

Leandro Faria disse...

Oi, B., tudo bem?
Aqui é o Leandro, o colunista de segunda.

Então, o Barba é feito por colunistas, que escrevem as suas visões sobre o mundo, mesmo que elas não agradem a todos (ainda bem, né?).

Fica meu convite para você continuar acompanhando o Barba, porque, veja você, o tema de amanhã, do colunista Esdras, é exatamente um pequeno passeio sobre as diferenças de gênero e identidade.

Um abraço e obrigado pelo comentário!

Anônimo disse...

Saiba que o que me referi não é discordância de opinião. É apenas uma sinalização de que o texto propagou discurso desinformado e, com isso, semeou determinados posicionamentos maléficos para as lutas de liberdade individual e emancipação aos padrões manifestados em discursos como esse

Regina Alonso disse...

Há sete meses meu marido se separou de mim dizendo ser cross dresser. Tenho lido sobre o assunto e, seguido de longe o caminho dele,agora,ela. Assumiu que é mulher. Na minha humilde opinião (tudo é muito novo ainda),a designação que hoje existe é a de transsexual ( independente de,desculpem, comer a bunda, dar a bunda,comer buceta ou fela-la). Acho que com as novas designações homem nasceu com pênis e permanece assim durante todo o jogo da vida; mulher nasce com vagina e permanece assim; homosexual homem/ homo mulher-lésbica, nascem de pênis e vagina, podendo dar ou (desculpem novamente) comer bunda e felar vaginas; transgêneros, nascem com pênis ou vagina e querem mudá-los do meio da partida em diante. Um homem que coloca silicone, plástica para feminilizacao facial e etc, são:TRANGÊNEROS , e não mulher! Independente de gostar de ter relações com vaginas ou pênis. Idem para o inverso,no caso de nascidas mulheres que fazem mastectomias,tomam testosterona e etc. Acho, homem é homem,mulher é mulher, homosexual é homosexual e trangênero é transgênero. E todos devem ser bem aceitos, desde que não sejam seres humanos de mal caráter.

Regina Alonso disse...

Desculpem no início do texto escrevi transsexual. Seria TRANGÊNEROS!!!!!

Regina Alonso disse...

Desculpem no início do texto escrevi transsexual. Seria TRANGÊNEROS!!!!!

Regina Alonso disse...

Há sete meses meu marido se separou de mim dizendo ser cross dresser. Tenho lido sobre o assunto e, seguido de longe o caminho dele,agora,ela. Assumiu que é mulher. Na minha humilde opinião (tudo é muito novo ainda),a designação que hoje existe é a de transsexual ( independente de,desculpem, comer a bunda, dar a bunda,comer buceta ou fela-la). Acho que com as novas designações homem nasceu com pênis e permanece assim durante todo o jogo da vida; mulher nasce com vagina e permanece assim; homosexual homem/ homo mulher-lésbica, nascem de pênis e vagina, podendo dar ou (desculpem novamente) comer bunda e felar vaginas; transgêneros, nascem com pênis ou vagina e querem mudá-los do meio da partida em diante. Um homem que coloca silicone, plástica para feminilizacao facial e etc, são:TRANGÊNEROS , e não mulher! Independente de gostar de ter relações com vaginas ou pênis. Idem para o inverso,no caso de nascidas mulheres que fazem mastectomias,tomam testosterona e etc. Acho, homem é homem,mulher é mulher, homosexual é homosexual e trangênero é transgênero. E todos devem ser bem aceitos, desde que não sejam seres humanos de mal caráter.

Regina Alonso disse...

Corrigindo: mau caráter.