quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Que Tipo de Homem Você Quer Pra Você?





Essa é a pergunta que todo mundo acha que sabe responder, só que não! Quando está saindo com um cara que “só quer curtir”, reclama porque quer se envolver, namorar, casar e adotar algum cachorro ou gato... Ou os dois. Mas, quando está ficando com um cara que quer algo sério, reclama que não é isso que procura no momento. Não quer namorar e muito menos “casar”, não agora – e nem nunca, né, meu amor? A realidade é que não conseguimos ficar satisfeitos. Dizemos que queremos uma coisa, mas quando ela chega, fugimos como loucos em dia de lua cheia.

Sabemos enumerar mil qualidades que esperamos encontrar em nosso “homem ideal”. Mas se um ou dois desses itens da nossa lista imaginária ficam de fora, a avaliação cai praticamente pela metade após os primeiros minutos do primeiro encontro e, muitas vezes, o segundo não chega nem acontecer.

Não adianta. Quem foi criado por desenhos Disney, sempre irá procurar pelo príncipe encantado e seu cavalo branco. Não importa o quão divertido um cara seja ou o charme que ele tenha; isso nunca será o suficiente e você sempre irá pensar que está deixando seu príncipe, sua metade da laranja e alma gêmea escapar quando finalmente decidir aparecer. Mas você já parou para pensar que o problema possa estar em você e não nos outros caras por aí?

Pois é, dói, eu sei, passei por isso recentemente (quando a minha ficha FINALMENTE caiu), mas talvez você seja o problema do seu relacionamento atual – até mesmo a falta dele. Antes de ter alguém para amar, já parou para pensar se você tem alguma afinidade com... você mesmo? Será que na sua lista de exigências não consta mais itens que faltam em você – e que espera encontrar desesperadamente em outra pessoa?

Ninguém é perfeito. Aceitando isso, e que você (no caso eu, mas 'cês estão entendendo aonde quero chegar, né?) tem uma série de defeitos, o mundo pode não ser tão sem esperanças quanto um dia você chegou imaginar. Tá na hora de parar de cobrar mais dos outros aquilo que anda faltando na gente (no caso é em você, mas acho que já deu pra entender a linha de raciocínio, né?).

Todo mundo quer um relacionamento bacana e conhecer um cara legal. Como esse relacionamento vai funcionar, se esse cara é realmente alguém legal e se tudo vai dar certo, só o tempo poderá dizer. Mas para isso acontecer você precisa se permitir viver uma história. Mesmo quando o medo aparecer, deixa ele de lado e se joga! Ter medo é normal, todo mundo tem. O que não pode acontecer é você criar mil ilusões e desculpas para continuar dizendo que não encontrou o cara certo/ideal. Às vezes você não encontra mesmo o cara certo, mas tem que pensar que vai aprender um pouco da vida com os errados. Aí, quem sabe, você vai poder saber responder, sem nenhuma dúvida, qual o tipo de homem você procura.

OBS: E se rolou alguma curiosidade sobre o tipo de homem que eu procuro, vou falar para vocês. Procuro um cara que tenha um bom senso de humor (saber rir e do que rir é fundamental); goste de cinema ou séries de tevê (entendo se não for cinéfilo e se só acompanha séries zapeando de canal – ninguém é perfeito, lembram?); entenda que livros são tão viciantes quanto qualquer jogo de vídeo game que existe por aí (provavelmente ele será tão geek quanto eu e, enquanto ele joga, eu leio, é simples). E que ele entenda que sacar minimamente de cultura pop é muito importante para perceber as referências do que falo com os meus amigos ou qualquer pessoa. No fim, acho que é basicamente isso! Nem é tanta coisa...


3 comentários:

luciana disse...

Hahahahha
um tapa n minha cara esse texto.
E que bom q vc finalmente acordou ne
;*

cintia sibucs disse...

Que ótimo esse texto, adorei!
Realmente muitas pessoas passam por isso hj em dia... Eu mesma estou caquética de tanto relacionamento afundar. Me entendi mais um pouco agora, pq não tenho mais paciência para os mimimis da vida e ano passado mandei meu ex pastar por muito menos.
Obrigada!

Alexandre Melo disse...

Bravo!

Achei excelente. Cansei de ouvir ladainhas de amigos, jovens e mais velhos, de que não conseguem achar o par ideal ao que sempre retruco que irão seguir buscando, mais fácil encontrar o Santo Graal caído na esquina de casa,

Essa idealização é fruto, penso, de uma série de padrões com os quais somos bombardeados desde que nascemos e aí, como fechar a conta entre o que nos venderam e as pessoas na vida real?

Pode soar clichê mas o meio termo é o ideal, se você tem uma lista extensa de qualidade das quais não abre mão, melhor ir se conformando que vai ficar para titia se não estiver disposto a riscar algumas delas.

Da mesma forma, abolir todos os itens e fazer vista grossa simplesmente para não ficar sozinho é receita do desastre. Também não creio nessas fórmulas tipo 'os opostos de atraem' que só funciona na física ou que é melhor achar alguém tudo a ver com você, se não há espaço para diferenças e arestas, então não é relacionamento é conveniência.

Entendo que um relacionamento deva fazer você completo mas não inteiro, isso apenas você pode fazer por si. Também não resolve maximizar as diferenças apenas para sabotar a si, cansei de ouvir amigos dizer que não aceitam um relacionamento se não for nos termos dele, que tipo de relacionamento então é esse que se deseja? Sem abertura mas sim ditadura?

Acho que as pessoas andam muito 'eu' e pouco propensas a aceitar sua dose de 'sacrifício' para que um relacionamento funcione e daí põe a culpa nos outros.

Príncipe mesmo não existe e nunca vai existir. O que há mesmo são sapos a dar com pau e se você vai beijar um a um esperando a metamorfose em belo gajo, então melhor preparar os lábios porque vai demorar e não é pouco.

Melhor mesmo aceitar que você também é um sapo, afinar o coaxar com o outro e achar uma lagoa tranquila para viver...