sábado, 8 de novembro de 2014

Aos Nordestinos, Todo o Meu Amor!

Aconteceu de novo!

Depois de todo o discurso homofóbico e desprezível no ano passado, provocado e reiterado com veemência  por um tal de deputado Marco Feliciano, em meio as acaloradas manifestações contra o aumento da passagem dos coletivos em 2013, onde diversas personalidades da mídia demonstraram seu apoio à minoria que estava sendo atacada de forma injusta e nojenta, algumas até saindo do armário, como a cantora Daniela Mercury; o Brasil vive novamente, embalado por uma eleição, que pra mim pareceu bastante suja, uma onda repulsiva de demonstrações de ódio e xenofobia explícita e vergonhosa.

E quando eu falo de eleição suja, nem estou me referindo aos partidos, candidatos e ao resultado nas urnas, porque pra mim, política é uma sujeira sem fim, sempre, em qualquer eleição e governo, uma sujeira que jamais será alvejada de fato, quando muito, apenas disfarçada. E já que é assim, que venha dos males o menor. E em minha opinião, nesse caso, o mal menor é mesmo a candidata eleita.

Mas falo da sujeira da alma, de corações podres e mentes execráveis, que justamente por causa da vitória da senhora presidenta Dilma Roussef vieram à tona, com suas línguas peçonhentas e merecedoras de serem devoradas por corvos e urubus, tornar público todo o seu desprezo, racismo e preconceito contra os nordestinos.

São ideias e pensamentos tão abomináveis, que eu simplesmente não concebo, e por este motivo nem queria falar sobre o assunto. Falar o que? Qualquer coisa que eu pudesse dizer pra defendê-los dos ataques infundados que andam recebendo publicamente no momento, me soaria tão clichê e desnecessário, e uma maneira de tachá-los de coitadinhos, que precisam da defesa de seus não-conterrâneos. E nisso eu não acredito.

Andei lendo algumas declarações cheias de boas intenções, pelas redes sociais, enaltecendo o talento do povo nordestino. De como nosso cenário artístico e cultural está repleto de gente talentosa saída da região nordeste do país. São cantores, escritores, humoristas, atores e uma infinidade de outros profissionais de sotaque arrastado. E confesso que tais textos, enumerando as maravilhosas qualidades e talentos dos conterrâneos de Lampião e Maria Bonita, me incomodou. Me incomodou pela sensação de justificativa, como por exemplo: ele é negro, mas é super inteligente; ele é gay, mas é totalmente discreto; ela é gorda, mas é problema de tireoide. Como se Caetano, Alceu Valença e Lenine compensassem o fato de serem nordestinos sendo ótimos cantores ou Jorge Amado e Ariano Suassuna por serem escritores excepcionais aliviassem o peso de terem nascido no Nordeste.

Então fiquei pensando nisso e tentei abstrair. Quando já estava quase esquecendo de toda essa sordidez, assisto rapidamente um trecho do Encontro da Fátima Bernardes essa semana, que tinha como tema justamente o que, meus amigos? Exatamente o assunto que me levou a definir esta coluna de hoje. E lá estava Fátima, lépida e fagueira, juntamente com seus convidados, enumerando as qualidades dos nordestinos e sua belíssima região, citando os artistas que tanto bem faz aos nossos ouvidos, olhos, fígado e coração, e sinceramente, achei ridículo. Será que ninguém percebe que está-se fazendo isso errado.

Durante o programa, Marcos Veras, no intuito de afirmar o quanto gosta do nordeste, soltou uma pérola, que alguém com um mínimo de inteligência nunca deveria falar. Enquanto contava suas histórias soltou: sou descendente de nordestinos, toda a minha família é nordestina e eu tenho muito orgulho disso. Orgulho de que cara-pálida? É o mesmo que dizer: tenho orgulho de ser gay! Eu não tenho orgulho de ser gay, sou feliz como gay, mas tenho orgulho de ser gente, gente de caráter. Tenho orgulho de ser inteligente, batalhador, sensível. E ter bom caráter, ser inteligente, guerreiro e com sensibilidade aguçada o nordestino é pra caramba, mas são qualidades que independem do lugar onde se nasce. Eu tenho orgulho da minha mãe não por ela ser nordestina, mas porque ela me educou de forma que eu me orgulhe de ser quem sou, e isso não tem haver com orientação sexual, mas com personalidade e novamente, CARÁTER.

E pra não dizer que não falei das flores, aí vai minha listinha de porque é tão espúrio toda essa manifestação contra o Nordeste e os nordestinos:

Suas praias são as mais lindas do país. Eles são calorosos, hospitaleiros, amorosos, engraçados, gostosos e sensuais. Apesar de machistas, são pouco preconceituosos. Nordestinos tem uma pegada que não é de Deus. São animadíssimos. A comida tem sustança, é forte e saborosíssima. Ninguém faz carão. Vivi no Nordeste dois dos melhores anos da minha vida. E meu primeiro beijo, foi dado em um nordestino lindo.

Diante disso, como não amar? Mas mais do que amar, como não admirar e respeitar? Mas, se você não consegue respeitar, então me faça um favor, não se pronuncie, MORRA! Ou então faça simplesmente como diria minha velha, boa e sergipana mãe em um de seus tantos ditos nordestinos:

Enfie sua língua onde o macaco socou o caju!
Leandro Faria  
Esdras Bailone, nosso colunista oficial do Barba Feita aos sábados, é leonino, romântico, sonhador, estudante de letras, gaúcho de São Paulo, apaixonado-louco pelas artes e pelas gentes.
FacebookTwitter

3 comentários:

Alexandre Melo disse...

Achei essa 'politização' do assunto enfadonha e oportunista também e concordo com você que, ao invés de servir para amenizar (não digo banir porque acho que jamais ocorrerá) os esterótipos e preconceitos fez justamento o oposto bem na linha mesmo de 'ele é viado mas é tão gente boa' ou afins.

Triste mesmo ver que ainda existem pessoas com essa visão regionalista e bairrista elitizada e limitada, como se apenas parte do país fosse e valesse a pena e pior, quando você lê coisas como 'não estou falando dos nordestinos mas do nordeste' e pode me explicar como faz isso já que um e outro estão intrinsecamente ligados???

Silvio Santos disse...

As pessoas que criticaram os nordestinos são tão "politizados e cultos" que não souberam fazer uma continha soma básica, quem deu a vitória a presidente Dilma foi o SUL e o SUDESTE, ou seja, vão fazer a lição antes de sair por ai falando um monte de merda sobre o nordeste.
Sim o bolsa família é maior no nordeste, mas alguém já leu quem tem direito ao bolsa família? Pessoas de baixa renda e se hoje o nordeste tem uma quantidade maior de pessoas com o bolsa família é graças ao descaso de governos que passavam lá apenas para pedir votos. Hoje podemos ver o desenvolvimento do nordeste e em alguns anos espero ver o nordeste mostrando como se constrói um país.

Serginho Tavares disse...

este tipo de assunto me aborrece, nem pelo fato de ser nordestino porque na verdade preconceito contra os nordestinos sempre existiram a diferença é que agora o pessoal fala na cara.
não sei se ele vai deixar de existir, como também não sei se preconceito contra o negro ou pobre vai deixar de existir. isto é que me aborrece. o preconceito contra o nordestino está aí. no fato dos nordestinos serem em sua maioria negros e pobres.

lamentável.

e parabéns pelo texto, meu querido!