segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Das Coisas Que Eu Não Consigo Entender





Por que o fogo queima? Por que a lua é branca? 
Por que a terra roda? Por que deitar agora? 
Por que as cobras matam? Por que o vidro embaça? 
Por que você se pinta? Por que o tempo passa? 

Porque apesar de eu tentar, tem certas coisas que eu simplesmente não entendo. A gente cresce, estuda, se forma, fica maduro (ou não) e algumas coisas ainda soam inexplicáveis para nós. Por isso, hoje eu estou aqui apenas para enumerar algumas coisas que eu não entendo, sem nenhum objetivo de ser coerente ou não ou de ser entendido.

Afinal, se eu não entendo tanta coisa, por que deveria me fazer entender?
  • Eu odeio cebola. Na verdade, eu odeio o CRACK que a cebola faz quando eu estou comendo algo e tem um pedaço dela no meio da comida. Porque o sabor do tempero nem é ruim. Então, não seria mais fácil triturar a cebola antes de colocar nos alimentos? Assim, quem não suporta (e tem ânsia de vômito porque é fresco) morder um pedaço de cebola ficaria feliz e quem gosta da dita cuja não veria problema, afinal, é importante comer um pedaço de cebola ou ter a comida bem temperada por ela? 
  • Fila deveria ser uma coisa simples, né? Uma pessoa atrás da outra, esperando sua vez para ser atendido ou entrar em algum lugar, correto? Então, por que cargas d’água algumas pessoas parecem desconhecer TOTALMENTE um conceito tão simples como o de FILA?
  • Se eu digo NÃO, eu quero dizer exatamente NÃO. Se eu digo SIM, eu quero dizer exatamente SIM. Por que algumas pessoas vivem numa realidade paralela em que dizer NÃO na verdade quer dizer SIM ou TALVEZ e onde o SIM não significa que algo será realmente cumprido como acordado? 
  • As pessoas namoram, noivam, casam, whatever, porque querem, correto? E fazem isso para ser felizes, correto? Se ser solteiro as fizessem bem, elas escolheriam essa opção e ficariam assim, certo? Por que algumas pessoas então se prendem a relacionamentos falidos apenas pelo medo de ficarem sozinhas? Ser feliz (sozinho ou acompanhado) não deveria ser o objetivo? 
  • Quem eu beijo, transo e durmo interessa a mais alguém? 
  • Coisinha idiota essa onda politicamente correta, viu! Ser desrespeitoso é uma coisa, mas a patrulha que popularizou o tal do bullying é de uma hipocrisia sem fim. Quando foi que o mundo ficou tão chato? 
  • Alguém realmente acha aquelas sandálias crocs bonitas? Convenhamos, além de dar chulé, acho que as ditas cujas se enquadram no mesmo grupo das calças saruel no quesito unanimidade: não fica bem pra ninguém!
  • Conversão religiosa. Ou melhor, tentarem me converter a qualquer religião, usando de argumentos que eu não estou interessado em ouvir. Cacete, é difícil respeitar o meu direito de não crer?
  • Eu viajei. Eu paguei a porra da minha passagem. Eu quero aproveitar os bons preços de outro país, a cultura, a novidade. Eu quero comprar coisas PARA MIM. O que te leva a achar que vou cogitar atender a suas encomendas, perdendo meu precioso tempo procurando por elas, tentando guardá-las na minha mala e diminuindo minha cota do que eu poderia trazer para mim?
Conseguiram entender como tem tanta coisa que simplesmente não dá pra entender?
Leandro Faria  
Leandro Faria, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


Um comentário:

Alexandre Melo disse...

Quando e se você encontrar repostas cabíveis e plausíveis a todas estas questões, me avie pois achaste a chave do universo e o segredo da vida...