sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Sobre Amigos (os Meus, os Seus, os Nossos)








Para alegria de alguns e tristeza de outros, meu texto será curto novamente. Não que eu não tenha o que escrever, nem é isso. Para falar das pessoas que amo eu tenho muito a dizer. Mas vamos ao post. Recentemente, vi no Facebook uma mensagem que dizia que todo mundo tem um amigo chato e se você não tem, provavelmente o chato é você. Eu sou aquele amigo chato, mas sou chato porque não passo a mão na cabeça de ninguém. Sou chato porque sou perfeccionista e escolhi bem meus amigos; se eles estão lá pra mim são os melhores do mundo e trato todos dessa maneira.

Claro que nem tudo foi sempre assim. Até a chegada do Vini, as coisas andaram tensas e eu nem sabia fazer amigos. O Vini surgiu como um sol depois daquele inverno rigoroso. Ele me ensinou com toda a paciência do mundo a importância de ter amigos e de cativar um a um; as pessoas são diferentes e precisamos nos adaptar a isso, e se elas nos aceitam porque não podemos aceita-las também?

Depois do Vini vieram Lu, Breno e suas respectivas gangues. E, de repente, quando menos percebi, me deparei com um gama de novos amigos e todos os mais diferentes possíveis. O melhor era que me encaixava em todos estes grupos. E quando entrei na faculdade, minha turma virou meu ninho. Lógico que a internet foi muito benéfica para um rapaz latino americano como eu, sem dinheiro no bolso, mas com muitos sonhos...

Da internet além do já citado Vini, vieram tantos outros amigos queridos. O Diego e o Kids, meus eternos companheiros de baladas e assuntos diversos. E o blog me proporcionou isto. E destes cito os queridos Thiago, Faysano, Fred, Mauj, Alexandre, Wans, Marcos (que se tornou meu irmão), Erik (minha irmã de alma) e o grande Leco, que tive a honra de conhecer pessoalmente depois de tantos anos conversando pelos chats da vida. O Leco é lindo, charmoso e gentilíssimo. No mesmo dia ele conheceu minhas qualidades e defeitos e ainda me deu de presente o Sil, que talvez seja o rapaz mais doce que eu já conheci no mundo, parece não ter tempo ruim pra ele porque ao seu lado tudo é apaziguado. O Leco é leonino. Seu abraço é uma das coisas que mais tenho saudades no mundo.

E claro o Leco fez o Pop de Botequim e o Barba Feita e daí veio uma trupe mega bacana e dessa trupe eu não posso deixar de citar o Esdras, que me acolheu como se me conhecesse há muito tempo e que trouxe o Renato de tão longe, mas que parece estar tão perto.

Enfim, são tantos amigos que os que não citei aqui ficarão para um próximo post. O que eu acho é que afinidade é mesmo isso. Não importa onde seu amigo está, você está presente na vida dele de alguma forma e eu sinto isso por todos meus amigos, dos mais próximos aos mais distantes. Como um quebra-cabeças onde cada amigo se une a outro formando uma peça de carinho, onde me sinto vivo ao fazer parte da história de cada um e, consequentemente, formando minha própria história. 
Leandro Faria  
Serginho Tavares é um apreciador de cinema (para ele um lugar mágico e sagrado), da TV e da literatura. Adora escrever e é o colunista oficial do Barba Feita às sextas. É de Recife, é do mar: mesmo que não vá com tanta frequência até a praia e mantenha sempre os pés bem firmes na terra.
FacebookTwitter


6 comentários:

Esdras disse...

Amigos foram pra mim, durante mto tempo uma das coisa mais importantes na minha vida. O tempo mudou um pouco isso devido a certas decepções, mas é inegável que não dá pra viver sem esses seres especiais que iluminam a nossa existência. Feliz em saber que me tornei em tão pouco tempo alguém digno do seu carinho sincero. A recíproca é verdadeira. Sucesso e vida longa a nós meu querido! E que em breve vc possa comprovar que o meu abraço é bem mais gostoso que o do Sil, rsrsrs (brincadeirinha ou não).

Bjs, bjs, bjs!

Silvestre Mendes disse...

Amigos. São eles que fazem toda a diferença. Cada um com sua peculiaridade é que nos fazem ser os melhores e piores que podemos ser.
Serginho, seu lindo, muito obrigado por me citar e me fazer ficar vermelho de vergonha. Me orgulho de ser seu amigo e saber desse seu grande carinho por mim e pelo momento em que nos conhecemos. :)

Leandro Faria disse...

Amigos, virtuais ou reais, são aqueles que escolhemos para compartilhar a vida, nossas alegrias e incoerências.

Eu conheço muita gente, muita mesmo. Alguns eu chamo de amigos e esses, meu caro (vc incluso), fazem da minha vida tão mais leve e feliz.

Texto lindo e sincero, como o autor.

Beijos

TH disse...

Vc é dos poucos amigos virtuais da blogsfera que ficaram. E nem considero como meramente virtual, pois eu sei que o nosso encontro será em breve, tenha certeza ;)

Mauri disse...

Te quiero mucho, sys 💜💜 espero que algum dia enchamos a cara pessoalmente

Fred disse...

Como dizia a vovó: pessoas bacanas se atraem e se encontram! Tu és alguém muito especial, Serginho... que cativa e congrega as pessoas! Por essas e outras que me sinto privilegiado em te chamar de amigo! Beijo grande e gracias pelo carinho de sempre, meu divo-pop!