quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Então é Natal...





Já deu pra perceber que nós do Barba Feita não amamos tanto o Natal. Bem, também não é assim. Lembro, quando pequeno, de ótimos momentos nessa data. Mas são momentos que são meus. Não compartilhados com outros membros da minha família. Por exemplo, lembro de diversas vezes, por diversos anos, ficar assistindo em plena madrugada da Globo, O Mágico de Oz. Como amo esse filme e como amo essa lembrança. O Natal tinha gosto de ir em busca de casa, através dos tijolos amarelos. Assim como matar saudades da melhor babá do mundo: Mary Poppins. Sim, esse era o outro filme que me acalentava na madrugada, pós ceia de Natal e o blá, blá, blá de todos os familiares.

É mais ou menos assim minha ligação com Goonies. Quando pequeno, várias vezes parei o que tinha que fazer para assistir ao filme (o que vamos combinar, não era nada muito importante). E conforme fui crescendo, sua reprise ficou cada vez mais rara na Sessão da Tarde (#chateadissimo). Mas, em duas ocasiões especiais (meu aniversário de 20 anos e quando me formei na faculdade), acompanhei o filme novamente e com a dublagem original, mas em outro canal. E foi lindo. Mágico. Goonies, não importa a época, sempre será Goonies, e sempre me fará me sentir como era quando pequeno e desconhecia esse mundão de meu deus.

Mas é dia de Natal, dia de ouvir pessoas te desejando muita coisa boa. É quase uma reprise de aniversário, sendo que sinto que no dia do nosso aniversário isso é feito mais por afeto do que obrigação.

O bom é que você pode ir pensando no próximo ano. Nos itens da lista de promessas, que você inevitavelmente irá desistir lá por março ou abril. Sabemos como são os ciclos, mas gostamos de ir repetindo, ano após ano, como se fosse um ritual. Mas um dia esse ciclo se rompe e, quem sabe, começamos a fazer realmente tudo àquilo que planejamos e nos surpreendemos com o resultado.

Semana que vem conversamos sobre isso. Sobre listas, sobre metas, sobre o novo ano. Sobre começos.

Enquanto isso, boas rabanadas e torça pro filme da madrugada ser bom. Na minha época era... 
Leandro Faria  
Silvestre Mendes, o nosso colunista de quinta-feira no Barba Feita, é carioca e formado em Gestão de Produção em Rádio e TV, além de ser, assumidamente, um ex-romântico. Ou, simplesmente, um novo consciente de que um lance é um lance e de que romance é romance.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: