terça-feira, 9 de dezembro de 2014

"Morte Aos Héteros!"





Fiquei sabendo que rolou a Marcha do Orgulho Hétero, no Rio de Janeiro. Aliás, quem não ficou sabendo, né? A pequena grande marcha, ou o grande enorme fiasco, reuniu vinte pessoas. Vinte pessoas que se diziam vítimas de heterofobia.

Que estranho... Na Parada do Orgulho LGBT de 2013, a única vez que compareci ao evento, não vi cartazes com os dizeres "Héteros são malditos!", ou "Não à Heterossexualidade!", nem "Morte aos héteros!".

Eu quero que me tragam um heterossexual que sofreu heterofobia. Me tragam um rapaz que foi agredido num restaurante por dar um selinho em sua namorada em público, na frente de crianças; me tragam um heterossexual que foi agredido por quinze, eu disse, quinze, homossexuais num metrô. Eu quero que me tragam um hétero que ouviu coisas como "Heterozinho, heterozinho!", ou "Sai pra lá, seu hétero nojento!". Me tragam nomes de héteros que foram assassinados por serem héteros, que foram expulsos de casa por gostarem de mulher, que foram xingados na rua por andar de mãos dadas com mulher. Vamos, me tragam! 

Eu quero saber aonde estão os héteros que andam com o cu na mão na rua, com medo de serem espancados por alguma gangue de gays mauricinhos. Me tragam os pastores homossexuais, aqueles que dizem para os fiéis apedrejarem heterossexuais, descer o pau em homem que goste de mulher. Me tragam os fundadores da tão comentada Ditadura Gay.

Heterofobia... Não queremos a extinção dos héteros, muito pelo contrário. Nós gays queremos os mesmos direitos que os heterossexuais. Não falo do direito de andar de mãos dadas com o parceiro, ou de dar um selinho, ou um gesto carinhoso em público, nada disso. Queremos igualdade. Direitos iguais, afinal, somos todos seres humanos.

Nós gays queremos viver numa sociedade sem líderes religiosos, que, ao invés de semear o amor, gritam: "Tem que descer o pau nos gays!", "Apedrejem os gays, eles transmitem HIV!". Líderes que se julgam tão bons quanto Deus, incitando violência, mandando matar, destruir. Tudo em nome de Deus.

Então, antes de querer protestar, fazer marchas, dizer isso ou aquilo, leiam os jornal, assistam televisão, e vão ver que, se as coisas continuarem do jeito que estão, quem vai correr risco de extinção não são os heterossexuais...
Leandro Faria  
Glauco Damasceno, do interior do RJ, é o colunista oficial das terças no Barba Feita. Tem aproveitado a fase de solteiro para viver tórridos casos de amor. Com os personagens dos livros que lê e das séries que assiste, porque lidar com o sofrimento do término com personagens é bem mais fácil do que com pessoas reais.
FacebookTwitter


3 comentários:

Lah Guimarães disse...

Eu só tenho pena dessa sociedade hetenormativa que acha que os gays tendo os mesmos direitos que os héteros, dominarão o planeta. Mal sabem que só faremos dele um lugar mais alegre, colorido e livre de pré julgamentos ;)

Beijos, seu lindo

Glauco Damasceno disse...

Completou perfeitamente, Lah! Beijos, gata <3

Alexandre Melo disse...

Perfeito!

Já bati boca com 'amigos' de FB por conta disso.

É um inversão total de valores como se fôssemos uma ameaça imensa a toda a sociedade quando é exatamente o oposto.