terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Qual O Seu Defeito Mortal?





Todo ser humano tem defeitos. Falhas que parecem lindas qualidades, mas que podem arrasar com uma pessoa. 

Eu falo. Se tem algo me desagradando, eu falo mesmo. Se alguém me irrita, eu revido. Não tenho papas na língua. Eu digo o que não deve ser dito, o que todos querem dizer, mas ninguém tem coragem. Quando eu descobri que o meu defeito mortal não era a Sinceridade, mas sim a Lealdade, entendi porque me ferrei tanto na vida. 

Uma vez, rejeitei um emprego como gerente numa loja, duas semanas após ter começado num escritório de contabilidade. Eu queria muito o emprego, mas algo dentro de mim gritava: "Fica, você acabou de entrar no emprego, vai sacanear eles?". Dois meses depois, fui demitido pra darem a vaga para um ex-funcionário. 

Outra vez, deixei de pegar um segundo emprego no hospital porque eu iria fazer turnos de vinte e quatro horas constantemente. Eu adoro dinheiro e queria pegar o emprego, ia me ajudar muito! Mas o sentimento de lealdade dizia pra eu não pegar, porque eu poderia ficar muito cansado e o meu cargo no primeiro emprego poderia ficar comprometido. Bem, a chefe do setor perguntando o que eles queriam comigo não ajudou também. Quatro meses depois, fui demitido, afinal, eu era o único homem na equipe, ou seja, a estética não estava bonita. 

Eu aprecio a Lealdade, claro que aprecio. O foda de ser assim é que, na maioria das vezes, eu sei que o que estou fazendo não vai ter retorno. Ok, eu não faço pra receber algo em troca, mas é sempre a mesma coisa. As pessoas vem, com suas expressões no melhor estilo Gato de Botas, com seus olhos brilhantes e suas frases perfeitamente articuladas, e algo na minha mente diz que eu tenho que ajudar, que eu preciso ajudar, afinal, alguém precisa da minha ajuda. Aí, quando eu preciso de ajuda (não que eu saia por aí pedindo), ou não podem, ou fazem com má vontade. 

Muita coisa na minha vida poderia ter sido evitada se eu soubesse que esse é meu defeito mortal, e que um pouco de egoísmo ajuda a sobreviver. Você acha que ainda dá tempo?

Já parou pra pensar nisso? Qual o seu defeito mortal?

Às portas de um novo ano, acho que pensar sobre o assunto pode ser bastante prudente!
Leandro Faria  
Glauco Damasceno, do interior do RJ, é o colunista oficial das terças no Barba Feita. Tem aproveitado a fase de solteiro para viver tórridos casos de amor. Com os personagens dos livros que lê e das séries que assiste, porque lidar com o sofrimento do término com personagens é bem mais fácil do que com pessoas reais.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: