domingo, 7 de dezembro de 2014

You Live, You Learn





Me lembro como se fosse hoje o desespero que foi, depois de sete anos junto com alguém, passar o dia 12 de junho sozinho outra vez. Quanto mais o tempo passava e se aproximava do Dia dos Namorados, mais tenso eu ficava pela ideia de passar aquele dia sozinho depois de tanto tempo acompanhado. Entretanto, tudo se resolveu com uma boa viagem que, providencialmente marquei para aquele exato dia. 

Na maioria das vezes, quando se termina um relacionamento, pensamos imediatamente que nuca iremos encontrar um outro alguém. Mas isso é uma tremenda besteira!!!! E digo isso porque crescemos e aprendemos com um relacionamento e outro o que é bom e o que é ruim pra gente. 

Posso dizer que, particularmente, tive duas experiências completamente diferente no que diz respeito à relacionamentos. Em um eu possuía total liberdade, que não pude aproveitar por amar demais. No outro, e vejo isso apenas hoje, eu era preso e não amava tanto assim; tudo não passava de uma comodidade para ambas as partes. 

Hoje, estar solteiro não é um problema e sim uma solução para mim. Algumas pessoas já tentaram passar por aqui, mas sem sucesso. Vivi histórias que tinham potencial para dar certo; outras em que desde o início a outra parte já fez besteira e acabei desistindo; além, é claro, daquelas vezes em que me magoei ao confiar demais. 

Acontece que estar solteiro me deixou seletivo; não é qualquer um que entra e se acomoda. E só conseguimos perceber isso quando nos conhecemos bem. Hoje possuo uma liberdade da qual não abro mão, vou para onde quero, faço o que tenho vontade e tenho a cabeça super aberta se tratando de relacionamento, sem neuras e frustrações passadas. 

Na verdade,  tudo está resolvido e tranquilo em minha cabeça. Na próxima semana irei completar um ano solteiro e posso dizer com propriedade que isso, no momento, é bom demais.
Leandro Faria  
Márcio Lourenço, nosso colunista convidado de hoje, é um romântico incurável, do interior do estado do Rio de Janeiro, tem vinte e poucos anos, apaixonado por viagens, fotografia e uma bela poesia.
FacebookTwitter


2 comentários:

Anônimo disse...

Meu caro , você está forte e lúcido demais . Te invejo profundamente por isso.
Sim , Márcio. Estar solteiro é uma grande oportunidade de pertencer a você mesmo. Não como coisa , mas como modo de sobreviver - sobreviver muito bem. Existem coisas mais importantes que sofrer por amor. Mas ainda existe o amor - e ele ( o amor ) será sempre o tema.
Leio seu texto e trilha sonora que me vem à cabeça é SATISFEITO , canção de Marisa Monte : "Quem foi que disse que é impossível ser feliz sozinho ? A solidão é que me faz carinho!'

ótimo texto , amigo meu !

Ass : Rômullo Santos

Alexandre Melo disse...

Extrapolamos nossas expectativas no outro quando antes de sermos dois precisamos aprender e viver como um, estar só não significa ser só e esta segunda é também uma opção válida.

A solidão só é nefasta quando come parte de nossas vidas, quando não sabemos estar conosco e ansiamos o outro para que nos tire dela quando isso não existe, é impossível.

Antes de estar com outro, precisamos estar é conosco.