terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Não Seja Velho; Seja Idoso!





Existe uma diferença gritante entre uma pessoa velha e uma pessoa idosa. A pessoa idosa gosta de aprender, se interessa por assuntos da atualidade, tecnologia, política, música, humanas; gostam de conversar, de debater sobre esses assuntos; elas sabem debater, argumentar, seja com pessoas da mesma idade, ou com pessoas mais novas, uma pessoa idosa gosta de estar no meio, de estar informada. Uma pessoa velha não é assim. A pessoa velha, como a palavra mesmo diz, é velha, e eu não falo da aparência física, mas da mentalidade. Um velho não quer aprender. Ele acha que não precisa aprender porque o que ele sabe da vida é o que vale, e é o que deveria valer para todos. Tecnologia? É luxo. Política? Saudades da Ditadura. Música, então? Os jovens estão perdidos, as músicas de hoje, nenhuma delas presta!

Quem é velho não sabe conversar, porque se julga coberto de razão sempre. Acham que os jovens só querem saber de sexo, drogas, de ir pra casa do seu Zé, que vai rolar uma putaria, e sempre se juntam com outros velhos, por terem interesses iguais. Ao contrário de um idoso, se você vira pra um velho e diz que existe a possibilidade de o resultado de dois mais dois não ser igual a quatro, ele vai dizer que você está errado, que as coisas são como são, que você está bebendo muito, não deveria ficar lendo bobagens pra não ficar dizendo bobagens, ao passo que o idoso senta com você e começa a dialogar, a tentar entender a sua teoria e, mesmo assim, se ele não concordar, não vai te julgar, mas vai gostar de ter como companhia alguém que acredite numa teoria dessas.

Idosos gostam de sair, de ver gente. Se associam a clubes, vão a excursões, viajam para o exterior, alguns vão até em baladas (como eu já vi numa boate gay daqui), e se divertem, dançam, bebem, riem, criam novas memórias, experimentam novos ares. Velhos não, eles estão velhos demais pra isso, preferem ficar em casa pensando nos dias de luta, dos caras pintadas, no descobrimento do Brasil, ou como foi difícil passar a fiação no mundo antes de Deus dizer "Haja luz". Velhos são chatos demais. O que eles aprenderam quando jovens morreu ali, apodreceu ali, e pra eles, na cabeça deles, estão certos, esse é o jeito certo de se viver.

Não seja velho. Seja idoso. Não se torne um ranzinza de oitenta anos que só sabe reclamar da vida, da bola das crianças que sempre cai no seu quintal, da pessoa que tem uma opinião totalmente contrária à sua, de como fulano leva uma vida de viagens, enquanto você vive trancado dentro de casa. Não termine os seus dias desse jeito. Seja idoso. Vá ao cinema, vá a bares, restaurantes, teatros, leia livros, escreva um; viaje, aprenda, conheça, viva.

Seja um idoso feliz, não um velho caquético.

Leia Também:
Leandro Faria  
Glauco Damasceno, do interior do RJ, é o colunista oficial das terças no Barba Feita. Tem aproveitado a fase de solteiro para viver tórridos casos de amor. Com os personagens dos livros que lê e das séries que assiste, porque lidar com o sofrimento do término com personagens é bem mais fácil do que com pessoas reais.
FacebookTwitter


2 comentários:

Shumy disse...

Costumo falar que vou ser uma velhinha chata, desde que deixem eu continuar lendo meus livros, assistindo minhas séries e filmes, viajando, experimentando a vida! O importante é curtir o momento e saber viver bem cada dia.

Glauco Damasceno disse...

Falou e disse!!