terça-feira, 31 de março de 2015

Não Seja Essa Pessoa





Quando a gente leva um pé na bunda, muitos sentimentos vem à tona, não é? Raiva, frustração, tristeza, desilusão... Enfim, tudo de uma vez, e a gente tem vontade de sair quebrando tudo, fazendo a linha Hulk e "SMAAAASH!". 

Muita coisa é válida quando se é dispensado por aquele cara, ou aquela garota que a gente gostava. Então eu, como levei um pezinho recentemente, vim pra dizer o que você deve e o que você não deve fazer, caso isso venha acontecer com alguns de vocês (espero que nunca aconteça, mas vai que...) 

Vamos começar pelo que você deve fazer,ok?
  • Dica número um: Fique offline. Eu fiquei uns dias sem aparecer na internet (ok, eu tive que entrar no WhatsApp umas duas vezes, mas foi por causa do coral, e porque três amigos estavam me dando força - brigado, Sil, Vinicius e Levy, mas foi só). Ficar offline te ajuda a se preservar, até porque sempre tem aquele povo indiscreto que fica querendo saber os detalhes do término, o que é um porre. 
  • Dica número dois: Ouça bastante música. Principalmente as românticas. "Ai, Glauco, mas isso não é tortura?". Não, isso é música. Eu descobri que Soul Music é maravilhoso, de verdade. Redescobri meu amor pelo gênero com Scandal (depois falo sobre essa série aqui, e porque ela é a série da minha vida). Voltando: Ouça música. Cante alto, duble, dance, batuque, qualquer coisa. 
  • Dica número três: Coma! Doce, salgado, podrão (lanche de barraca, pra quem não sabe, é uma delícia), gordice, enfim. Coma! Você levou um pé na bunda, o amor pode ter acabado, mas se tem uma coisa que eu aprendi é que se pessoas desapontam, porém pizza é eterna. E ninguém vai poder te julgar, dizer "Nossa, fulana, tá comendo muito chocolate, hein?", ou "Credo, cara, quanta comida nesse prato!". Você levou um pé na bunda, você pode. Nada de fazer greve de fome, nem você e nem seu estômago têm culpa se o rapaz ou a moça preferiu te largar, então coma. 
  • Dica número quatro: Saia com os amigos. Vá pra balada, barzinho, cinema, rodízio de comida japonesa, boteco da esquina, na padaria, enfim, saia. Não fique jogado(a) em casa chorando em posição fetal. Saia. Compre roupas novas, se arrume e vai pra rua, chame os amigos, ria, fale mal dos outros, enfim, não deixe de sair. 
  • Dica número cinco: Arranje um hobby. Passeie com o cachorro, brinque com o gato, comece uma série nova (eu sugiro Scandal, The Good Wife e House of Cards). Aproveite pra começar um livro novo, escrever um poema, uma música, afinal, as melhores músicas vêm de corações partidos (aprendi essa em Nashville, mas eu já larguei essa série). Hoje em dia eu tenho o boxe e, uau, vocês não imaginam o alívio que é passar uma hora e meia dando socos, esquivando, suando... Anos de terapia, recomendo! 
Agora, tem uma coisa que você NÃO DEVE fazer, em hipótese alguma: mandar indireta pra ex no Facebook. Por favor, não seja essa pessoa. Indireta não prova que você superou, muito pelo contrário. Indireta só serve pra mostrar pros seus amigos, pros amigos do ex e pro próprio ex, que você não superou porra nenhuma, e gosta de ficar igual a uma mosca varejeira em volta dos outros, fazendo drama e enchendo o saco.

Então, use a dica número um e siga em frente. Não adianta postar "Hoje eu to feliz, hoje eu to contente", se você está numa merda sem tamanho, porque enquanto isso, o ex tá lá, de boa, e você tá de palhaçada nas redes sociais. 

E não. Esse texto não é uma indireta pra ele, até porque ele nem deve estar lendo, mas não é. Aconteceu, não deu certo, a gente segue em frente. Eu senti vontade de compartilhar esse momento chato com vocês, apenas isso. O que se pode fazer? Não deu, não deu, ponto final. A gente segue com a amizade (sim, dá pra fazer, eu falo sobre isso depois). 

Ok? Entendidos? Então boa sorte pra quem tá namorando, e se precisarem, estamos aí! 

P.S.: Torçam pra que eu desencalhe, gente. E assistam Scandal. De nada.

Leia Também:
Leandro Faria  
Glauco Damasceno, do interior do RJ, é o colunista oficial das terças no Barba Feita. Tem aproveitado a fase de solteiro para viver tórridos casos de amor. Com os personagens dos livros que lê e das séries que assiste, porque lidar com o sofrimento do término com personagens é bem mais fácil do que com pessoas reais.
FacebookTwitter


2 comentários:

Guto Júnior disse...

Eu fiz exatamente tudo isso quando terminei meu último relacionamento e, olha, fez um bem danado! Recomendo.

Ah, um beijo pros desgraçados que só têm a perder. :*

Glauco Damasceno disse...

É bom pra reagrupar, né Guto? Organizar os pensamentos, renovar as forças!
E a fila anda :)