sexta-feira, 6 de março de 2015

Sobre Apressados e Diligentes



"Vamos marcar qualquer dia desses!"
Hoje em dia, a sociedade tem pressa. Pressa de viver, pressa de estar em todos os lugares e de se fazer presente na vida de todos, pressa em dizer sim e pressa em não dizer não, porque pra esta sociedade dizer não é um grande problema. O não é uma palavra maldita. Vivemos um num mundo que se arrasta no caos que esta mesma sociedade o jogou. Então, qualquer coisa diferente disso não é bem-vinda.

Sim, agora estamos quase lá. O que fazer? Que sociedade é esta que promove compartilhamentos instantâneos, que exige curtidas e cutucadas? Esta mesma geração tem tempo de se perguntar qual sua missão na terra? O que fariam se o mundo fosse acabar? Eles têm pressa, não tem tempo de pararem para pensar nisso. Eles têm tanta pressa que, muitas vezes a frase do começo deste texto quer apenas dizer, “agora não posso porque tenho pressa.”

Segundo Zygmunt Bauman, esta é uma "Modernidade Líquida". As relações se escorrem pelos vãos dos dedos. E se esta sociedade necessita de perdedores, invejosos e intolerantes para se comunicar e ter que empurrar seus últimos modelos de celular, carros de luxo, apartamentos compactos em bairros nobres e qualidade de vida zero, você não precisa fazer parte disso. O mundo é grande demais.

Chegar ao sucesso não é fácil e exige trabalho e tempo. Se você tem pressa então, você não terá sucesso, terá uma ilusão do que poderia ser o sucesso e mesmo assim vai se achar o máximo achando que faz parte daquela sociedade, a mesma que diz o que você deve fazer. A que te ilude com falsas promessas de vitória. Mas meu caro, você é um perdedor que se vendeu por poucas moedas. Qualidade de vida está em acreditar que o que está fazendo não é apenas melhor pra você e sim para o mundo em que vive.

Esteja presente, viva o presente pensando no futuro e sem esquecer o passado. Errar faz parte, eu sei que é um clichê imenso, mas errar é humano e é errando que se aprende. Encontre uma causa para qual lutar e faça da sua vida a melhor que você poderá ter, porque até que se prove o contrário, só se vive uma vez. E mesmo que você possa vir a ter outras vidas, você não saberá, então é melhor aprender com esta que lhe foi dada o quanto antes.

Vamos lá e não espere para marcar qualquer dia desses. Aproveite aquele momento e não deixe escapar a oportunidade. Talvez seja a única. Jamais saberemos o que irá acontecer amanhã. Livre-se dos rancores, a única pessoa que pode te derrubar é você mesmo. Nunca é tarde para recomeçar e, no final das contas, ser é sempre mais importante do que ter.

Escrevi este post inspirado numa conversa que tive com meu amigo e colega do Barba Feita, Paulo Henrique Brazão, e no livro Geração de Valor, de Flavio Augusto da Silva. Recomendo os dois. O livro e o Paulo, é claro.

Leia Também:
Leandro Faria  
Serginho Tavares é um apreciador de cinema (para ele um lugar mágico e sagrado), da TV e da literatura. Adora escrever e é o colunista oficial do Barba Feita às sextas. É de Recife, é do mar: mesmo que não vá com tanta frequência até a praia e mantenha sempre os pés bem firmes na terra.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: