sexta-feira, 20 de março de 2015

Sobre Certos Momentos da Nossa Vida





Sabe aqueles momentos que você não tem a menor ideia do que fazer, mas você tem que fazê-lo porque seu patrão espera e também espera que você se supere? Sabe aqueles momentos em que você não sabe o que dizer, mas esperam uma resposta? E aqueles momentos em que você espera conversar com alguém, mas não tem uma santa alma à disposição? E quando você necessita de um abraço de madrugada e só te resta o travesseiro? E aqueles momentos em que você está apenas esperando um telefonema ou uma mensagem de WhatsApp e eles não vem, mas, justamente quando você não pode, elas surgem na mesma hora? 

Sabe, tudo isso acontece comigo e com você. Acontece porque o mundo é feito destes pequenos momentos que podem ser prazerosos ou inconvenientes. Lembro de, certa vez, cobrar do Leco mais atenção. Eu já falei do Leco aqui e não é porque ele é dono do Barba que é meu amigo. Ele é desde o dia que nos deparamos um com o outro na internet. Temos perfis diferentes, mas um humor parecido e, assim como disse Oscar Wilde, nos encontramos pela pupila (e ele tem um abraço mega gostoso, não poderia deixar de citar isso). Continuando. O fato de ter cobrado do Leco um momento de atenção me fez refletir o quanto nós cobramos das pessoas e nos esquecemos que elas também têm suas vidas independente das nossas vidas. Mas estamos tão acostumados com viver no nosso mundo, que nos esquecemos isso. 

Não que sejamos todos egocêntricos, nem é isso. Mas, às vezes, a vida nos coloca em situações limite e ficamos achando que aquilo só acontece conosco porque esquecemos do outro. Sim, o outro. O outro que está logo ali do nosso lado, que muitas vezes nem sabemos o que se passa com ele, mas a gente acha que o cocô do passarinho só cai em nossa cabeça. 

Mas, voltando ao foco, comecei esse texto falando sobre momentos, momentos em nossas vidas que nos deparamos com situações inusitadas. Falei um pouco sobre isso também na semana passada, sobre o "se", o "talvez", sobre nossas escolhas. Mas, e quando surgem situações que não dependem da gente? Isto também faz parte. Faz parte não saber o que fazer, como faz parte esperar para saber a hora certa de fazer, mas isso vem com a experiência adquirida. Faz parte o impulso; muitas vezes pode dar certo. 

Sobre momentos em que estamos tristes demais não apenas com a forma como a nossa vida está caminhando e achamos que somos os únicos no mundo a passar por isso e esquecemos que não somos. Isto tudo faz parte da vida, ela é assim, repleta de altos e baixos. Não sei dizer se ela seria melhor se fosse mais linear, ou não. 

Vejam meu caso, por exemplo. De repente, me vi morando sozinho no Rio de Janeiro, numa cidade onde não conhecia ninguém, mas que me recebeu de braços abertos. Voltei para Recife e hoje me vejo terminando uma faculdade de Publicidade e Propaganda. Coisas que eu não planejei, mas que deram certo, ou pelo menos estão dando até agora e me deixam feliz com algumas escolhas que fiz e com surpresas que surgiram ao longo do caminho. 

Claro que algumas dessas surpresas são reflexos das nossas escolhas, mas eu acredito que o inusitado sempre faz parte, quer a gente esteja à beira do caos ou não. Momentos em que podemos estar sem saber o que fazer, mas a inspiração vem, como nesse texto, por exemplo.

Leia Também:
Leandro Faria  
Serginho Tavares é um apreciador de cinema (para ele um lugar mágico e sagrado), da TV e da literatura. Adora escrever e é o colunista oficial do Barba Feita às sextas. É de Recife, é do mar: mesmo que não vá com tanta frequência até a praia e mantenha sempre os pés bem firmes na terra.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: