domingo, 15 de março de 2015

Uma Breve Reflexão Sobre o Ato de Errar




O ato de falhar é irritantemente humano e, com o passar do tempo, a culpa armazenada por decisões erradas, palavras que não deveriam ter sido proferidas e atitudes que não deveriam ter sido tomadas, se torna cada vez mais pesada. 

É claro que nós, como seres humanos que somos, não nos arrependemos por todo e qualquer erro cometido na vida mas, com certeza, você tem alguma lembrança que provoca aquele desejo inútil e, ao mesmo tempo, dilacerante de construir uma máquina do tempo só pra conseguir retornar naquele instante e fazer algo diferente, ou desfazer o que aos seus olhos se tornou ruim. 

Errar não está só no que se fez, mas também no que se deixou de fazer. Está naquela paixão que escapou entre os dedos, no momento que não foi aproveitado com alguém que se foi, na esperança não cultivada e, principalmente, naquilo que deixou de ser vivido. 

E, apesar de todas as consequências, errar é tão natural quanto crescer. Estamos todos sujeitos ao erro durante toda nossa vida e esse ato continua sendo, ao meu ver, a forma mais eficaz de aprendizado. 

Se erramos voluntariamente, com prazer, dor, culpa ou apenas erramos inconscientemente, uma coisa é certa: depois não adianta chorar pelo leite derramado.

Leia Também:
Ariadny Theodoro  
Ariadny Theodoro,incansavelmente bipolar, apaixonada por literatura, séries de televisão, teatro e fotografia digital, escreve por necessidade de manifestar suas diversas paixões, nem sempre compreendidas pelos demais. Escreve sobre tudo - o bom e o ruim! Afinal, alguém tem de ter a difícil tarefa de alertar ao mundo que nem tudo é sempre bom!
FacebookTwitter


Nenhum comentário: