domingo, 5 de abril de 2015

Devaneios





Por que o amor dói? Por que amarga feito o fel? Ele não deveria atar laços? Ser calmo e doce como uma brisa? Deveria acalentar o corpo do sol que maltrata no verão... Mas não, ele vem pra matar, pra machucar... 

Na verdade, o amor perdeu-se no mundo. Vive vagando à procura de corações que ainda acreditem nele. Corações que não se vendam às aparências, que não se prostituam por presentes.

O verdadeiro amor está perdido? Tenho certeza que sim! O que temos hoje são pseudoamores, aqueles que conseguem se disfarçar muito bem... O verdadeiro suporta meus defeitos e aceita minhas virtudes, como pequenas dádivas de um ser imperfeito em busca de sapiência. 

O verdadeiro amor anda muito só. Fez pacto com a solidão. E tem visto cada vez mais os impostores tomarem conta do mundo. Impostores que nos fazem esbravejar aos quatro cantos que amamos, sem ao menos conhecer o significado do amor... Que muito depressa, torna-se desamor. 

Como conhecer o significado se não o conhecem verdadeiramente? Parece até que esta à venda nas prateleiras.  Olha, que bonito? Vamos comprar? 

E todos dizem que estão à procura dele, quando na verdade não suportam vivenciá-lo. Pois o verdadeiro requer dedicação. Respeito. Companheirismo. Requer conversa. Quisera eu ser detentor da sabedoria necessária para conceituá-lo Mas sim, digo: já o senti! Calmo, paciente, sereno, carinhoso. Caridoso... 

Mas ele se foi e hoje dói, quando a flecha da saudade me acerta no coração, ainda na esperança de encontrá-lo escondido. Com medo. Com vergonha. E desacreditado. 

Fico a pensar no futuro sem amor e nas amarguras de um passado que, vez por outra, me torturam. Pois, como os falsos falavam por ele, ninguém mais acredita no verdadeiro. Vou passando dia a dia, observando-o se afastar e ser substituído por sorrisos imperfeitos, por mentiras aparentadas, declarações vazias e promessas mal feitas. Na esperança de o reencontrar em qualquer lugar, aguardando pra vir cuidar de mim... 

Ah! Amor verdadeiro... Quanta paciência preciso ainda ter?

Leia Também:
Leandro Faria  
Douglas Mateus: jornalista com diploma, um cara simples, mas que adora as coisas boas da vida. Mineiro que curte praia, cinema, teatro, dança, literatura, música e qualquer tipo de expressão artística. Escreve despretensiosamente no seu blog, o Filho da Pauta. Ainda acredita no amor e tem esperanças de viver um em sua plenitude, assim como os filmes e seriados que curte.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: