quinta-feira, 9 de abril de 2015

O Poder do Silêncio




Deve ter um tempo que venho me policiando. Afinal, não é todo post que merece ser #curtido #comentando ou #compartilhado. Sabemos que as mídias sociais pertencem a um território quase exclusivo de interação. As pessoas precisam falar. Precisam ouvir. E precisam, acima de tudo, entender cada espaço que ocupa.

Eu mesmo me vi tendo bastante tempo e foi do nada. Todo o horário, toda cobrança, toda a preocupação de antes não existem mais. Quer dizer, existir vai existir sempre, mas nem só de preocupações vivem as pessoas. Por receber de presente o tempo que julgava necessário, me vejo agora em outra sinuca de bico.

Nesse momento, por exemplo, vejo pessoas ofendendo Jean Wyllys por “não ser obrigado” a se sentar próximo de Jair Bolsonaro em um vôo de avião. Mas será mesmo que os que criticam leram bem a notícia? Sabem do cúmulo que essa acusação pode causar? 

Eu fico bastante triste, chocado mesmo, com a violência agressiva que algumas pessoas fazem com as outras. Ou seja, só por possuir suas próprias ideias e posicionamentos, você sofre uma chuva de perguntas e questionamentos.
.
Em uma semana que temos Jean de um lado e Bolsonaro sendo vítima do outro, não me resta outra saída a não ser me despedir ficando em silêncio. E desejando que as coisas encontrem seu real caminho nos trilhos da vida. 

Leia Também:
Leandro Faria  
Silvestre Mendes, o nosso colunista de quinta-feira no Barba Feita, é carioca e formado em Gestão de Produção em Rádio e TV, além de ser, assumidamente, um ex-romântico. Ou, simplesmente, um novo consciente de que um lance é um lance e de que romance é romance.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: