terça-feira, 30 de junho de 2015

O Sol de Ícaro




O que? Não me olhe com essa cara. Quem teve infarto foi você. E eu bem que avisei pra parar com aquela quantidade de cafeína, hein... Parece criança. Se bem que dizem que envelhecer é voltar a ser criança. O que? Novo em folha? Tá, tô ligado. Mas mesmo assim vai ficar de repouso, como o médico recomendou. Vou trocar essa música, Nina Simone cantando I think It’s Going To Rain Today é muito depressivo. O que? Deixar tocando? Tudo bem, você sempre gostou de músicas tristes. Não acho que era desse jeito antes de... Deixa pra lá.

O infeliz do meu irmão esteve aqui? Só ontem?! Depois de duas semanas desde o infarto ele só aparece ontem?! Que merda, o que ele tá pensando? Calma... Calma... O médico disse que você não pode se estressar agora, o que significa que eu tenho que ficar calmo perto de você, pra não te estressar. Mesmo querendo descer a porrada naquele ingrato que só quer saber de se pegar com o namorado. Eu tenho que fazer tudo por aqui, porra...

Ah não, não estou reclamando de ter que cuidar de você, velho, de onde tirou essa ideia?! Ele podia ajudar, né? Típico daquela mulher, foge quando a coisa esquenta. Bem que ele podia morrer também, aí facilitava a minha vida. Menos um inútil na minha vida.

Ah, mas vamos mudar de assunto. Calma, Ícaro, calma, Ícaro... Lembra daquela garota que eu conheci no hospital? Eva? Então, vamos sair hoje. Não sei, mas acho que é um encontro. Ah, não me olhe com essa cara, você sabe muito bem que eu não sou de namorar. Mas ela... É diferente, sabe? Aqui uma foto dela. Adoro esse cabelo afro dela, todo pra cima, acho tão bonito, “estiloso”, como dizem. Ela é uma negra bonita, simpática e extremamente otimista. Acredita que estava com o avô dela internado em estado terminal e teve a coragem de dizer pra mim, com um puta de um sorriso nos lábios, que tudo ia dar certo? Sério, que tipo de pessoa é tão otimista assim? Eu fiquei parado, olhando pra ela, sem saber o que dizer.

Hein? Eu também tenho que ser assim? Ah, qual é, pai, desde quando otimismo serviu pra alguma coisa? Tudo bem, tudo bem, eu sei, eu sou praticamente um demônio em pessoa, mas bonzinho não vence na vida. Isso me lembra algo que Eva me disse, ela cresceu sem os pais, que eram dois putos drogados, e acabaram morrendo de overdose meses depois que os avós ganharam o direito de guarda. Disse que muitas vezes sentiu vontade de fazer como Nero e atear fogo na cidade, só que acabava desistindo porque, bem, São Paulo é enorme... Então ela resolveu que não ia se entregar à raiva, mas que ia usá-la a seu favor. Agora me diz, por que deu certo com ela e não comigo? Porra, a mulher é bem sucedida, tem uma rede de lojas de cosméticos, é bastante conhecida, eu mesmo já vi algumas coisas a respeito dela, mas nunca me atentei... Agora me diz, por que diabos eu não consigo converter a minha raiva em algo positivo?

Que ótimo, acabei de ganhar a frase “Você é jovem demais, ainda tem muito que aprender”, muito obrigado, pai, não tinha como ser mais clichê não? Seu velho... Não ouse morrer, ok? Não ouse. Eu te proíbo de morrer. Porque senão eu vou ter que lidar com o incompetente do meu irmão e o namorado abelhudo dele.

Eva e eu temos outra coisa em comum: ela tem uma irmã que é lésbica e que, pelas fotos, parece ser tão simpática quando ela. Enfim, hoje vou levá-la naquele restaurante chique que abriu semana passada, sabe? Você chegou a comentar comigo. Ei, está com frio? Espera, deixa eu ajeitar essas cobertas. Está bastante frio mesmo... Ano passado fez mais frio? Acho que sim.

Estava pensando em convidar Eva pra vir jantar aqui em casa, o que acha? Iiih, lá vem você de novo com essa cara! Temos bastante assunto, ora essa, além do mais ela é... diferente das mulheres que já passaram pela minha cama. E a primeira dica é essa: ainda não transamos. Não é uma novidade? Sim, porque você sabe que eu sou pegador, né? No velório do avô ela não parecia abalada, acho que já esperava, inclusive. Com certeza esperava, já que ele estava em estado terminal... O que acha de a convidarmos? Massa, vinho... Bem, podemos beber refrigerante, ou suco de uva, pra você não precisar beber álcool, afinal, tem que preservar esse coração aí, hein velho!

Mensagem nova da Eva. Que graça, ela está perguntando como você está. Respondi que está bem e que estou do seu lado, pra impedir que você saia por aí fazendo arte. Ela é uma boa moça. Eva é uma boa moça. Inteligente, dinâmica, engraçada... Como ela é engraçada, precisa ver. E não é forçada, sabe? Ela é bem engraçada, conta cada coisa do cotidiano dela, que você não acredita!

Ei pai, tá me ouvindo? Precisa de mais um cobertor? Acho que vou pegar um pra mim. Vou passar perfume e sair, mas a enfermeira vai dormir aqui, e o senhor trate de obedecê-la, entendido?!

Pai? Pai, tá me ouvindo? Ei, pai, não tem graça, responde. Pai, para de me olhar assim, vai, não tem graça.

Pai?

Leia Também:
Leandro Faria  
Glauco Damasceno, do interior do RJ, é o colunista oficial das terças no Barba Feita. Tem aproveitado a fase de solteiro para viver tórridos casos de amor. Com os personagens dos livros que lê e das séries que assiste, porque lidar com o sofrimento do término com personagens é bem mais fácil do que com pessoas reais.
FacebookTwitter

Nenhum comentário: