segunda-feira, 6 de julho de 2015

Jackie Tequila




Entrou apressado, olhando para os lados, tentando imaginar como Jaqueline seria. A descrição tinha sido pra empolgar: loira, 1,80, 70 kg, busto farto, cintura fina, uma delícia! E a imagem na webcam confirmara a descrição. E agora estava ali, finalmente pronto para o primeiro encontro. 

Olhou para os lados, procurou e não a viu. Resolveu ir até o bar esperar. O garçon, todo simpático, logo puxou papo: 

-Uma bebida, senhor? 
-Estou esperando uma pessoa... Mas... Uma tequila, por favor! 

E não foi uma, mas sim três tequilas até Jackie chegar. 

-Você é ainda mais linda pessoalmente! 
-Obrigada! Você também é idêntico ao que vi nas fotos. 
-Me acompanha na bebida? O que prefere beber? 
-Vou de tequila também, por favor! 

E o papo fluía enquanto outras doses de tequila eram consumidas. 

-Vamos embora daqui? –convidou Jackie. 
-Claro, vou pagar a conta! 

No carro, um amasso daqueles, um calor que subia e a cabeça que apenas pedia mais. Ele beijou a boca, o pescoço, apalpou os seios, lambeu, mordiscou e Jackie gemia. Apertava, apalpava e levantou a saia dela, visualizando a calcinha de oncinha. Ficou louco e arrancou o pedaço de tecido. Se surpreendeu: um pênis surgiu! 

Não esperava um membro, mulheres não tinham órgãos genitais masculinos, o que estaria acontecendo? 

Sem conseguir raciocinar direito, só conseguiu murmurar: 

-Jackie, como assim, o que é isso? 

No que Jackie só respondeu: 

-Relaxa, meu amor, é só a tequila! 

E ele relaxou. Se estava no inferno, abraçaria o capeta. 

Maldita tequila! Bendita tequila!

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter

Nenhum comentário: