quinta-feira, 9 de julho de 2015

Para Você Parar de Fugir de Mim





É assim, temos de conversar...

Depois de muito pensar, decidi abrir meu coração. Sabe, já não aguento mais. Quando tudo parece ir bem, quando tudo começa a andar, você some. E não é sumir de desaparecer que eu estou falando (no caso, escrevendo). Mas você está aí, presente, eu sei que está, mas age como se não quisesse saber. Como se não se importasse mais.

Ontem mesmo conversamos mais uma vez e tudo parecia ir tão bem. Tudo parecia andar. Senti como se finalmente saíssemos do vai não vai eterno que nos encontramos e as coisas, quem sabe, se concretizariam. Você sabe que gosto de você. Também sei, porque não sou idiota, que você gosta de mim. Mas algo, nos últimos tempos parece ter criado um tango entre nós dois. Tudo começa bem, fica harmonioso e rola um clima. Até que não dá mais certo e você se vai mais uma vez.

Já sou bem grandinho e deveria ter aprendido minha lição, mas fico me enchendo de esperança, acreditando que tudo vai dar certo e que vamos caminhar juntos. Que vai rolar, acontecer você eu. Mas você, talvez por medo, sabota tudo e vai embora. Caminha na direção oposta e me deixa aqui, sem nada. Só com o sentimento de frustração.

E sei que não é um amor utópico, nem uma possível relação que só existe pra mim. Não, vivemos isso tudo juntos. Tudo bem que usar a palavra amor pode soar precipitado e você queira ir embora de uma vez. Mas existe algo, você sabe que não sou bobo e, algumas vezes, até mesmo aqui, você já provou isso. Me ajudou a fazer tanta coisa bacana que me orgulho e gosto de mostrar pra todo mundo.

Não sei se o que falta é não pensar em nós dois. Focar menos no que quero construir e mais no processo de ir aos poucos ao dia após dia. Quem sabe não é a falta de ir ao cinema, beber uma cerveja, preparar um macarrão e saborear com um bom vinho? Precisamos ficar sozinhos. Acho que até uma viagem possa ser o ingrediente mágico que sumiu entre nós dois. Talvez.

Por conta disso, de gostar de você, te querer bem e me querer bem também é que estou saindo do Barba Feita. Não tenho como continuar se for assim, criando textos de indiretas e quase suplicando seu retorno e que, no final, só querem dizer uma única coisa: fique comigo. E olha que me considero resistente. Não vivo admitindo em indiretas por aí a falta que sinto e muito menos o quanto você é importante pra mim, mas não aguento mais. É um vazio que sinto hoje e preciso de você de volta aqui ao meu lado. Você que já contribuiu com tanta coisa boa na minha vida. As inúmeras conquistas que fiz? Foi você.

Admito que talvez eu tenha errado a mão. Que já venha deixando nossa relação no conformismo há um bom tempo. Não sei bem ao certo, me dediquei ao que não alimentava nosso sentimento. Vi séries ruins, filmes piores ainda. Larguei o teatro e as peças musicais. Não estive nos alimentando de coisas novas, novos mundos. Deixei de lado por preguiça e conformismo. E essa é a receita do fracasso das relações, não é mesmo? E não quero isso pra gente, não quero isso pra mim e muito menos para você. Não quero te perder e preciso te valorizar sempre.

Por isso, te peço com todo o amor e carinho do mundo: inspiração, retorne, por favor! Prometo que lerei mais livros clássicos e assistiremos mais filmes. Bem mais filmes do que vimos até hoje. Veremos séries boas e escutaremos músicas melhores ainda. Também vamos escrever. Moldar um universo e seus personagens. Brincaremos de Deus e faremos uma relação linda, perfeita e estável. Assim, quando decidirmos que é hora de evocarmos nossa Shonda Rhimes interior, muitas lágrimas de nossos leitores ou espectadores cairão junto.

Inspiração, eu sei que já fui melhor do que sou hoje e te peço paciência. Quero evoluir por você, aprender mais pra você e ser feliz junto com você. A única coisa que desejaria mudar é que as visitas noturnas sejam mais constantes. Que o papo que batemos seja mais longo, assim como o tempo que escrevemos juntos. Não vá embora do nada, sem me deixar terminar o que iniciamos. Não desapareça assim que abro o Word e fico ali, esperando recuperar tudo aquilo que pensava segundos antes.

O que venho por todas essas linhas propor é uma parceria. Seja minha parceira e me ajude a construir não só a nossa história, mas várias e infinitas.

Inspiração, vamos criar e transbordar o que temos de melhor e pior também. Sem o medo. Aceitando julgamentos e críticas.

Por favor, volte pra mim.

Beijos,
Silvestre Mendes


Oi, pessoal.

Depois dessa carta que fiz para minha inspiração, que foi ali tirar umas férias sem minha pessoa, decidi ir até lá e dar uma descansada ao lado dela. Juntos e não em separado. Mas, como amo muito esse espaço no Barba Feita, deixei ele em boníssimas mãos.

Sabem a Nanda Prates? Aquela que morro de amores e quero ter os textos emoldurados em minha parede? Então, ela vai estar aqui. E não vai ser solitária nessa função. Outro lindo, querido mesmo, é o Mikes (ou Michael Oliveira, para os não tão íntimos). O moço vai dividir esse espaço com a Nanda e os dois vão fazer da quinta-feira um dia mágico, perfeito. Quase que reservado para unicórnios que correm em pastos verdes e bebem de uma cascata com milk-shake de chocolate com morango.

Admito que espero que vocês sintam um pouquinho a minha falta. Mas só um pouquinho, porque vou entender o amor que vão sentir pelos dois, eu também sinto. E MUITO.

Então fica combinado assim. Eu saio de férias hoje e retorno só no dia 13 de agosto. E espero que com a inspiração junto comigo. ;)

Leia Também:
Leandro Faria  
Silvestre Mendes, o nosso colunista de quinta-feira no Barba Feita, é carioca e formado em Gestão de Produção em Rádio e TV, além de ser, assumidamente, um ex-romântico. Ou, simplesmente, um novo consciente de que um lance é um lance e de que romance é romance.
FacebookTwitter


Um comentário:

Hanna disse...

Sil, volte logo!!

E confesso que estou com inveja da sua inspiração, pois eu mesma nunca recebi declaração de amor tão bela!