segunda-feira, 27 de julho de 2015

Quadrilha Pós-Moderna




Heleninha se depilou, tomou aquele banho demorado, se perfumou e escolheu uma lingerie bem provocante. Enquanto isso, no mesmo banheiro, Augusto fazia a barba. 

-Nervosa, Heleninha? 
-Um pouco só… Mas vai ser bom! Eu acho! Espero, na verdade! 
-Calma, Heleninha! Vai dar tudo certo! Tudo foi acertado. 

Suelen e Mario estacionaram o carro e ficaram um bom tempo conversando antes de se encaminharem para dentro do restaurante. Haviam repassado seu texto juntos e se julgavam perfeitos. 

O jantar foi regado a vinho e a conversa, que começou tímida e formal, já tinha um clima de putaria total. Heleninha, sentada ao lado de Augusto, por debaixo da mesa acariciava o pau de Mário com os pés, que não via a hora de terminarem aquela experiência num motel. E lá foram eles. 

No motel, Heleninha beijava Augusto, que beijava Suelen, que beijava Mario, que beijava Heleninha, que beijava Suelen, que beijava todo mundo. Roupas no chão, corpos suados e uma loucura sem fim. Extasiados, agradeciam a invenção das salas de bate papo. 

Na noite seguinte, em sua cama de casal, Suelen e Mário se acariciavam e o tesão dominava o quarto. Mário beijava o pescoço de Suelen, descia para seu seio, seu barriga e continuava descendo… E Suelen gemia… ‘Augusto… Augusto…’ 

Na outra casa, Augusto e Heleninha tentavam novas posições. Heleninha vestia uma calcinha com consolo e dominava o marido que só pensava em como não conseguira tirar os olhos do pau de Mário na noite anterior… 

Na manhã seguinte, vida normal. Afinal, nem só de putaria vive a humanidade. 

Será?

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter

Nenhum comentário: