sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Sobre o Que Vale a Pena, Afinal?




Então, vamos falar sobre sexo? 

Enfim, sexta-feira! E o que tem de gente que espera por esse dia não está no gibi. Sério, é impressionante o número de pessoas insatisfeitas que já começam a semana torcendo pra esse dia chegar logo. Eu entendo bem o que é isso, já trabalhei num local que eu odiava e sofria em saber que o domingo estava terminando e tinha que encarar mais uma maratona num local onde o terror estava instaurado. Felizmente isso é passado. 

Sempre acreditei que a gente deve fazer o que gosta e, fazendo isso, os dias passam depressa. Infelizmente, poucos têm essa sorte. Hoje estou num lugar que gosto ao lado de pessoas que gosto e admiro e nem percebo o tempo passar. Bato na madeira três vezes e rezo sempre quando saio de casa porque a inveja é grande, afinal, quantos podem dizer o mesmo? 

É lamentável saber que muita gente está se matando apenas para pagar as contas no final do mês. Vale a pena abrir mão de qualidade de vida por dinheiro? Recentemente vi o comentário de alguém no Facebook que não entendia essa crise no país se as pessoas viviam em baladas. Mas, com os péssimos empregos que elas possuem, se não usufruíssem de um divertimento qualquer os casos de suicídio em massa seriam exorbitantes! 

Como lidar? 

Confesso que se eu soubesse como resolver esse problema não estaria aqui agora escrevendo este texto e sim, rico, vendendo a fórmula. O mundo vive essa crise onde não podemos ter tudo o que queremos, nem pelo menos parte do que queremos e, para tê-lo, precisamos de muita paciência e abrir mão de muita coisa para, quem sabe no futuro, conseguir o que se almeja. 

Tendo meu caso como exemplo, já sofri muito fazendo o que não gostava e demorei a chegar onde estou, mas eu não desisti. Houveram momentos em que eu pensava seriamente se realmente valia a pena, estava cansado e frustrado porque as coisas demoram a acontecer sim, mas elas acontecem. De uma forma ou outra acontecem, se a gente não desistir e manter o foco naquilo que se deseja. Os nãos que eu levei na vida me deram força suficiente para prosseguir. 

Não que eu já tenha vencido na vida, ainda não, mas hoje eu sei que estou no caminho certo e sei que agora eu não preciso ficar sofrendo fazendo coisas que eu ODEIO, me escravizando para pessoas que não mereciam sequer meu bom dia. Este tempo passou e, assim como aconteceu comigo, pode acontecer com qualquer um. É árduo, mas vale a pena. 

E, sinceramente, faz com que a gente dê muito mais valor às coisas assim; se eu não tivesse sofrido o que sofri, talvez hoje eu não estivesse agora onde estou. Cometi erros, mas quem não os comete? E errar faz parte deste amadurecimento e, talvez, este texto seja sobre isso mesmo, amadurecimento. Ou autoconhecimento. E quer saber? Aproveite este momento para mudar, não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje. Eu não estava feliz e fui atrás de felicidade. Se eu consegui? Bem, eu sei que estou melhor agora do que antes. 

E se você está se perguntando onde entra o sexo neste texto, ora, hoje é sexta-feira, vá fazer sexo, não sou eu que vou te ensinar, não é? 

Beijos. 

Leia Também: 
Leandro Faria  
Serginho Tavares é um apreciador de cinema (para ele um lugar mágico e sagrado), da TV e da literatura. Adora escrever e é o colunista oficial do Barba Feita às sextas. É de Recife, é do mar: mesmo que não vá com tanta frequência até a praia e mantenha sempre os pés bem firmes na terra.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: