domingo, 11 de outubro de 2015

Enquanto Eu Estava Nu





Era uma foto bem ousada. Talvez a mais ousada que já fizera. Eu, uma cadeira, um espaço vazio e a ausência de qualquer coisa que cobrisse meu corpo. Ajustei a captura automática da câmera do celular, coloquei ele na janela e dez segundos depois a foto estava pronta. Era novidade? Não! Milhares de fotos desse tipo estão na internet ao alcance de alguns cliques. Famosos em todo o mundo tem fotos iguais ou parecidas pra onde quer que olhemos. Porém, com a licença de ser famoso e poder fazer o que quer - quase sempre - sem ser rotulado. 

Eu fiquei olhando aquela foto durante longos minutos. Ainda era de manhã quando estava eu considerando as possibilidades, a reação da família e das redes sociais. Recortei, filtrei, publiquei. Saí da internet e fui trabalhar. Me surpreendi naquela tarde, no intervalo. 

A foto ultrapassou mais de mil visualizações, mais de 150 likes e recebi elogios de gente que eu nem conhecia! Muita gente amou tanto quanto eu e até se inspirou em se despir também, o que eu achei o máximo! Fora as mensagens safadas e convites pra dois ensaios (#ChupaHaters)! Hahaha!

A Famosa Foto

Mas, claro, nem tudo foram flores! Recebi comentários negativos de excesso de exposição e attwhorismo. O que, de verdade, nem liguei! E até estampei uma camiseta "Chegou a attwhore! (euzinha...)" pra sair no fim de semana seguinte. Pronto. Zerei os otários! 

O que não entendo é: qual o problema no corpo? Qual o motivo de escondê-lo e ter vergonha dele? Somos eu e você, como nos vimos todos os dias. Por que é feio? Por que devo ter tanto pudor? Claro que não quero aqui abrir uma discussão pra todo mundo andar pelado por aí, né? Mas se alguém quiser e estiver bem consigo mesmo, mostre! Sem ser julgado, sem ouvir que se expor é deixar de se preservar, sem ler que nunca vai arrumar namorado por ficar se expondo na internet! 

Parem de tentar sufocar a liberdade e a auto-estima de quem tem coragem de declarar seu amor a si mesmo publicamente! Parem de julgar alguém por que viu UMA ÚNICA IMAGEM! Por que a imagem não traduz 100% de ninguém, mas aquela trouxe uma parte importante de uma luta que travei durante anos: me aceitar e me amar como eu sou! E sabe do que mais? Eu consegui!

Leia Também:
Leandro Faria  
Daniel Lima, 26 anos, solteiro. Muito solteiro. Solteiro demais. (Se tem uma coisa que está ultimamente, é solteiro).
FacebookTwitter


Nenhum comentário: