segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Férias, Viagens, Ócio e Afins





Na próxima quarta-feira retorno ao trabalho depois de exatamente 40 dias de puro ócio e deleite. Há muito tempo eu não tirava férias tão longas e, putz, como isso é bom! Minha empresa nos dá a possibilidade de dividir nossas férias em dois períodos distintos durante o ano e é isso que eu normalmente faço. Entretanto, eu havia planejado um curso de inglês de um mês em São Francisco para esse ano e por isso agendei as férias, mais algumas folgas a que havia direito por trabalhos nos fins de semana, para o fim de outubro e todo o mês de novembro. Mas, apesar de ter de adiar o projeto para um futuro incerto graças à nossa economia e à assustadora alta do dólar (obrigado, Dilma, beijos!), mantive a data e as férias programadas. Foi um ano puxado no trabalho, com um estafante projeto do Rock in Rio no meio; eu precisava.

Dessa forma, com 40 dias disponíveis e um projeto adiado, o que fazer com o tempo livre? Logo em minha primeira semana de férias reservei 5 dias para uma viagem curta com dois dos meus melhores amigos para São Paulo. Eu confesso que detestava São Paulo. Sempre achei uma cidade overrated, estranha e, sinceramente, com nada que me fosse particularmente atrativo. Tinha coisas pra fazer? Claro que sim, como toda grande cidade, inclusive o Rio. Mas era perto, relativamente barato e, mais importante, seria ótimo para estar com os meninos, que amo tanto e que quase não vejo devido às nossas limitações geográficas.

Cliques em São Paulo, com Esdras, Éllerson e Beto.

Foi legal? Foi sim. Descobri que São Paulo pode ser divertida, apesar de não considerá-la o melhor lugar do mundo. Ficamos pertinho da Avenida Paulista em um flat bem localizado e legal, passeamos, nos divertimos. E vi alguns queridos que vivem na cidade, inclusive o Esdras, nosso colunista dos sábados, que me acompanhou em um domingo agradável em um passeio pela Paulista, com conversas divertidas e risadas sem fim. São Paulo continua sendo São Paulo para mim, mas foi uma boa maneira de começar as férias.

Depois que retornei, exatamente uma semana e meia depois, eu já tinha outro destino, esse planejado assim que me dei conta de que a ida para São Francisco tinha subido no telhado. Com o namorido e outro casal de amigos querido e companheiro de viagens, tive uma adorável semana no litoral sul da Bahia, na cidade de Itacaré. Ficando hospedado dentro de um resort, em um bangalô de frente para a praia de São José, com uma piscina maravilhosa e um rio de águas cristalinas desaguando no mar, eu relaxei e aproveitei cada dia dessa semana inesquecível.

O bangalô visto da Praia de São José. A Praia de São José vista do bangalô.

É muito fácil se adequar a uma rotina que se resume a acordar tarde, tomar café da manhã, decidir para que praia ir, almoçar e voltar para "casa" onde se tem outra praia, piscina e um rio para você se divertir. Conhecemos as lindas praias de Itacaré, com suas águas mornas e transparentes (destaque para a praia da Tiririca, um lugar lindo e agradável, e para a praia de Jeribucaçu, que precisa de uma trilha curta, de 20 min pelo meio do mato, para ser descoberta - e que é incrível).

Além disso, reservamos um dia para viajarmos até o distrito de Barra Grande, na cidade vizinha de Maraú. Uma verdadeira aldeiazinha, Barra Grande fica a cerca de 60 kms de Itacaré, mas para se chegar lá vive-se um verdadeiro rally, tendo de se passar por uma estrada de chão (e buracos) horrorosa e longa. Mas a viagem compensa, porque as praias de Barra Grande são paradisíacas e, uma vez lá, fizemos um passeio de barco pelas ilhas da região, que é algo imperdível e maravilhoso. Anotem a dica e me agradeçam depois.

Ilha da Pedra Furada. Piscina com Praia de São José ao fundo. Praia de Jeribucaçu. Taipú de Fora.

Retornando ao Rio, tive ainda três semanas de algo que eu mais amo na minha vida: a minha casa e o Rio só para mim. E como eu gosto de ficar em casa, não ter hora para acordar, curtir a minha solidão durante o dia na companhia de Wolfgang e Dimitri, meus gatos mais lindos e amados, vendo televisão (e me viciando em novas séries e realities, como contei aqui sobre Suvivor, que não consigo largar e estou assistindo temporada atrás de temporada), ficando na internet e pensando na noite e no jantar, sempre com a melhor companhia do mundo, onde posso colocar o papo em dia, rir e aguardar o sono para mais um dia de ócio depois.

Mas, tudo que é bom chega ao fim e nessa quarta-feira retorno ao meu trabalho. E nem reclamo, pois é exatamente o que faço nele que me permite ter férias tão maravilhosas quanto as desse ano. Fora que volto nesse período de final de ano, com 2016 nos acenando logo ali adiante. 

E 2016 é um ano que me reserva novas viagens, novos lugares e muita recarga de baterias. Nesse ano, mais uma vez tirarei férias em um único período, mais para o fim do ano, logo depois das eleições. Quais os meus planos? Pretendo retornar à Itália, que tanto amo, e conhecer a Grécia, o que acalento tem algum tempinho já.

Definitivamente, não posso reclamar do meu trabalho. E nem vou! 

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


2 comentários:

Anônimo disse...

Amo a dificuldade que os cariocas tem de assumir que não vivem sem São Paulo. Tem sempre que justificar, um "mas" aqui um "overrated" ali... Aceita que dói menos, fia!

E pode bloquear o comentário, porque sei que não é o que vc esperava.

Leandro Faria disse...

Sobre o comentário anônimo: eu ri.