domingo, 24 de janeiro de 2016

A Geração da Rapidinha





É hora de puxar o gatilho, vamos lá. Visualizar os perfis, ver quem é interessante, bonito, tem corpão, boa pinta, presença e, de preferência, carro. Fotos nas melhores praias? Usa roupa de marca? Tem um emprego? Ok, é esse!

Aceitou, hora de puxar assunto.

- Oi, tudo bem?...

... Se conhecem e depois de 10 frases, é hora de passar para o WhatsApp:

- Por aqui é bem melhor.

#partiu1encontro

Às vezes, rola um encontro vazio, aquelas trocas de olhares sem muita profundidade, vontade sem entusiasmo. E, na maioria das vezes, acaba por ser sempre assim. Vivemos em uma geração onde troca-se de parceiro como se troca de roupa. Desagradável!

Oras, parece que nada mais tem graça, parece que tudo anda vazio, igual. Então, passamos ao ponto de vista: as pessoas estão perdendo a sutileza de saber o que significa se entregar, merecer, conquistar, estar, viver, se perceber, se doar, se amar e até mesmo admirar a bela cor dos olhos do outro. A textura do cabelo, os traços da face, da mão. Sabe aquela voltinha na coluna que ninguém tem igual? Pairou no esquecimento, ninguém repara nela, mas apenas nos bíceps ou triceps avantajados, talvez.

A grande realidade: as pessoas existem por likes, viajam por comentários e entram na academia pelo espelho. É essa a lógica das relações de hoje: o que um dia já foi realmente importante foi totalmente desconstruído por coisas supérfluas e sem sentido.

A verdade é uma só: vivemos num mundo onde se vive pela compra de casamentos, investimento em silicones, bocas carnudas e troca de seguidores em redes sociais que são gratuitas. O que gera uma dúvida e uma pergunta para que você mesmo reflita e responda para si mesmo: onde vamos parar?

A vida é sua e você faz o que quiser? Ok! Só não se esqueça que amanhã pode ser tarde demais para rever conceitos, deixar de lado o mundo de Alice e voltar à realidade. O mundo não para, muito menos espera para que você caia em si e veja o verdadeiro significado da palavra VALOR!

Leia Também:
Leandro Faria  
Caio Camacho: paulista, 26 anos, bacharel em Direito. Sagitariano, está sempre disposto a sorrir, independentemente da situação, pois sabe quem é e onde quer chegar.
FacebookTwitter


6 comentários:

Prosa e Poesia 2 disse...

��������������show!

Jonny William disse...

Só li verdades.

Jonny William disse...

Só li verdades.

Unknown disse...

👏👏

Unknown disse...

👏👏

Unknown disse...

Pois é... mas trágico é a hipocrisia que se gera em torno disso.. fico a observar amigo e conhecidos nos app de "relacionamento" as descrições tão narcisista...