segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Existem Segredos Para Um Relacionamento Dar Certo?





Listas são comuns e, algumas delas, até divertidas. Mas, em tempos em que o imperativo manda (como tão bem alertou a Fernanda Prates nesse ótimo texto), não tenho muita paciência para quem me diz o que eu devo ou não fazer. Sério, desculpae, mas a vida é minha e sou eu quem decido como vou vivê-la. E essa introdução se faz necessária, devido a um texto que vi compartilhado nas redes sociais na última semana e que um amigo enviou para um grupo do qual faço parte, com a pergunta: o que vocês acham disso? 

O referido texto era uma lista contendo sete erros comuns em relacionamentos gays, sendo uma tradução de uma publicação da Revolutinary Gay Magazine. Confesso que cheguei ao texto até mesmo interessado com o que ele poderia me dizer, mas meu tesão nessas ~dicas~ se perderam depois de duas linhas. Porque, vou te falar, que texto preconceituoso e repleto de clichês. Mais que isso, achei uma lista apenas preguiçosa e que visava cliques de curiosos atrás de algo interessante para ler.

Mas meu desconforto com a lista persistiu quando me dei conta de que alguns amigos estavam compartilhando o texto com comentários como: "nossa, é exatamente isso que penso, eu poderia ter escrito esse texto!" ou "quando eu tiver um relacionamento tomarei cuidado para que nada disso interfira no que quero para mim". Preguiça da raça humana, eu venho desenvolvendo. E a coluna de hoje nasceu da minha necessidade de tentar compartilhar o que penso de fórmulas prontas e soluções fáceis que, já adianto e dou spoiler: não existem!

Hetero, gay, bi, pansexual. Não importa sua orientação, com quem ou com que você se relacione: não existe um segredo para um relacionamento feliz. E, em minha humilde e modesta opinião, o maior erro que alguém pode cometer em um relacionamento é exatamente o de tentar colocá-lo em uma caixinha, seguindo regras prontas e fórmulas de sucesso de outros. Na verdade, o que penso é: não é melhor viver do seu jeito, experimentando, do que tentar imitar o que aparentemente deu certo pra outros?

Agora um fato inquestionável: os seres humanos são únicos. Somos indivíduos com formação e com experiências tão distintas que é impossível afirmar que o que é melhor para mim é o certo para você. Dessa forma, imagine em um relacionamento, quando não são apenas as experiências de uma única pessoa que estão em jogo, mas a de duas (ou mais, convenhamos, o mundo tá mudando!) que podem vir de formações completamente diferentes umas das outras?

Ter um relacionamento aberto, sair para festas juntos, alterar o status no Facebook são, por exemplo, três coisas que a lista aponta como erros em relacionamentos. E a argumentação para cada um desses ~erros~ são melhores que os próprios tópicos. Fiquei com a impressão que o autor estava querendo chocar ou, como foi o meu caso, fazer rir. Porque, só pode, não vejo outra alternativa.

Eu acredito sinceramente que relacionamentos são contratos. Que quando alguém se predispõe a dividir sua vida com outro alguém, está ciente de que terá que abrir mão de algumas coisas e descobrir outras formas de viver e se relacionar. Nós, seres humanos, somos difíceis pra caralho pra caramba. Somos naturalmente egoístas e a prerrogativa básica de um relacionamento é saber abrir mão, mesmo que em pequena dose, da sua própria individualidade em prol de um objetivo conjunto. E essa é a maior mudança que podemos fazer para nos adequar ao outro: descobrir como funcionamos vivendo com outra(s) pessoa(s) e dividindo a vida e o próprio espaço.

Mas, como disse lá em cima, não existe segredo ou fórmula fácil de sucesso. Sinto dizer, querido amigo caga-regra, mas o que funciona para você pode não funcionar para o outro. O que acho um verdadeiro absurdo é que apesar do tempo avançar, ainda parecemos presos a códigos morais do século passado, achando que aquilo que nos foi ensinado é a única verdade possível. É basicamente como diz a famosa canção imortalizada na voz de Elis Regina: "ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais".

O seu relacionamento pode ser monogâmico e ser um tédio sem fim, com um viveram felizes para sempre apenas idealizado por você mesmo. Assim como um relacionamento aberto pode mascarar um comodismo de ambas as partes de um casal que simplesmente não tem coragem de partir para outra experiência de vida. Ou seja, não há segredo, e o que pode ser bom para alguém pode não funcionar para o outro. Assim como o que é considerado um erro para você, pode funcionar perfeitamente para mim. É a vida, somos humanos, e saber o que queremos para cada um de nós é uma obrigação de cada um e nada disso vem desenhado em um manual de instruções compartilhado na internet.

Por fim, mesmo correndo o risco de me contradizer, acho que existe apenas um segredo para qualquer relacionamento (e de qualquer tipo, não apenas o romântico/emocional) e, como ele é tão óbvio, é até clichê: ele se chama respeito. Se você respeitar o outro e a si mesmo, vivendo da forma acordada em conjunto, sua vida será mais simples e prática, evitando a necessidade de seguir o que os outros acham que seja melhor para você.

E, acreditem, a felicidade é possível, palpável e recompensadora. Só não tem fórmula, segredo ou manual de instruções. Ela se conquista diariamente, com os seus atos e atitudes, que apenas refletem a você mesmo e aquilo que você quer para a sua vida.

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: