segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Sarcasmo e Ironia: Uma Arte de Poucos e Bons





Dia desses, verificando as atualizações de status dos meus ~amigos~ do Facebook, me deparei com um comentário aleatório que me fez rir. Porque Facebook é assim, né? Você reúne numa mesma rede social pessoas distintas e diversas com quem teve alguma interação em algum momento dessa vida e, pronto, a pessoa fica lá. E, exatamente por isso, essa rede é uma verdadeira colcha de retalhos, formada por pessoas de ideias tão díspares e interessantes, que fazem muito da graça dela.

A atualização a que me refiro é a abaixo, que transcrevo na íntegra, mas sem expor o seu autor:
"Pessoas inteligentes não usam sarcasmo. Sarcasmo e sua irmã, ironia, são armas inferiores. Pessoas inteligentes usam a verdade. Somente a verdade. Apenas a verdade."
Parei, li, pensei e o que fiz? Gargalhei, né? Porque, assim, deus me livre viver num mundo sem ironia e sarcasmo, tendo de aguentar gente chata e literal vinte e quatro horas por dia. Amém

Ao contrário desse meu ~amigo~ (a quem rebati também comentando, e sou bastante transparente para transcrever aqui a resposta: "Acho que é ao contrário. Quem não é inteligente é que não aprecia o fino sarcasmo e a ironia. Fora que, normalmente, quem é assim, também é chato."), acho que essas duas figuras de linguagem são essenciais em nosso cotidiano. Mais que isso, elas são responsáveis por muita da graça do mundo e é preciso ser bastante inteligente para se fazer uso delas sem tornar-se alguém malquisto ou arrogante. 

O bom uso de sarcasmo e ironia é uma arte, meus caros, e tenho verdadeira dó de quem pensa o contrário. Fora que, apesar de não conhecer a base científica, já li em algumas listas de "curiosidades", que geralmente formam livros divertidos, que "ironia e sarcasmo são considerados estimulantes cerebrais. Ter amigos sarcásticos faz de você mais criativo.".

Aprecio muito a verdade, sendo eu, inclusive, um grande adepto da honestidade, muitas vezes brutal. Mas a vida em sociedade exige bem mais do que apenas a verdade total e irrestrita. As nossas relações sociais são moldadas graças à nossa capacidade de nos adaptarmos e, muitas vezes, sorrirmos e deixar as coisas seguirem, sem que usemos a verdade, somente a verdade, apenas a verdade. Conforme nos ensinou Elsa em Let it Go, deixar as coisas irem pode ser muito bom para o convívio com os outros seres humanos.

E é aí que entra o sarcasmo e a ironia na nossa vida. Tem coisa mais linda que ouvir uma barbaridade, ter vontade de dar um soco na cara de seu interlocutor e então, como mágica, apenas responder sendo irônico ou sarcástico (ou escrevendo um texto como esse)? É uma sensação tão maravilhosa e dignificante que, desculpe-me Sr. Verdadeiro do meu Facebook, apenas os inteligentes sabem apreciar. Uma ironia bem aplicada e uma frase sarcástica usada no momento certo sem ofender, exigem precisão cirúrgica de seu autor e, quando eu  me deparo com alguém capaz de fazer isso, tenho vontade de parar tudo e aplaudir, com assobios e gritos de "uhu, ahazou!", o que faço mentalmente, com um singelo sorriso nos lábios.

Entretanto, uma das coisas "tristes" das pessoas adeptas ao uso do sarcasmo e da ironia é o não entendimento alheio do que você diz. Porque sim, o mundo está cheio de gente burra, incapaz de entender essas duas lindas figuras de linguagem. E chega a ser hilário você lá, gastando toda a sua inteligência em frases espirituosas e cheias de duplo sentido, e a anta à sua frente achando que você está sendo literal e não entendendo a ironia dessa própria situação. Deus, se existe, deve ficar lá em cima, no conforto da sua sala de controle, rebobinando e assistindo esses momentos, rindo da cara desse povo.

Eu, sinceramente, não tenho paciência nenhuma para gente que não entende sarcasmo e ironia e não os utilizam na sua vida. Meus amigos, ainda bem, são todos lindamente versados nessa arte e, exatamente por isso, somos próximos e nos damos tão bem. Já vivi momentos antológicos de bate e volta, usando as duas figuras de linguagem com gente esperta e que sabia exatamente o que responder que, olha, dá orgulho de ver como sei escolher amigos, que amo incondicionalmente.

Mas consigo entender quem prefira a verdade, somente a verdade, apenas a verdade. Deve ser complicado não entender o que os outros dizem e tentar ficar pescando significados por trás de frases simples e óbvias, enquanto todos à sua volta se divertem com a grande inteligência e perspicácia. É a verdade, somente a verdade, apenas a verdade que faz dessas pessoas mais evoluídas, cheias de amigos e bem sucedidas. Ops, quer dizer...

O mais legal, no fim das contas, é que com tanta gente diferente no mundo, não deve ser tão difícil encontrar os iguais e sentir-se à vontade entre eles. Se você não gosta de sarcasmo, ironia e fino humor, basta encontrar pessoas como você e formar o seu seleto grupinho inteligente (e chaaaaaaato!).

Eu, da minha parte, estou bem à vontade entre aqueles que apreciam o poder das palavras e tudo que elas podem nos proporcionar de forma sarcástica, irônica e bem humorada. O mundo já é chato demais e não precisa ser levado a ferro e fogo fulltime e irrestritamente, ao lado de gente linear e monotemática. Ainda bem!

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: