sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Sobre o Novo





Um novo ano se inicia e com ele 366 novas possibilidades para ser feliz. Viver o novo a cada dia que passa, compreender mais, tolerar mais, aprender mais, buscar mais, amar mais. A cada novo ano almejamos esperança de que tudo possa ser alcançado, traçamos metas, idealizamos objetivos, sonhamos. Sonhamos que sempre será melhor que o ano que passou. Tentamos fazer nossa parte.

A possibilidade de vivenciar o novo é única, a vida nos proporciona isso, a surpresa que nos aguarda do outro lado da porta, o que pode estar no fim do arco-íris, a sensação de não saber o que irá acontecer, são sentimentos únicos como sentir borboletas no estômago ao se apaixonar.

E, quem sabe, poder se apaixonar tantas e tantas vezes, quer seja pela mesma pessoa, ou pelo filho, pelo amigo, pelo irmão, pelo pai ou pela mãe. O amor deve ser regado todos os dias porque também pode morrer. E, por que não aproveitar o novo ano para distribuir tanto amor?

Poder oferecer a mão a quem precisa, porque o novo também traz dor, melancolia, ansiedade. Nem tudo que virá pode ser perfeito, quem sabe até poderá ser inócuo, mas podemos aliviar tudo que nos aflige com um sorriso, com uma palavra, com um olhar, um gesto qualquer de amor, porque o amor conforta, fortalece e aquece.

Olhar para frente e acreditar que ainda há muito a ser feito. Saber olhar para trás, tomando cuidado com os erros do passado e não repeti-los. Não vale a pena persistir em algo que não oferecerá resultados e novas oportunidades hão de surgir.

Porque basta ver gente, estar com os seus, e com aqueles que poderão um dia fazer parte de nossa vida. E novos amigos poderão vir, basta estar com o coração aberto e deixar que eles surjam. E esquecer os nossos próprios preconceitos.

Limitar-se, esquecer dos próprios valores, tentações desmedidas irão surgir à nossa frente, mas basta confiar e acreditar em si mesmo que qualquer obstáculo que vir a surgir poderá ser ultrapassado. E eles irão aparecer indubitavelmente.

Vamos aproveitar para mudar, mudar sempre, mudar o que for capaz, o que for necessário, mas acreditar que se pode mudar, não tentar mudar o outro, mas mudar a si mesmo, O ano não será novo se continuarmos a ser a mesma pessoa de sempre.

E acreditar em si mesmo talvez seja a chave para novas mudanças, novas oportunidades, novos desejos, novos sabores; pode até, quem sabe, atrair medo, mas que não seja o nosso e, se for, tanto faz, é necessário conhecer o medo para se ter coragem. 

E vamos ter coragem para continuar sempre. Há uma vida imensa lá fora esperando por cada um de nós, num novo ano repleto de coisas que ainda não vimos, mas que iremos atrás de cada uma delas porque queremos muito ser felizes. 

Com este texto, mais uma vez cheio de clichês, vos deixo hoje, desejando a todos os meus meninos do Barba Feita um feliz ano novo; a todos vocês que me leem, feliz ano novo; a todos aqueles que acreditam que o novo ano será bem-vindo em nossos corações, feliz ano novo.

Beijos. Paz e amor. Sempre.

Leia Também: 
Leandro Faria  
Serginho Tavares é um apreciador de cinema (para ele um lugar mágico e sagrado), da TV e da literatura. Adora escrever e é o colunista oficial do Barba Feita às sextas. É de Recife, é do mar: mesmo que não vá com tanta frequência até a praia e mantenha sempre os pés bem firmes na terra.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: