quinta-feira, 3 de março de 2016

Dica do Sil: Livros Que Todo Mundo Dever Ler




Sou um apaixonado por livros. Gosto tanto que sempre que posso estou lendo alguma obra. Não me prendo muito ao gênero. Leio best seller, policial, YA (Young Adult), distopias... E pensando nessa variedade de histórias é que venho aqui dar a dica de três livros que vocês devem ler!

Estão novamente no ar, as Dicas do Sil!

Caixa de Pássaros (Josh Malerman)

Terror nunca foi um gênero literário que me chamasse atenção. Até então só tinha lido um livro que havia me dado medo. O Iluminado. Lembro que na época tinha só 14 anos e, a cada página virada, um medo diferente surgia na minha imaginação. Ano passado, durante a Bienal do livro, Caixa de Pássaros me foi muito elogiado. Diziam que era uma leitura viciante e ao mesmo tempo perturbadora. Depois de ler as duas primeiras páginas, entendi os elogios que a obra recebeu e percebi que estava preso em uma trama alucinante.

Caixa de Pássaros conta a vida de Malorie e seus dois filhos. Após "algo" acontecer, a humanidade mudou. Casos isolados, ao redor do mundo, sobre um surto. Pessoas que avistam algo e surtam. Ficam violentas e em um ato de desespero se matam. Tiram a própria vida e, em alguns casos, de outras pessoas. Uma doença que não tem como, aparentemente, ser combatida porque não é um vírus que se pega. Não é uma doença que se cure após um tempo. É alguma coisa que ao ser vista provoca violência e fúria.

Malorie é uma sobrevivente, ela e seus dois filhos. Sim, é uma época péssima para ter se tornando mãe. Mas sobreviver ao medo e às tragédias é mais surpreendente ainda. Após cinco anos, desde o início do surto, ela percebe que terá que encarar o maior medo de sua vida: abandonar a casa onde mora e ir rumo ao desconhecido.

Caixa de Pássaros é o livro de estreia do autor Josh Malerman. Tem ritmo, tem bons personagens e um final surpreendente. Se você gosta de sentir medo e acredita que sobreviveria ao apocalipse zumbi, imagina o que faria se estivesse em uma realidade onde ver é perigoso. Será que você conseguiria sobreviver?

Aristóteles & Dante Descobrem os Segredos do Universo (Benjamin Alire Sáenz)

O livro mais amor do ano. Acho que "mais amor" de muito tempo. O livro narra a amizade entre Aristóteles e Dante, dois meninos de quatorze anos e que vão descobrindo quem são no mundo. É uma história sobre amizade, amadurecimento e, acima de tudo, amor.

Aristoteles é um jovem arisco e não tem amigos. Rebelde, não tem o melhor relacionamento do mundo com seu pai, mas também não tem em sua mãe um exemplo de melhor amiga. Ari é do mundo próprio que criou para si. Isso até Dante aparecer e se tornar a novidade, o caminho do "novo mundo" para Ari.

Já havia lido bons livros e que abordavam o amadurecimento dos jovens, mas aqui, é algo único. Você vai se descobrindo, se vendo entre possibilidades. Será que sou reservado como Aristóteles ou sou do mundo e faço amizades fáceis como Dante? Ou será que tenho medo de descobrir meus segredos, ou me jogaria rumo ao desconhecido, caso isso fizesse meu coração feliz? São questões que encontramos ao longo das páginas dessa história única e tocante.

Divã (Martha Medeiros)

Seria muita cara de pau da minha parte não abrir meu coração para o meu livro "analise". Divã, obra escrita por Martha Medeiros e que deu origem ao filme de mesmo nome, foi uma sessão de terapia. Por três dias, tempo que demorei para ler o livro de 150 páginas (mais por culpa da poesia em seus diálogos do que minha lerdeza), me fez ficar reflexivo. Pensativo sobre os rumos que minha vida vem tomando. Se descobrir, como pessoa, é uma eterna evolução. Nunca saberemos ao certo quem somos, só quem fomos. 

E mudança, mudar, ser diferente é o objetivo diário. Se não é o seu, deveria ser. Mudar mexe com nossos medos e o medo é o que deixa as pessoas vivas. Ou que vivam. Martha Medeiros me deu poesia em suas páginas escritas e espero que você se permita em ter um encontro como esse, terapêutico.
________

E aí, já leu algum desses livros ou pretende ler? Se tem alguma recomendação, seja de livros, séries ou música, a caixa de comentários é toda sua. 
Leandro Faria  
Silvestre Mendes, o nosso colunista de quinta-feira no Barba Feita, é carioca e formado em Gestão de Produção em Rádio e TV, além de ser, assumidamente, um ex-romântico. Ou, simplesmente, um novo consciente de que um lance é um lance e de que romance é romance.
FacebookTwitter

2 comentários:

Anônimo disse...

Agora, em 30 segundos, posso pensar numa lista de 40 livros melhor que essa merda. Abraço.

Anônimo disse...

Texto chato, livros chatos, pessoa chata.