terça-feira, 26 de abril de 2016

Manda Nudes!





Antes de mais nada eu gostaria de dizer que não é pra mandar nudes, tá? É porque eu acho a frase engraçada, não me perguntem o motivo, hahahaha. Mais uma coisa, se você não gosta de textos com palavras de baixo calão, então sai correndo daqui (eu disse com muito carinho), porque hoje vai ter baixaria nisso aqui, tá?

Dia desses, vasculhando as "internetes" da vida eu pensei em dar uma prestigiada no pornô nacional e, por prestigiar eu quis dizer dar uma olhadinha, assim, como quem não quer nada, e se desse uma animada, quem sabe eu não dava uma homenageada, né? Mas... não deu. Puta que pariu, não deu! A verdade é que pornô em geral não me agrada mais como antigamente, talvez seja a idade, afinal tô com vinte e nove anos já, mas PELO MENOS, quando eu tô naqueles dias em que qualquer coisa eu já fico doido pra dar uma sarrada e quando tô com preguiça de imaginar qualquer coisa que seja, o pornô internacional consegue ajudar. Mas o brasileiro não!

Sério, de onde tiram esses atores? Os caras não sabem atuar, gente! Sim, porque eu gosto de pornô com história, com aquele diálogo antes, pra dar um toque a mais de realismo, e não apenas dar play e já tá lá o passivo de boca na vara do ativo, chupando desesperadamente. Tem que, pelo menos, fingir um sentimento ali, uma vontade de estar naquele momento.

Aí tá, o vídeo tem diálogo. Opa, aí a gente anima, tem um título, uma história por trás da "fodelância" toda. Muito bem, damos o play. Aí...

- Oi
- Oi
- Tudo bem?
- Tudo bem e você?
- Tudo também.
- Nossa, tá com um corpão, hein?
- Você também.

E pronto, "vamo fuder!". Não, gente, não pode! Pelo amor, tem que colocar uma naturalidade ali. Até o ET é mais expressivo que essa galera.

Aí você procura outro, afinal, você quer, você cismou em bater uma punheta vendo um pornô nacional, então você sai procurando. Encontra outro. Os atores parecem bacanas visualmente, a imagem tá legal, então vamos lá. E então o passivo não geme. Em momento algum. Fica lá, levando rola no cu, o ativo fazendo caras e bocas, metendo com força, e o cara lá, olhando pro nada, pensando no dinheiro que vai receber, ou o que fazer com o dinheiro que recebeu, e a gente olha pra rola do ativo e pensa: "Não era pra esse cara estar tão tranquilo assim, olha a grossura dessa rola, ele não está tão largo assim.", e não entende. Como pode? Aí fica o ativo gemendo abafado, parecendo um sei lá o que relinchando, ambos gozam e acabou. Não tem nem um "Vai, me fode", ou algo parecido.

Então você vai tentando, tentando, procurando, entrando em vários sites, já adquire um vírus pro seu computador, uma extensão desgraçada pro seu navegador, o Baidu instala automaticamente, e nada de você achar um pornô nacional que te faça gozar. Sempre as mesmas coisas: ofurô, academia, futebol com os amigos, torcedores do Flamengo, entregador de pizza, no meio do mato, na construção inacabada, no meio da favela; vídeo com bombeiro, com traficante, com garoto de programa e assim vai, e nenhuma das histórias te agrada. Ou os caras olham constantemente pra câmera ou pro diretor do filme, ou os diálogos são péssimos, ou as músicas, puta que pariu, as músicas! Tá, vão me chamar de maluco por reparar nas músicas dos vídeos pornô, mas gente, é claro que eu vou reparar, e não por ser músico, mas é que as músicas que eles escolhem são tão bizonhas que, somada à péssima atuação, ao passivo que não geme, ao ativo desengonçado e tudo mais, quebram totalmente o clima. E outra, por que colocar música em filme pornô? A não ser que seja um que se passe no banheiro de uma balada (eu vi uma vez, mas foi horrível, o passivo tinha um gemido desesperadoramente estranho, até o ativo tampou a boca dele, o que me fez rir e desistir da punheta), a menos que seja algo assim, não coloquem música nos pornôs brasileiros. Ou em qualquer pornô! Ninguém quer ouvir música de caixinha de música enquanto assiste a uma suruba na sauna, ou na piscina do clube, a gente que ouvir o passivo gemer, pedir rola, ou o ativo xingar o infeliz de tudo que é nome, o barulho da virilha batendo na bunda, é isso que a gente quer ouvir, e não música de elevador, pô!

Então fica aqui a minha indignação, como espectador esporádico de vídeos pornôs (a minha imaginação é muito boa, modéstia à parte). Esse texto era pra ter entrado aqui ano passado, mas como eu não tava numa vibe muito legal, achei melhor guardar, e eu sabia que me seria útil, porque eu não tinha absolutamente nada pra postar aqui hoje.

Até terça que vem. E, espero que eu tenha alguma ideia, porque meus textos reserva acabaram. Fui!

Leia Também:
Leandro Faria  
Glauco Damasceno, do interior do RJ, é o colunista oficial das terças no Barba Feita. Tem aproveitado a fase de solteiro para viver tórridos casos de amor. Com os personagens dos livros que lê e das séries que assiste, porque lidar com o sofrimento do término com personagens é bem mais fácil do que com pessoas reais.
FacebookTwitter

Um comentário:

Jardel Messias disse...

Achei que eu era a única pessoa no mundo que ODIAAAAAAAAVA essas músicas nos pornôs. Não podia ser uma música discreta não, tem que ser uma música balada dos anos 60-80 para gerar todo o constrangimento.
E realmente, a falta de desenvolvimento da história, ou do clima, acaba comprometendo todo o processo. Os contos eróticos cumprem muito melhor essa lacuna. hahaha.
E enquanto tem atores que gemem de menos, outros gemem demaaaaaaais, e muitas vezes de forma bem forçada, o que já é mais um empecilho. hahaha.
No mais, completamente de acordo. Conseguiu exprimir todos os meus sentimentos quando eu tento assistir um nacional.