sábado, 16 de abril de 2016

Thiago Cazado, Gravem Esse Nome!





Hoje é dia de tietagem explícita aqui no Barba Feita. Pra quem ainda não conhece, quero apresentar Thiago Cazado, um ator brasiliense de 30 anos, com cara de adolescente, que me conquistou com seus trabalhos divulgados no Youtube. E como quem me conhece sabe que pra me conquistar tem que ser bom, vou contar como começou minha paixão pelo Thiago. Sim, confesso estar sentindo mais uma paixão platônica, uma parecida com a que senti por Caio Blat, aos 17 anos, quando ele estreou na Globo, em 1999, na minissérie Chiquinha Gonzaga (não é fácil, gente, minha lista de paixões platônicas tanto no real quanto na fantasia é longa).

O primeiro trabalho de Thiago Cazado que assisti foi o curta-metragem Like. Neste filminho de pouco mais de 17 minutos, Thiago não me chamou tanto a atenção, já a temática tão atual sobre os aplicativos de "pegação", conduzido pela direção e roteiro de forma claustrofóbica, melancólica e surpreendente, mexeu comigo. Num tempo relativamente curto, a história conseguiu passar o seu recado utilizando metáforas de maneira impecável.

Algum tempo depois, me deparei no Youtube com Para Eric, outro curta, com quase 30 minutos de duração, que narra a emocionante e impressionante história real do casal Arthur e Eric. Eric desapareceu há 4 anos e, desde então, Arthur o procura incansavelmente. O ator que interpreta Arthur (Rafael Cestari), o marido obstinado a encontrar o parceiro, está muito bem, mas é Thiago, na pele do companheiro desaparecido, viciado em drogas e desmemoriado, que me encantou com sua interpretação sensível e doce. Assistir Thiago Cazado nesse curta foi um tiro no meu coração, e nem posso falar que foi amor à primeira vista, porque em Like o talento e a graciosidade de Thiago me passaram despercebidos, e ao vê-lo como Eric não o associei ao protagonista do primeiro curta. O fato é que à partir do segundo trabalho de Thiago, ele não saiu da minha cabeça; nem o filme nem o Thiago.

Eis que essa semana, encontro por acaso um novo curta de temática LGBT e, surpresa, surpresa, Thiago é um dos protagonistas. Dessa vez lembrei dele de imediato. Em Tenho Local (19 minutos aproximadamente),Thiago Cazado flerta novamente com o vasto tema dos apps, mas agora num tom mais leve, uma comédia excitante, onde nem tudo é o que parece. Apesar da cara de menino fofo, Thiago é um ator versátil, faz bem e convence na pele de ingênuo, desmemoriado ou safadinho sem grandes mudanças físicas e caracterizações. É um ator sutil, que demarca bem seus papéis com um olhar ou tom de voz, características de atores realmente talentosos. Então, ao vê-lo num papel tão distante dos soturnos anteriores, virei fã de vez.

Fui procurar o garoto nas redes sociais. Encontrei-o, adicionei como amigo e mandei mensagem in box. Para minha surpresa, ele não só aceitou minha solicitação, como respondeu ao meu recado, super amável. Aí foi demais pra mim, constatei que mais do que talentoso e de uma fofura nível master, Thiago é simples e acessível. Um cara que faz o que ama, e ama quem curte o que ele faz. Então eu precisava fazer alguma coisa pra demonstrar todo o meu carinho e admiração não só pelo seu trabalho tão bonito, mas pela pessoa amorosa que ele é.

E se você ainda não se convenceu de que vale a pena conhecer o trabalho e o talento de Thiago Cazado, tenho mais algumas informações que podem ser interessantes.

Thiago mora no Rio de Janeiro. Começou a fazer oficinas teatrais aos 11 anos. Formou-se em Artes Cênicas. Além de atuar, ele também é roteirista e diretor, todos os curtas foram escritos por ele. Seu parceiro fiel nas direções dos curtas é Mauro Carvalho. Atualmente, viaja por algumas capitais do Brasil com a peça Enquanto Todos Dormem. Em março esteve em Brasília, este mês estará em Curitiba, maio em Salvador, junho em Fortaleza, julho é a vez de Belo Horizonte, agosto em Recife, e setembro, Rio de Janeiro. A peça está prometida para São Paulo, mas ainda sem data definida, espero não demorar muito pois estou ansioso para conhecê-lo pessoalmente. Antes de Enquanto..., Thiago também atuou nas peças Relatos Não Oficiais Sobre o Andar 43 Ih, Casei!. Assim como o curta de Daniel Ribeiro, Eu Não Quero Voltar Sozinho, virou o maravilhoso longa Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, Thiago Cazado, juntamente com seu parceiro de sempre Mauro Carvalho, transformará o divertido Tenho Local em longa para 2017. Desde já desejo fortemente tanto ou mais sucesso do que teve Daniel.

Como vocês puderam perceber, talento e garra pro trabalho Thiago tem de sobra, o rapaz não para e acumula funções, sua mente parece fervilhar. Eu virei fã mesmo e de agora em diante acompanharei tudo o que puder deste ótimo ator. Aposto em seu talento e acredito que ainda vai brilhar muito. Mas se tudo o que escrevi aqui ainda não foi suficiente para lhe convencer a conferir os trabalhos de Thiago Cazado, aí vai meu último argumento, e esse é matador. Repare bem nos olhos do moço, são caídos, puxadinhos pra baixo e tem um leve ar de tristeza, um castanho melancólico, que imprime a ele um irresistível jeito de filhote que caiu da mudança. Impossível não amar e querer dar colo.  

Ps.: Todos os curtas citados podem ser encontrados no Youtube, com links aqui mesmo nesse post, se é que você não percebeu...

Leia Também:
Leandro Faria  
Esdras Bailone, nosso colunista oficial do Barba Feita aos sábados, é leonino, romântico, sonhador, estudante de letras, gaúcho de São Paulo, apaixonado-louco pelas artes e pelas gentes.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: