terça-feira, 19 de abril de 2016

Sincronias Interessantes (e Especiais)





Lá estava eu  no ônibus, pensando na morte da bezerra, voltando do hospital. Enquanto olhava pra rua, o motorista do ônibus deu ré, fazendo soar aquele “Pi Pi Pi”, sabem? Então, esse sonzinho. Do lado do ônibus havia um carro preto dando seta, e a lanterna traseira estava piscando, curiosamente sincronizada com o “Pi Pi Pi” do ônibus. Eu fiquei olhando pra ver se em algum momento a sincronia ia parar, mas não parou. Durante todo o tempo em que o ônibus ia dando sua ré devagarzinho (olha o duplo sentido aí), a lanterna traseira do carro seguia firme em manter a sincronia com o alerta.

Aí eu fiquei pensando na diferença entre o carro e o ônibus. A óbvia diferença de tamanho, também a de formato, e tem também a diferença de potência, montagem, etc, e nisso me veio na mente a sincronia entre as pessoas que moram longe.

O nível das amizades virtuais hoje em dia é completamente diferente das amizades de antes. Graças ao Twitter e ao Facebook, você fala com gente do mundo inteiro, e acaba descobrindo em determinadas pessoas algumas afinidades, e isso, com o passar do tempo, cria uma sincronia bacana de pensamentos, entendem? As pessoas se ligam, se conectam de um jeito tamanho que é como se elas morassem na mesma cidade, fossem vizinhas, amigas de longa data.

São amizades que surgiram por causa de séries, por causa de música, por conta do Barba Feita, enfim, por uma série de motivos, e essas amizades são bacanas porque nenhum dos lados jamais se viu, e o vínculo que existe ali é muito interessante. São sincronias de pensamentos, de atitudes, que tornam essa conexão ainda mais especial, que te faz pensar que do outro lado da telinha tem alguém que pensa como você, e se identifica com você, e vocês são ótimos juntos, e que vocês precisam e merecem sentar num bar e tomar umas pra conversar pessoalmente, fortalecer ainda mais esse vínculo criado pela Internet.

Todo mundo tem amizades virtuais, algumas são apenas contatos, vocês trocam informações de vez em quando, sem muita empolgação, e outras são do tipo: 
“CARALHO, EU TENHO QUE MARCAR FULANO NISSO!” 
Ou: 
“PUTA QUE PARIU, POR QUE CICLANA NÃO TÁ AQUI PRA VER ISSO?!”
Não é? Não tô menosprezando o tipo um de amizade virtual, mas o tipo dois é bem mais legal, bem mais bacana, e se organizar direitinho, todo mundo se conhece, todo mundo se diverte.

Então fica aqui registrado o carinho que eu tenho pelos meus amigos virtuais, por tê-los na minha vida, e a gratidão por poder fazer parte da vida deles, mesmo que de longe.

Leia Também:
Leandro Faria  
Glauco Damasceno, do interior do RJ, é o colunista oficial das terças no Barba Feita. Tem aproveitado a fase de solteiro para viver tórridos casos de amor. Com os personagens dos livros que lê e das séries que assiste, porque lidar com o sofrimento do término com personagens é bem mais fácil do que com pessoas reais.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: