terça-feira, 14 de junho de 2016

Deixe o Seu Ex Em Paz!





Ei, você aí. É, você mesmo, aí no canto. Você que terminou com seu namorado, sua namorada, seu peguetinho, seu rolo, seu tico-tico no fubá, enfim, você aí. Deixa eu te dar uma dica rápida aqui: DEIXE O SEU EX EM PAZ!

É, é isso mesmo que você leu: DEIXE O SEU EX EM PAZ! Nada disso de “Ain, eu terminei, mas ainda gosto tanto, quero muito manter a amizade, sair junto, como amigos, etc...”. Nada disso, nada de ficar feito uma mosca varejeira em volta da pessoa. Não quis acabar? Não quis terminar com tudo? Então segue sua luz, tá bem? Esse recado é pra gay, pra bi, pra hétero, pra trans, pra lésbica, pra pan, pra todo mundo. Se não quer mais nada, não fica pentelhando a pessoa, caramba. 

“Ah, mas eu continuo gostando muito da pessoa, se ela precisar de alguma coisa, qualquer coisa, pode vir falar comigo.”. Nããão, meu querido ser humano, nããão. Se ela precisar de alguma coisa, não é com você que deve falar. Que fale com a ABIN, a CIA, o FBI, até com o Cojaque, mas eu acredito que não é com você que a pessoa vai querer falar, então faz igual a Elsa e let it go, para de ficar zumbizando em volta da pessoa. 

Ah, e pra quem levou o pé, tem uma dica rápida também: DEIXE O SEU EX EM PAZ! Pensa naquele famoso ditado que diz: “Amiga, para de passar vergonha, nunca te pedi nada!”. Foi Gandi quem disse, pode confiar. Para de ficar procurando, ligando, puxando assunto, para com isso. Dê um tempo pra pessoa e, principalmente, pra você. 

Nada disso é saudável, pelo menos não até ambas as partes estarem curadas do término. Se, depois de um tempo, a amizade surgir, rolar, etc, beleza, embora existam estudos dizendo que manter amizade com ex é coisa de psicopata; se vocês não se encaixarem nesse perfil de psicopatia, tudo bem, agora ficar nessa coisa, nesse sadismo, não é legal, então é esse o recado que o tio tem pra dar, beleza? 

Até a próxima terça!

Leia Também:
Leandro Faria  
Glauco Damasceno, do interior do RJ, é o colunista oficial das terças no Barba Feita. Tem aproveitado a fase de solteiro para viver tórridos casos de amor. Com os personagens dos livros que lê e das séries que assiste, porque lidar com o sofrimento do término com personagens é bem mais fácil do que com pessoas reais.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: