segunda-feira, 18 de julho de 2016

Ao Ser Elogiado, Apenas Respire





Estava de papo com um amigo e, não lembro o contexto, o elogiei por algum motivo. Ele ficou meio sem graça, sorriu, agradeceu, não soube direito o que responder. Não era nada demais, foi apenas um elogio sincero que, a meu ver, cabia no contexto. Não sei se falei do cabelo, ou se o corpo estava legal pelos exercícios físicos, algo do tipo. Mas mesmo isso o deixou inibido. E a situação me lembrou de uma coisa que me falaram certa vez, no passado, e que eu levei para a vida: ao ser elogiado, apenas respire o elogio; não é preciso mais nada.

Particularmente, quando elogio alguém, o faço porque quero e acho legal expor o que penso e sinto para a pessoa. A gente é normalmente tão criticado, se cobra tanto, que elogios são, para mim, revigorantes. Servem para deixar a pessoa feliz e, para quem elogia, não custa nada, apenas dizer a verdade. Mas mesmo assim, a maioria das pessoas não sabe lidar bem com elogios. 
Nossa, como você está bonita(o)! ou Parabéns, você arrasou naquele trabalho! Foi merecidíssimo!
Pronto, a pessoa fica vermelha, sem graça,  não sabe se agradece ou se refuta.

Veja bem. A gente sempre quer estar bonito. A gente se arruma pra isso, se mata fazendo exercícios pra isso, fica na frente do espelho pra isso. Seja pra se sentir bem com a gente mesmo ou para os outros, estar apresentável é um objetivo diário de cada um. Mas, quando somos elogiados por isso, normalmente não sabemos o que fazer. A gente dá o nosso melhor no trabalho, procura fazer com que o resultado almejado aconteça e, quando dá certo, travamos ao ser elogiados pelo nosso desempenho.
Ah, que isso, que nada...
Isso acompanhado daquele rubor e de um ar de que se foi pego fazendo algo errado. Apenas por ter sido elogiado.

Eu mesmo não sabia lidar direito com elogios. Mesmo sabendo que muitos dos elogios são devidos, quando ouvimos de outro que nosso objetivo foi atingido naquele quesito, refugamos, tentando explicar, nos colocando abaixo do que está sendo dito. Bullshit!

Assim, eis a técnica que me foi apresentada e que eu acho válida para todos, para a vida: ao ser elogiado, apenas respire.

Ouça o elogio, sorria, inspire e respire. Não precisa agradecer, não precisa refutar, apenas dê aquela respirada, inspirando, sugando o elogio, colocando um sorriso no rosto e seguindo com a sua vida. A pessoa que elogiou ficará feliz, você ficará feliz, e o elogio, que te fez tão bem, terá sido processado pela sua respiração e devolvido ao mundo à sua volta, espalhado pelo ar. Até mesmo se o elogio não passar de puxa-saquismo ou forçação de barra; nesses casos, respire, mesmo que seja com um sorrisinho amarelo no rosto.

Assim, já sabe:
Você está lindo hoje! / Nossa, que maneiro o que você fez com esse trabalho. / Ah, quando eu crescer eu quero ser como você!
 Apenas respire. O oxigênio, os elogios, a vida.  E apenas continue a respirar!

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: