terça-feira, 26 de julho de 2016

Deus e o Diabo (e o Facebook, o Instagram, o Zodíaco, o Snapchat...)




Dia desses eu li um texto que o título era algo como "Relacionamento fora das redes dura mais", ou algo assim. Li metade do texto e fiquei meio assim:


Quais são as coisas que uma pessoa mais ouve quando termina um relacionamento? Você aí do canto, fala pra mim. Você que tá lendo esse texto ao invés de terminar aquela planilha que tá enrolando pra fazer desde que chegou no trabalho, quais são as frases "consoladoras"? 

Pois vamos lá:
  • Ah, melhor assim, Deus sabe o que faz!
  • Foi Deus que quis assim, fica tranquilo que o melhor está por vir...
  • Mas também, fica expondo seu namoro na Internet, o povo coloca olho gordo mesmo.
  • Isso aí é obra de Satanás, que fica usando as pessoas com inveja, pra semear discórdia.
  • Aposto que foi inveja alheia!
Já parou pra pensar que não foi o famoso olho gordo o responsável pelo término do seu relacionamento? Já parou pra pensar que, muitas vezes, a culpa é nossa, mas a gente adora colocar a culpa em alguém, ou alguma coisa, pra poder seguir mais aliviado? Sim, porque é muito fácil dizer que foi culpa da exposição do relacionamento nas redes sociais o fato de vocês terem terminado, de não ter dado certo, ao invés de: "Eu mandei nudes pra outra pessoa.", ou "Eu traí quem eu estava namorando.", ou "Acabou porque tinha que acabar."

É sempre a mesma ladainha: "Foi Deus quem quis assim.", ou "Foi o Diabo o culpado.", ou "O signo não era compatível com o meu.", ou também: "É a Lua em Câncer, sabe como é...". É muito mais prático colocar o erro numa entidade, ou no Universo, ou na vizinha do lado (ou vizinho, se preferirem), do que assumir. 

"Sabe como é, a carne é fraca, aí eu fui lá e mandei, mas foi nude conceitual...". Que diabos é isso de nude conceitual? Não olhem pra mim, eu não sei a resposta. O que eu sei é que muita gente prefere colocar a culpa... sei lá, na curtida que o namorado ou namorada deu na foto de Fulano/Ciclana. "Tá curtindo a foto dessa vadia por quê?! Vamos terminar!". Ah, me poupe, vai. 

Não existe uma regra pra exposição de relacionamento, até porque eu sei de gente que não expõe o relacionamento na Internet e ainda assim o negócio tá mal pra caramba (mas não vamos fazer fofoca porque mamãe me ensinou que pior que mulher fofoqueira, é homem fofoqueiro. Mas que tá mal das pernas, isso tá). 


Poxa, quer dizer então que eu vou ter que me privar de postar uma foto com meu namorado porque as invejosas não se contentam com a felicidade alheia (Não contei? Tô namorando. Pronto, reforçamos o vínculo.)? Vou ter que ficar compartilhando a alta do Dólar? A alíquota do ISS? 

TÁ, TUDO BEM, também não é pra fazer do Facebook (ou "feiçe") um nojo, né? Assim ninguém aguenta, mas postar uma foto aqui, outra ali, uma declaração no mural do "feiçe" de vez em quando é bom, é saudável, mas não pra mostrar pros outros que você está namorando, ou feliz, nada disso, mas apenas se partir do seu coração aquele desejo de postar aquela foto, ou declaração, o que for. 

Então, vamos rever esse negócio aí de exposição de relacionamento, afinal quem faz uma relação acontecer mesmo são as pessoas envolvidas, independente de quantas sejam. 

Leandro Faria  
Glauco Damasceno, do interior do RJ, é o colunista oficial das terças no Barba Feita. Tem aproveitado a fase de solteiro para viver tórridos casos de amor. Com os personagens dos livros que lê e das séries que assiste, porque lidar com o sofrimento do término com personagens é bem mais fácil do que com pessoas reais.
FacebookTwitter

Nenhum comentário: