sexta-feira, 15 de julho de 2016

O Mal é a Hipocrisia





Nesta semana, dois assuntos "bombaram" na imprensa e redes sociais, provando, mais uma vez que a hipocrisia reina em tempos modernos. Esses dois tópicos, que já deveriam ser considerados corriqueiros para a maioria da população, ainda são motivos de discórdia.

O primeiro foi a cena exibida no capítulo da última terça-feira na novela Liberdade, Liberdade, trama fictícia que se passa no período pós-Inconfidência Mineira e protagonizada pelos atores Ricardo Pereira e Caio Blat. Teve beijo, agarra-agarra, uma alisadinha, foco na bunda do ator português, lambida no peito, corpos suados e mãos entrelaçadas pós-sexo, com os dois atores abraçados em conchinha.

A cena, muito bem dirigida e com uma luz impecável, ficou linda. Não havia nada de pornográfico ali, mas obviamente já foi motivo de protestos intermináveis em defesa da família tradicional brasileira. Ora bolas... Essa novela se passa após às 23 horas. Cenas semelhantes (e bem mais ousadas) foram exibidas em Verdades Secretas e não causaram esse estardalhaço todo. E eu sou sempre adepto do estilo "se estou incomodado com a cena, o controle remoto está ao alcance dos meus dedos". Troco de canal. Simples assim.

Os dois atores brilharam. Caio já é oldschool. Lembro de um filme que ele participou em 2002, chamado Cama de Gato, onde três jovens alienados da classe média paulista, no maior estilo Clockwork Orange estupram e matam uma adolescente. Depois do episódio, eles tentam se livrar do corpo da jovem e se metem numa enrascada que, no desenrolar do filme, só vai se tornando cada vez pior. Sem querer dar spoiler, o que mais me assustou nesse filme (confesso que tive que parar várias vezes, pois fiquei literalmente sem ar, no sentido claustrofóbico da coisa) foi que as saídas mais absurdas encontradas para resolver o problema saíram da cabeça de estudantes reais. Pessoas de classe média alta, graduandos. Todas as falas foram gravadas pelo diretor e exibidas nos créditos finais do filme; ou seja, pessoas ditas "normais". Olha aí a hipocrisia.

O outro assunto foi o bafáfá (nossa... quanto tempo que não escrevo essa palavra, já demodê, já que agora virou bas-fond, ou bafão) que a escola de samba Beija-Flor de Nilópolis provocou quando, divulgou uma nota à imprensa dizendo que no carnaval do ano que vem, sua tradicional ala das baianas virá com os seios nus. A fantasia está totalmente dentro do enredo, já que elas virão representando as velhas sábias índias do romance Iracema, de José de Alencar, mas isso despertou a ira dos conservadores. 

As pessoas se esquecem que o desfile de carnaval é antes de tudo, teatral. A cada ano que passa, se torna ainda mais. Também esquecem que a escola de samba de Nilópolis foi uma das que mais ousou em toda sua trajetória. Esquecem que a memória da escola está totalmente interligada à figura do craque Joaosinho Trinta, o carnavalesco mais criativo que a história momesca já teve. O cara que inventou os resplendores, colocou figuras humanas em carros alegóricos e muitas mulatas de peitos de fora.

As mulatas peladonas todo mundo acha lindo. As fotos de Sebastião Salgado com índios completamente nus, com seios e paus de fora são considerados obras artísticas. Mas as baianas, velhas senhorinhas rodopiando na avenida em um momento que promete ser arrebatador, é taxado como um absurdo.

Em 2005, em América, a autora Gloria Perez escreveu uma cena de beijo entre Bruno Gagliasso e Erom Cordeiro no último capítulo. A cena foi gravada, mas não foi ao ar. Anos antes, em Torre de Babel (1998), as personagens de Silvia Pfeifer e Christiane Torloni foram mortas pelo autor Silvio de Abreu pois o público não aceitava a presença das duas homossexuais na trama. Somente em 2014, com os personagens Felix (Mateus Solano) e Niko (Thiago Fragoso), o beijo aconteceu, no último capítulo de Amor à Vida. No ano seguinte, na novela Babilônia, o beijo gay entre as duas damas do teatro Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg fez a audiência despencar. Afinal, duas velhinhas também não tinham o direito de se amar.

"Essa cena entre dois homens é nojenta", foi a declaração que ouvi de um conhecido se referindo à cena exibida na última terça... Um completo idiota que trai sua esposa em saunas repletas de garotas de programa, que já pagou (e provavelmente ainda paga) travestis da Glória e que se masturba escondido trocando nudes pelo WhatsApp.

Hipocrisia é o mal desse povo.

Leandro Faria  
Marcos Araújo é formado em Cinema, especialista em Gestão Estratégica de Comunicação e Mestre em Ciências em Saúde. Nas horas vagas é vocalista da banda de rock Soft & Mirabels, um dos membros da Confraria dos Bibliófilos do Brasil, colunista do Papo de Samba e um dos criadores do grupo carnavalesco Me Beija Félix. E também o colunista das sextas-feiras aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


7 comentários:

Unknown disse...

Perfeito Marcos Araújo!
Por isso cada dia mais afirmo que sou seu fã.

Aconteceu disse...

Ótimo texto...Parabéns.....

Anônimo disse...

e se fosse a tua filha, a tua irmã ou a tua mãe? Tu ainda ia continuar achando moderno, ousado e bonito?

Anônimo disse...

TEXTO PRETENSIOSO UM LIXO. TENTAR EMPURRAR ISSO EM NOSSAS GULAS COMO SENDO NORMAL E UMA PROVA DE AMOR. NUNCA!!!!!
OS HIPÓCRITAS FALAM QUE É NORMAL, NÃO É NÃO, NORMAL É HOMEM E MULHER. NÃO HÁ NADA DE NORMAL NISSO, EM NENHUM DOS SEGUIMENTOS DE NOSSO MUNDO, SEJA ELE RELIGIOSO OU CIENTIFICO. ISSO É ABERRAÇÃO.
FALAR QUE É NORMAL É HIPOCRISIA, ATÉ POR QUE NINGUÉM AQUI QUER TER UM FILHO NESSA SITUAÇÃO ANORMAL VERGONHOSA. ATÉ MESMOS OS GAYS QUANDO PERGUNTADOS, SE DEFENDEM DIZENDO, QUE SE PUDESSEM SERIAM UMA PESSOAL NORMAL.
CADA UM FAZ DE SUA VIDA O QUE QUISER E CONDUZ DA MANEIRA QUE ACHA MELHOR, ISSO EU RESPEITO, MAS QUERER TRANSFORMAR ISSO EM UMA NORMALIDADE, NUNCA VAI ACONTECER. QUERER QUE AS PESSOAS VEJAM, ISSO COMO NORMALIDADE, IMPOSSÍVEL. ISSO É ANORMAL, ÓRGÃO EXCRETOR NÃO REPRODUZ, SERIA O FIM DA HUMANIDADE.

Anônimo disse...

Texto maravilhoso! Hipócritas não passarão!

Anônimo disse...

As pessoas nunca vão aceitar os gays,aos que defendem peço que incentivem seus filhos a ser.

Márcia disse...

Parabéns pelo lindo texto. Marcos!!! Como vc mesmo escreveu (e como eu penso) é só pegar o controle remoto e trocar de canal ou,simplesmente, desligar a tv. A hipocrisia é tão grande que o capítulo de terça-feira bateu recorde de audiência... Cara, a novela começa após às 23h...se bateu recordo de audiência é porque os "hipócritas" estavam ansiosos para assistir a cena... Só isso... Depois de "matar" a curiosidade, aí, sim, vamos falar mal da Globo, dos gays, do Papa, enfim, vamos falar mal... Afffffff... Bando de hipócritas!!!