terça-feira, 9 de agosto de 2016

Não, Não Sou um Zumbi Alienado. Estou Apenas Me Divertindo, Dá Licença?!





FINALMENTE O POKÉMON GO FOI LANÇADO NO BRASIL! E a gente tá como???


Após uma longa espera, finalmente nos foi concedida a oportunidade de fazer parte da febre do momento. E assim que o jogo foi lançado aqui, diversas pessoas ao redor do país já começaram a se manifestar, postar suas capturas, seus níveis de experiência, trocar informações com seus colegas e amigos, e assim por diante. Ou seja, todo mundo seguindo um dos objetivos do jogo. 

Aí começou: "Ai, não vejo a hora dessa modinha passar pra vocês pararem de falar desse jogo, não aguento mais."; "Por isso que o País tá como tá, ninguém se preocupa com o Brasil do jeito que se preocupa com caçar esses bichos nesse jogo idiota.""Ao invés de procurar emprego, fica procurando pokémon."; "Fica todo mundo que nem zumbi andando e olhando pro celular, ainda bem que não faço parte dessa alienação.".

Pois então deixa eu te falar, cara cidadã, caro cidadão ocupado(a) demais pra jogar, culta(o) demais pra aderir a uma "modinha": eu não sou um zumbi alienado, ok? 

Qual foi? Não pode mais se divertir? Ou só pode se divertir lendo Olavo Bilac, vendo a cotação do dólar, o preço da arroba, ou assistindo Os Dez Mandamentos? É só assim que pode? Quem joga Pokémon Go não pode saber Matemática? Quem assiste Game of Thrones/Stranger Things não tem inteligência suficiente pra discutir a atual situação política do Brasil? 

Culpar o atraso do país sempre que uma "modinha alienadora" aparece pra entreter a população é o mesmo que destacar a fome na África sempre que um assunto LGBT ganha destaque, então já pode mudar esse argumento, porque aqui não cola. Dizer que, ao invés de trabalhar/procurar emprego, fica perdendo tempo com série e jogo também já tá batido. Você que tem seu emprego, já tentou ser um desempregado ou uma desempregada nessa crise? Pois eu sim, eu tô desempregado, e não é jogo nenhum que vai me impedir de procurar emprego, muito pelo contrário. 

E outra: se não gosta assim da atração atual, por que faz textão contra? Um, dois, três... Todos nós sabemos que a linha entre o amor e o ódio é bem tênue, então acho bom dar uma avaliada aí nessa sua revolta, caro amigo, cara amiga, porque você pode estar super afim de jogar, mas não quer se render porque seus amigos não gostam, hein... 

Aí fica: "Ai, infância boa era aquela que crianças brincavam na rua, de bolinha de gude, soltando pipa, brincando de esconde-esconde, não essas coisas de tecnologia.". Concordo! Mas agora me diz, qual o problema? O fato dessa geração se jogar nos jogos virtuais não as faz ser menos crianças, muito pelo contrário! E ah, na minha rua as crianças ainda brincam de carrinho, soltam pipa, e esses dias mesmo elas estavam brincando de polícia e ladrão, ou seja, essa infância que tu tanto veneras, não tá totalmente morta, ela apenas tá um tanto quanto apagada pelas circunstâncias. 

E vai lá o maduro, a culta, postar no "feiçe", e um monte de gente concorda, curte, comenta, "Posso curtir mil vezes?", essas coisas. Então, ao invés de chamar os outros de zumbis alienados pela tecnologia, por que, ao invés de reclamar nas redes, você não vai lá pra rua com esses amigos brincar de bete? Queimada? Nossa, quanto tempo que eu não jogo, última vez foi no Ensino Médio. Vai, vai brincar, ninguém vai te recriminar por isso, ou fazer textão. 

Faaaaaz um textão, nossa, perde um tempo falando sobre algo que não gosta, pra julgar quem gosta! Você faz o que prega na vida real? Se faz, parabéns, agora não vem pagar de certinho virtual porque ativista virtual tem aos montes e eu conheço vários. Estão lá as leis trabalhistas sendo alteradas e o país tá como? Bem dormindinho, não vi textão, não ouvi panelas, não vi manifestações, apenas críticas aos jogadores. 

Quem joga (o jogo que for), quem assiste série, quem vê filmes de ficção, lê livros de ficção, não é menos culto de quem lê colunas políticas, econômicas, assim como quem lê as mesmas não é tão culto assim. Deixa as pessoas curtirem a vida. Ninguém tá criticando seus textões sobre os assuntos que você gosta, então, por que você vai se dar ao trabalho de criticar as pessoas por gostarem de algo que você não? 

Fica a dica e até a próxima! 

Leia Também:
Leandro Faria  
Glauco Damasceno, do interior do RJ, é o colunista oficial das terças no Barba Feita. Tem aproveitado a fase de solteiro para viver tórridos casos de amor. Com os personagens dos livros que lê e das séries que assiste, porque lidar com o sofrimento do término com personagens é bem mais fácil do que com pessoas reais.
FacebookTwitter


5 comentários:

Anônimo disse...

O povo adora criticar tudo. Parece que enxergam a felicidade/relaxamento/entretenimento dos outros com inveja.

Anônimo disse...

Como se chama o jogador de Pokemon-go?
Pokemongol!

Leandro Faria disse...

Como se chama o comentarista anônimo da internet?

Covarde, imbecil ou, se preferir, apenas idiota.

:-)

Anônimo disse...

O problema não é ser alienado ou não, mas sim ver esse pessoal de 30 anos se preocupando tanto com Pokemon, a ponto de escrever criticas como essa...

Glauco Damasceno disse...

Oi, Anônimo. Cê deve ter mais de trinta anos também, né? Enfim, mesmo que não tenha, por que não mostra a cara na hora de criticar? Eu não mordo, ninguém aqui morde. Vamo, bora criticar dando a cara a tapa, poxa vida! Vem você também!