domingo, 21 de agosto de 2016

Porque a Expectativa Vai Acabar Com o Mundo





É natural criar expectativa. É como esperar que, ao inspirar, o oxigênio entrará em seus pulmões e fará todo o processo biológico de te manter vivo. Isso acontece automaticamente, sem que tenhamos que nos preocupar em "melhor pensar duas vezes antes de respirar hoje". Por que a expectativa, ao contrário do oxigênio, é tão maléfica para os seres humanos? Isso é o que eu queria descobrir e estabeleci um novo modo de escrever sobre assuntos que não são de meu profundo conhecimento, e isso consiste em coletar o máximo de informações que o deus Google possa me oferecer. 

Para entender mais sobre expectativa, criei a minha própria ao achar que encontraria muitas fontes da psicologia que detalhassem todo o processo químico-emocional que essa palavrinha causa dentro de nós. Quebra número 1: aparentemente a palavra "expectativa" está majoritariamente atrelada à expectativa de vida ou à teoria da expectativa, um conceito criado por um moço chamado Victor Vroom, e muito usado no mundo dos negócios. De uma forma ou de outra, a expectativa aparece conectada a valores materiais. 

Meus traços taurinos, no entanto, me fazem uma boa escorpiana teimosa, e não desisti tão fácil. Poucas pessoas experimentam a aventura que é clicar na página 7 ou 8 da pesquisa do Google. É um mundo sombrio, talvez inabitado. São sites e referências quase nunca vistas, sem cliques suficientes para tornarem-se importantes. Pois bem, ainda que eu goste um tanto do conceito underdog, e seja protetora dos fracos e oprimidos, existe uma razão pela qual as páginas 7 e 8 (em diante) nos oferecem informações um tanto quanto duvidosas. O primeiro link que encontrei sobre o campo psicológico da expectativa carregava o título de "4 passos para se tornar uma pessoa emocionalmente forte". Hum... A minha expectativa é de que teria uma animação onde um pequeno ser seria a emoção e ela estaria levantando um halter de 2 toneladas. Suando. E ficando forte.
Eu confesso que adoro ouvir explicações sobre esse assunto, mesmo querendo rir por dentro. Quebra número 2: as pessoas não fazem ideia do que estão falando.

"Uma pessoa com uma boa resistência mental é aquela que se mantém forte diante de uma situação complicada". Foi nessa frase que comecei a ter arrepios e gargalhadas de nervoso. Tem tanta coisa errada nessa citação que eu precisaria de uma semana aqui no Barba para desconstruir cada letrinha. 

O texto continua, agora já com o passo número 1. Reproduzindo o mesmo absurdo da introdução, mas agora de forma mais ampla, o artigo sugere uma confirmação usando uma autora publicada pela Forbes que faz a correlação entre "grandes líderes" e suas habilidades emocionais. A sequência dos passos é igualmente superficial e o artigo ainda ilustra com fotos potencialmente ridículas. 

Para a minha pesquisa pessoal e sem valor acadêmico, confirmo que até agora continuei sem saber o que a expectativa causa, de fato, no ser humano.

Resolvi tentar um segundo link. "Eu sou Forte", era o título. Apesar disso, o texto falava mais sobre o viés psicológico da coisa toda, relacionando expectativa com medo, sensações psicossomáticas e ditados de avó (o que eu, particularmente, acredito serem melhores do que teses acadêmicas). Mas termina do mesmo jeito: devemos controlar nossas expectativas para evitar frustrações. Quebra número 3: as pessoas condicionam tudo o que é difícil à soluções que na teoria parecem bem simples, mas na prática não são possíveis. 

Li mais uns 25 textos e autores, e concluí que:
  1. não há estudo suficiente sobre o assunto;
  2. não há comprovação suficiente sobre os efeitos;
  3. não há solução alguma. 
Acho que, no fim das contas, a expectativa é um refúgio natural e vicioso dos seres humanos. Levando em conta que nossa tendência é sempre à inércia, à autodestruição e ao negativismo, fica claro que a expectativa é um produto criado por todas essas nossas células vampirísticas que existem, seja você o próximo Dalai Lama ou não. Como tudo na vida, sair dessa configuração requer um esforço e uma movimentação não-natural do que nos é facilmente dado como condição. Não criar expectativa talvez seja impossível. Mas o que deve ser observado é sobre o que se cria e de quem se espera qualquer coisa. Primeiro devemos nos conhecer, entender que tipo de pessoa eu sou e espero ser, e que tipo de pessoa vai me confirmar isso. Quando há a quebra, é necessário observar o que, de fato, se quebrou. Foi a sua imagem ou a sua necessidade? 

Processos, meus caros. Sempre processos longos e árduos. A expectativa vai destruir o mundo até que a gente aprenda a olhar pra dentro. Temos muito para descobrir.

Leandro Faria  
Patricia Janiques, 30 anos, produtora cultural, escritora, roteirista e publicitária somente nas horas vagas. Tem medo de cachorros e egoísmo, não curte chocolate mas é adicta a goiabada e acha que arte e meditação podem mudar o mundo.
FacebookTwitter


Um comentário:

Homem, Homossexual e Pai disse...

meu Deus! eu sou tão ansioso, tenho tanta expectativa que quase nem cheguei ao fim do texto! kkkk