segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Entre Aspas (ou Diálogos Reais Totalmente Surreais)





Porque na minha vida, o que não faltam são diálogos surreais. E hoje eu resolvi compartilhar algumas conversas que tive recentemente por aí.

Sejam bem-vindos ao meu mundo!
___

Trabalhando nas eleições municipais durante o primeiro turno no Rio de Janeiro, ajudando especificamente quem precisava justificar o seu voto por estar fora do seu município eleitoral, travei o seguinte diálogo com uma jovem de aproximadamente 25 anos:

Ela: Moço, o que eu escrevo aqui nesse campo?
Eu: Aí diz assinatura.
Ela: Tá. O que assino?
Eu: Seu nome?
Ela: Tem certeza?

Cara de paisagem.
___

Eu dirigindo pelo litoral de Santa Catarina, de férias, indo de Itapema para Balneário Camboriú. Namorado de copiloto, responsável por me apontar os caminhos mostrados pelo Waze.

Ele: Daqui a 5 kms você pega a saída à direita.
Eu: Mas qual direita?
Ele: Como assim?
Eu: A minha direita, a sua direita ou a direita de quem vai?
Ele: A direita do lado de cá (aponta com a mão para o lado dele).
Eu:  Ah, tá. Ok.

Cinco quilômetros depois eu quase saí no lado errado. :-P
___

Logo depois de conhecer alguém aleatório nas minhas férias em Santa Catarina.

Ele: Você faz muito o meu tipo.
Eu: Ah, é? Curioso. Qual seu tipo?
Ele: Maduro, grisalho, parrudo, como você!

Confesso, o "parrudo" foi um tiro no ego.
___

No trabalho, atendendo a uma cliente via telefone, nos deparamos com um problema, já que ela não conseguia me enviar uma imagem de um contrato por email (até agora eu não sei o motivo). Então ela pediu o meu "zap" (ODEIO quem chama assim o app) e eu, reticente, já que não é praxe fornecer número particular para clientes, passei. Ela não conseguiu me adicionar e, por isso, com o número dela em mãos, iniciei o seguinte diálogo:


Traduzindo: em minha foto de perfil eu estou numa piscina, mas a foto recortada na metade do meu tronco. E ela achou isso uma nude. Tão inocente... Ah, se ela soubesse como são as minhas nudes.
___

E por hoje é só. Texto curtinho, só pra descontrair e fugir um pouco dessa realidade bizarra em que estamos inseridos atualmente. É rir pra não chorar...

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


Um comentário:

Suzana disse...

Maduro, grisalho, parrudo, como você!

adorei! ri muito!