sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Marilene, Não Se Mete! (na Poli-titica)





Já aprendi que futebol e política não se discute. Mas o dedo coça. Com o resultado parcial das eleições municipais, o comichão aumenta. Não dá pra deixar de comentar. Era pra ser somente um desabafo, mas não resisti. Se alguém discorda, sorry, democracia é isso mesmo. E se não gostou, "Marilene, não se mete, pois essa casa também é minha".

O resultado já previa o esperado: Crivella X Freixo. E revelou que a população carioca já está de saco cheio da ladainha peemedebista. Indicar o inexpressivo Pedro Paulo foi uma das estratégias mais furadas da dupla Paes-Cabral, que depois daquele triste episódio ultimate-fighting com a mulher, o cara já entrou queimado. Até acredito que os eleitores, sempre com aquela síndrome da memória fraca, esqueceriam o fato, mas ele estava ainda estava muito presente. Além disso, era patético ver o candidato prometer que resolveria o problema do SISREG - uma das coisas mais desorganizadas que existem na área da saúde pública. Mas "pera-lá", o cara já não é o braço direito do atual prefeito? Por que não resolveu então nos 8 anos em que esteve na prefeitura? Ladainha... conversa fiada. A saúde está destruída. O Estado e a Prefeitura, unidos com as contratações de organizações sociais (OS´s) administrando o que é dever deles. Isso é ridículo. A saúde é um dever do Estado e município, que tem que aplicar (constitucionalmente) seus recursos próprios, além dos repassados pela União para o SUS. O Estado, que coordena a alta complexidade e hospitais de referência precisa repassar 12% de sua receita. O município, responsável em garantir a atenção básica e criar políticas de saúde precisaria aplicar 15% de sua receita. E, obviamente, o aplicado não chega neeeeeeem perto disso. Basta você precisar de um atendimento em qualquer hospital (em qualquer esfera). 

Está tudo sucateado.

Outra idiotice foi colocar Cidinha Campos como vice. Gente, na boa, quem aguenta a metralhadora-Cidinha-Campos? Ela e Marta Suplicy, que disputou a prefeitura de SP, deveriam dar as mãozinhas e sairem pela porta (dos fundos) da política e nunca mais dar as caras.

E o que era aquela pseudo-esquerda-pulverizada? Qual era o combinado? Derrotar o PMDB e o bispo, né? Então queria entender o porquê desses ataques sem sentido entre Freixo, Molon, Indio, Jandira e Osório. A impressão que tive era que cada um não queria largar seu próprio ossinho com alguns nacos suculentos. "É meu e ninguém tasca", mesmo sabendo que não havia tanta carne ali pra ser devorada. Todos acharam que tinham chances por puro ego.

Por isso, o maior vitorioso (pelo menos até aqui) foi Freixo, que com seus inacreditáveis 11 segundos disponíveis no horário eleitoral gratuito, tal qual um Davi, enfrentou o PMDB Golias e sua máquina e saiu 65 mil votos na frente, ajudado muito por quem? Pelas redes sociais!

Mas agora é que terá início a verdadeira luta. Segundo turno sempre é desgastante demais. E as alianças-cara-de-pau atrás de votos (e secretarias) vão começar. E pra variar, o PMDB, o partido mais sem noção da história desse país, que fica sempre em cima do muro, vai tombar para onde for mais conveniente, deixando de lado qualquer ideologia (que convenhamos, não existe). Os dois candidatos querem distância da aliança, mas eu não duvido mais de nada.

É esperar pra ver a vergonha alheia que vai começar a pipocar nos próximos dias.

Infelizmente, mais um Bolsominion (eles se multiplicam que nem Gremlin, gente? - me explica!) entrou para a Alerj, mas felizmente o bacana Professor Tarcísio está lá pra contrabalançar.

Ah, e o Agnaldo Timóteo, heim? Detentor do jingle mais chato da história dessas eleições, vai cantar ao lado de Cidinha e Marta Suplicy, ou debulhar em lágrimas ao lado de Marilene, já que, como minha vó já dizia, "vai chorar na cama que lá é lugar quente".

Leandro Faria  
Marcos Araújo é formado em Cinema, especialista em Gestão Estratégica de Comunicação e Mestre em Ciências em Saúde. Nas horas vagas é vocalista da banda de rock Soft & Mirabels, um dos membros da Confraria dos Bibliófilos do Brasil, colunista do Papo de Samba e um dos criadores do grupo carnavalesco Me Beija Félix. E também o colunista das sextas-feiras aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


4 comentários:

Marcia Marino disse...

Lindo texto!! Amei!!! E que vença o Marcelo!!!! kkkk

Marcia Marino disse...

Lindo texto!! Amei!!! E que vença o Marcelo!!!! kkkk

Galvam disse...

Fala sério! Marcelo Freixo na prefeitura? Qual é os Black Blocks serão oficializados junto com a milícia? E Cidinha Campos? Falar mal daquela mulher guerreira que nunca, mas nunca mesmo mentiu numa denúncia?
Acéfalos! Acéfalos! O Rio de Janeiro sofre por que o carioca tem o dedo podre para política! Fodam-se!

Jardel De Melo Carneiro disse...

bolsonaro2018!!!!!