terça-feira, 25 de outubro de 2016

Sete Motivos Para Assistir Scandal





Quem me conhece sabe que eu AMO Scandal. Já assisti a série toda umas quatro vezes (enquanto a série ia sendo exibida eu ia revendo as temporadas anteriores), e foi tipo amor à primeira vista. A dinâmica da série, os personagens, os enredos, a trilha sonora... Tudo me pegou de jeito e me fez amar incrivelmente essa essa produção.

Então, pega uma taça de vinho, uma bacia de pipoca, e vem comigo, porque a minha missão hoje é convencer você, amiguinho(a), a assistir essa delícia, criada por Shonda Rhimes (de Grey's Anatomy e How To Get Away With Murder).

1 - A Temática

Embora seja uma série com advogados, com casos que poderiam, e muitos deles deveriam, ser julgados em tribunal, os advogados da Oliva Pope & Associates são "fixers", eles consertam problemas, cagadas e coisas do gênero, não importa como, não importa quem seja o cliente e, geralmente, esses clientes são os figurões de Washington, cidade onde se passa a série. Governadores, senadores, congressistas e até mesmo o próprio presidente se tornam clientes de Olivia Pope, brilhantemente interpretada por Kerry Washington.

Alguém está te difamando? Te acusaram de assassinato e você é inocente? Chame Olivia Pope, ela faz tudo isso desaparecer, e você não precisa ir para o tribunal.

2 - A Trama Política

A política na série é algo muito gostoso de ser visto, porque não é difícil de ser entendido, sabe? A cada episódio, os bastidores da Casa Branca vão se abrindo, e não é aquela coisa técnica, cheia de termos oficiais, jargões e coisas do tipo, que você fica assim: "Ah, ok, beleza...". Você realmente entende a mensagem, e esse foi um ponto forte que me fez gostar da série, essa praticidade em explicar a política, a corrida presidencial, debates, partidos, todas essas informações.

Na quinta temporada, Scandal andou lado a lado com as eleições presidenciais dos Estados Unidos, criando assim sua Hillary e seu Donald de forma genial.

3 - A Trilha Sonora

Scandal é uma série atual, estreou em cinco de abril de 2012, e abusa da boa soul music em sua trilha. James Brown, Ottis Redding, Nina Simone, Aretha Franklin, entre outros grandes artistas atemporais, têm suas músicas em diversas cenas da série, e cada uma delas cai como uma luva. O contraste entre músicas dos anos sessenta/setenta e uma trama nos dias atuais é delicioso, e deu o tom certo (perdão pelo trocadilho) na série, criando uma identidade única. 

O que eu acho mais engraçado dessa questão musical é como ela é encaixada na série, seja quando a equipe de Olivia está fazendo a ficha de um cliente, seja durante a organização de um casamento ou numa cena reflexiva, as músicas são colocadas pra deixar cada cena mais natural e real possível, e eu achei ótima a ideia de usarem soul music como trilha pra série, realmente foi um diferencial.

4 - As Personagens Femininas

Não tem UMA personagem feminina que seja ruim em Scandal. E por ruim não digo no sentido de bom e mau, mas sim no sentido de ser tão bem interpretada que mesmo sendo ruim, a personagem é boa. 

São personalidades completamente diferentes, daquelas que você não sabe qual quer ver em cena primeiro, não sabe se torce contra, a favor, porque de novo, são tão bem interpretadas, que mesmo fazendo suas burrices, você diz: "Caralho, que burra, te odeio!", e logo em seguida: "Mas que foda, arrasou!"

São mulheres empoderadas, que sabem seu lugar no mundo, sabem o que querem e fazem o que for preciso pra conseguir alcançar seu objetivo.

5 - A Arte Imita a Vida

Inspirada em Judy Smith, ex-assessora de imprensa do governo de George H. W. Bush, e gestora de crises, que resolvia muitos casos como os exibidos na série, Olivia também conta com sua intuição na hora de resolver algum assunto, e assim como Judy, pede total honestidade de seus clientes. 

Além de escrever o blog What Would Judy Do? para cada episódio da série, Judy se tornou co-produtora e consultora técnica de Scandal. E sempre que Shonda precisa de ajuda pra criar um episódio, ela dá uma ligada pra sua amiga Judy. Como não pode falhar com o contrato de confidencialidade, Judy sugere casos parecidos com os que resolveu, sempre mudando algo aqui e ali, pra não expor ninguém.

6 - A Equipe

A Oliva Pope & Associates surgiu da forma mais incomum possível. Durante a primeira corrida presidencial de Fitzgerald Grant III, ou Fitz, para os íntimos, Olivia precisava de tudo o que podia usar contra Samuel Reston, o oponente de Fitz, e então chamou Abby, que apanhava do marido e foi salva por Olivia; Harrison, que estava preso e foi salvo por Olivia; e Huck, que era um sem teto fedorento e que também foi salvo por ela. Como eles se saíram muito bem, Olivia criou a que mais tarde seria chamada de OPA. Havia Stephen, que ficou apenas durante a primeira temporada, e era o confidente e amigo de Olivia. Mais tarde, Quinn seria recrutada e, assim como seus colegas, também foi salva por Olivia.

Cada personagem ali tem uma característica peculiar. Harrison tem uma lábia ótima, Huck é um puta de um hacker (é o máximo que posso dizer, pra você que não viu), Abby é muito boa em fazer o perfil dos clientes, Quinn é uma incógnita, mas acaba fazendo um pouco de tudo, Stephen tem seu charme, e Marcus não tem papas na língua.

Uma das coisas que mais me impressiona na série é a evolução absurda de cada personagem da OPA. É gritante a diferença, como cada um ali se tornou adulto no tempo certo, sem exageros, sem grandes viradas, mas de forma natural e realista. Eu vejo os primeiros episódios e os últimos e fico de cara com o modo como cada um deles mudou, seja na forma de andar, de se vestir, de falar, de pensar... É incrível ver que a série acompanha tanto assim a vida real, e cria personagens com os quais você consegue se conectar, que possibilitam você a pensar: "Uau, posso me tornar uma Abby um dia.", ou uma Quinn, ou Harrison, Marcus, que seja. Ah, Marcus aparece na quarta temporada e depois entra pro time na quinta temporada, e foi um ótimo adicional para a equipe.

7 - A Protagonista

Olivia Pope é foda. Ponto. Kerry Washington coloca toda sua alma ao viver a gerente de crises e "fixer", e nota-se isso de primeira. Olivia aparece e você esquece de respirar, seus olhos não conseguem olhar para nada além da tela, porque você quer ouvir cada palavra que ela quer dizer, ver o que ela vai fazer pra livrar um cliente, ou como ela vai sair de determinada situação. 

É interessante a jogada de Olivia ser poderosa, todos tremerem ao ouvir o nome dela, e ela também ser humana e, como humana, ela pode cometer erros, o que nos torna mais próximos dela, você consegue desenvolver empatia por ela, e isso é algo que prende a gente, você ver uma protagonista maravilhosa, poderosa, independente, e conseguir se identificar com ela por ela ter qualidades e defeitos que você também tem.
___

Gente, Scandal é uma série que deve ser vista, sabe? É o tipo de série que você assiste em um mês (considerando horas de sono e tal), porque você não consegue parar. Exibida pela ABC nos Estados Unidos e no Canal Sony aqui no Brasil, a série está na quinta temporada, e a sexta estreia em janeiro, ainda sem data oficial. 

Todas as temporadas estão na Netflix, a primeira só tem sete episódios, então em dois dias, NO MÁXIMO, você mata essa temporada! Então, corre pro computador, celular, televisão, que seja, e dá play no primeiro episódio. 

Ah, e por que eu disse pra pegar vinho e pipoca? Bem, você só vai saber se assistir Scandal.

Leandro Faria  
Glauco Damasceno, do interior do RJ, aparece por aqui toda terça-feira, munido de sarcasmo, mau humor, ironia, café, vinho e cerveja, afinal, ninguém é de ferro. Gosta de passeios na praia e de assistir o pôr-do-sol, enquanto espera Olivia Pope aparecer e recrutá-lo para ser um Gladiador de Terno. Fala umas coisas bonitinhas de vez em quando, mas só de vez em quando!
FacebookTwitter


2 comentários:

Denise Barbosa disse...

Oii! eu comecei a assistir pois sou muito fã da Shonda Rhimes ( essa mulher e muito foda) eu tinha assistido greys, e logo depois comecei a ver scandal, mais confesso que não entendi muito bem, assistir acho que uns 4 episodio e como eu não tava entendendo nada fui ver htgawm que me chamou mais atenção, mas vou tenta ver de novo do começo scandal kkk.
http://blogdenisebarbosa.blogspot.com.br/

romanofeed disse...

Eu simplismente adoro series com investigação, foi assim com "The Mentalis"e "Hannibal", ai cai de paraquedas em "Drop Dead Diva" e o mundo dos tribunais me viciou, depois veio a primeira temporada de "How To Get Away With Murder" e por ultimo, não menos importante "Scandal", a série realmente é foda, a unica coisa que me deixou puto foi esse "triangulo amoroso' ente a Olivia, Fitz e Jake... Puta que pariu, oh mulher que não sabe o que quer!!!