terça-feira, 8 de novembro de 2016

Cueca Velha: Você Joga Fora?





Chegou aquela época do ano que faço uma limpa nas roupas do meu guarda-roupa e acabo doando algumas peças. É claro que ainda é preciso vencer o apego emocional que uma roupa ou outra exercem comigo. Mas, no geral, consigo sempre separar algumas peças. Só que até a noite de ontem nunca tinha parado para pensar em um item que só compro, mas acabo não me livrando: cuecas. 

É meio estranho pensar em separar cueca para doação. Se eu não quero mais aquela peça porque já está bem velhinha e foi bastante usada, por que separaria para outra pessoa? Só porque ela aceita roupas usadas isso não significa que isso se estende ou deve se estender para peças íntimas. Estamos falando de cueca. Mesmo lavando e usando o melhor sabão em pó do mundo ou amaciante, continua sendo uma cueca usada por outra pessoa.

Tenho receio que minha linha de pensamento esteja soando um pouco esnobe. Mas encaro as minhas cuecas como a minha escova de dentes. Não empresto para outra pessoa. Minha escova de dentes é só minha e dos meus dentes. Mas isso não me impede de trocá-la periodicamente. Não vou dizer que faço essa troca de três em três meses, mas ela acontece. Só que, ao mesmo tempo que comparo o uso desses dois objetos, não posso dizer que sofro quando decido aposentar uma escova de dentes e jogo a antiga no lixo. Mas com a cueca… Está sendo um pouco diferente. 

Se de um lado doar não me parece certo, por outro também acho meio que absurdo jogar fora, no lixo comum, essa peça de roupa. Para vocês terem só o tamanho do meu embate com o assunto, fiquei mais de uma hora vasculhando o Google em busca de uma resposta. Li inúmeros textos sobre doação de roupas. Sobre separar o que não se usa mais… Só que quando o assunto esbarra na roupa intima, não existe unanimidade. Algumas mulheres, nos textos que li, relataram que jogam fora mesmo. Já nos comentários encontrei de tudo! Gente dizendo que rasga primeiro e joga no lixo depois. Outra assumindo que prefere queimar e só assim se desfazer do antigo sutiã ou calcinha. Tem quem coloque em um saco plástico separado e só depois joga no lixo comum e tem quem jogue no lixo do próprio banheiro e tchau. Ah! Existe ainda quem coleciona roupa intima que não usa mais. É uma peculiaridade, mas não achei das mais estranhas. Melhor que jogar fora, acho. 

Ao mesmo tempo que pretendo, a longo prazo, ser alguém que tem menos apego material, não sei como “me livrar” desse em particular. Segundo minha mãe, o problema está em mim. Eu é que coloquei apego demais. É só me desfazer no lixo e pronto. Concordo com ela nisso, eu é que estou problematizando essa questão. Mas é que acho estranho pensar que o lixo é uma única saída para o pedaço de pano que me acompanhou em diversos momentos. Do constrangedor ao mais triunfante… “if you know what i mean”

Cheguei até a pesquisar se não existe algum local de coleta dessa material. Vai que em algum lugar eles “reciclem” os tecidos ou o material usado na confecção de cuecas, calcinhas e sutiãs e fazem algo novo e útil? Essa era minha esperança, mas acabou que não encontrei nada do tipo. 

E você, querido leitor? Vai, me diz o que você faz quando decide se livrar da sua antiga cueca, calcinha, sutiã ou roupa intima… Por enquanto, eu continuo olhando para elas na gaveta, só não sei por quanto tempo…

E como o assunto rendeu, tem vídeo no meu canal sobre o assunto, que compartilho abaixo:


Leandro Faria  
Silvestre Mendes, o nosso colunista de quinta-feira no Barba Feita, é carioca e formado em Gestão de Produção em Rádio e TV, além de ser, assumidamente, um ex-romântico. Ou, simplesmente, um novo consciente de que um lance é um lance e de que romance é romance.
FacebookTwitter


3 comentários:

Homem, Homossexual e Pai disse...

Eu sou do time que coloca num saco separado - devidamente limpas - e coloca para a reciclagem... sei que os tecidos são reciclados e podem ser usados em forro de carpete, estrutura de bancos de carro e etc... mas eu já joguei varias no lixo do banheiro...
eu tenho uma mania... quando vou viajar, especialmente quando sei que vou comprar roupas na viagem, levo as mais velhas, as que vou me descartar, e vou descartando ao longo do caminho... na ultima viagem comprei cuecas no japão, na australia... e fui deixando minhas velhinhas pelo caminho!
muito divertido este seu post! mesmo!

Silvestre Mendes disse...

Sério? Mas você sabe um lugar que faça esse tipo de "coleta" de tecidos para reciclagem? Porque me sentiria "menos pior" se soubesse que esse foi o destino das minhas cuecas rs

Fico feliz que tenha gostado e se divertido com esse texto rs

Enilton Figueredo Costa disse...

O drama dos apegados, confesso que também sou apegado às minhas cuecas, não tanto como sou com as blusas M que eu ainda tenho esperanças de usar.
Mas uso muito as cuecas e como bom libriano separo as mais velhinhas para uso nos dias de ir para o trabalho, tem as de ir pra faculdade, as da balada e as de encontro. As cuecas que acabam perdendo a firmeza eu ponho numa sacolinha junto com as doações. Talvez quem esteja recebendo esteja precisando também ou se não estiver que façam o descarte por la, não vejo motivos para não doar cuecas e meias usadas.