segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

TOP 5: Livros Para Furar Sua Fila de Leitura





Eu acredito que todo mundo tenha a sua lista de livros para serem lidos. E, se vocês forem iguais a mim, devem ter o mesmo problema que eu: essa lista só cresce, enquanto o seu ritmo de leitura não consegue acompanhar o aumento de suas novas e futuras aquisições literárias.

Por isso, organizar-se é preciso. Eu tenho a minha listinha de livros a serem lidos, um verdadeiro cronograma que, normalmente, procuro cumprir. Entretanto, mesmo com essa lista bastante organizada, existem livros (e autores) que acabam ficando acima dela e ganhando a vez mais rapidamente, fazendo algo que toda pessoa educada não deve fazer na sua vida real e cotidiana: furar a fila.

E, como eu sou um cara legal e que gosta de dividir coisas boas com vocês, o TOP 5 do dia é daqueles que só te fará bem. E sim, ignore a sua lista de leitura e pode furar a fila com esses cinco livros. Te garanto, você não vai se arrepender!

Vamos ver quem merece passar na frente e ganhar a sua atenção? Segue a lista!

Jantar Secreto (Raphael Montes)

Raphael Montes é o cara. O jovem autor sensação carioca tem uma mente assustadora, capaz de criar enredos maravilhosos, repletos de suspense e personagens fascinantes. 

Em seu novo livro, Jantar Secreto, Raphael nos leva por uma história envolvente, onde acompanhamos quatro amigos do Paraná que se mudam para o Rio de Janeiro para fazer faculdade mas que, por um revés do destino, se vêem envolvidos em uma trama que envolve canibalismo, assassinatos, muito sangue e excelentes refeições gourmet. Tudo isso narrado de maneira viciante, para que você não consiga largar o livro antes do saber o desfecho daquela história e já fique ansioso para o próximo trabalho do autor.

Aliás, fica a dica: qualquer livro do Raphael Montes merece furar a sua fila de leitura e ser conferido imediatamente. Aproveita que ele só tem outros três livros lançados além desse Jantar Secreto, a saber: Suicidas (fenomenal), O Vilarejo e Dias Perfeitos (que alçou Raphael à fama). Devorem!

Os Três (Sarah Lotz)

Imaginem que em um determinado dia, quatro aviões caiam dos céus, em quatro lugares diferentes do mundo, matando quase todos os seus passageiros, restando apenas um sobrevivente em cada uma dessas tragédias. O detalhe? Os sobreviventes são, em todos os casos, uma criança. Com os acidentes, uma série de acontecimentos também tomam conta do globo, com as pessoas desconfiadas e sem entender o que se passa.

É assim que Sarah Lotz prende nossa atenção, da primeira à última página, com uma narrativa em tom documental, em Os Três, um romance maravilhoso, que fala sobre vida, morte, religião e, claro, sobre degradação humana. Livro maravilhoso e que indico a todo mundo que aprecia uma boa leitura de terror/suspense.

O melhor? Existe uma "continuação" dessa história, chamada O Quarto Dia, que nos dá uma nova perspectiva dos acontecimentos narrados em Os Três. Seja prático, fure logo a fila e coloque os dois livros em sua lista de prioridades de leitura.

Todo Dia (David Levithan)

 Eu sou um fã confesso de David Levithan e já fiz uma coluna inteira falando sobre ele aqui (não leu? Deveria! Basta clicar aqui!). O autor americano tem uma mão única para escrever suas histórias, trabalhando com nossas emoções, em tramas simples e marcantes. E, para recomendá-lo para furar suas filas literárias, não poderia citar outro, senão o primeiro livro do autor que li: Todo Dia.

Contando uma história fantástica, acompanhamos em Todo Dia as aventuras de A., um ser incorpóreo que acorda a cada dia em um corpo diferente, por um motivo que ele desconhece. Até que ele conhece Rhiannon, a namorada de seu hospedeiro do dia, e se apaixona por ela.

Todo Dia é maravilhoso e um ótimo cartão de apresentação para David Levithan que, para mim, é um autor obrigatório.

Doce Gabito (Francisco Azevedo)

Conheci a escrita poética de Francisco Azevedo quando li O Arroz de Palma, seu livro de estreia. E, apaixonado pela forma como ele contou aquela história (cujos direitos foram comprados pela Globo, que fará uma novela baseada na obra), aguardei ansioso seu segundo livro, Doce Gabito.

De forma terna, Chico Azevedo nos leva aqui por um passeio pela história do Rio de Janeiro e de sua protagonista, Gabriela Garcia Marques, uma quase homônima do famoso escritor, que tem com essa entidade uma relação de proximidade.

Livro delicioso e imperdível. Se não leu, coloque na sua lista junto com O Arroz de Palma e não tenha dúvida: pode furar a fila e colocá-los na frente dos demais.

Caixa de Pássaros (Josh Malerman)

 Eu adoro distopias e histórias de terror. E Caixa dos Pássaros, de Josh Malerman, foi uma surpresa incrível e que me conquistou desde as primeiras páginas de sua história. Foi indicação do Silvestre Mendes, nosso colunista das quintas-feiras, e eu nunca me decepciono com o que ele me manda ler.

Imagine que, do nada, as pessoas passem a enlouquecer e a se matar (e a matar outras pessoas) quando se deparam com seres que eles não conhecem e entendem. Seres interplanetários, espirituais? O livro não se preocupa em nos explicar os motivos do que acontece, mas sim em nos apresentar o drama de Malorie, uma mulher que engravida no início dessa crise e que vive durante mais de quatro anos tentando proteger a si mesma e a seus filhos nesse mundo onde abrir os olhos e ver pode ser fatal.

Imperdível é pouco para falar de Caixa de Pássaros. Leia e confira!
___
Outra coisa legal dos livros acima é que eles são apostas certeiras para presentear alguém. Fim de ano taí, amigo oculto, boas dicas literárias.

Obrigado, de nada e até a próxima semana!

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: