quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Amigo, Se Joga Em 2017





Cambada, é o seguinte: 2017 chegou! Então é hora de parar de colocar a culpa em um ano que já se foi e não pode fazer mais nada por você. O que pode ser feito é mostrar que é possível iniciar mais uma vez e fazer dar certo. Agora é o momento que a gente se joga e vê depois, lá no fim do ano, no que deu. 

Talvez esse texto seja muito mais pessoal do que uma divagação geral. Assumo que preciso viver um pouco de novas aventuras. Ter histórias para contar e para viver. Isso pode até soar poético e até utópico, sei disso. Mas acima de tudo: necessário. Quem não se aventura, nem que seja um pouquinho, morre por dentro. Deixa de ser interessante, acaba virando apenas alguém banal… Que você pergunta as horas no ponto de ônibus ou como chegar em uma determinada rua, quando se sente perdido e sem acesso ao Google Maps. Não queira ser apenas essa pessoa! Não queira! 

A cada dia que passa somos esquecidos um pouco mais, não só pelos outros, mas principalmente por nós mesmo. Focamos na vida alheia. Nos altos e baixos das celebridades, que os sites “especializados” teimam em ditar quem são. Todos os dias nos tornamos figurantes nas vidas dos outros. De pessoas que acabam sendo bem mais interessantes que você. Que eu. 

Ir para o trabalho. Tomar um cafezinho enquanto dá aquela caminhada até o banheiro. Horário de almoço mega corrido… Pode assumir que tudo isso é boring. Quem gosta do cotidiano em modo repeat? Fazer isso todo dia. Semanalmente. Exatamente a mesma coisa. Over and over again! Sem nenhuma novidade no meio, é enlouquecedor. 

Amigo, se joga! Vai ver um filme em uma terça-feira à noite. Sozinho mesmo, tudo bem. Não existe nada de errado em ir ao cinema sozinho. Nunca se sabe quem pode sentar na poltrona ao lado. Ou até mesmo esbarrar com um balde de pipoca no caminho da sala de projeção. Também não quero mentir e criar expectativas, então vou te dizer honestamente: alguém ou ninguém! Mas você só vai saber se sair e apostar pra ver o que acontece. 

Talvez você vá ao cinema e ninguém sente ao seu lado, esbarre em você enquanto carrega o tal balde de pipoca, ou mesmo pergunte as horas. Note, não estou te encorajando sair para encontrar outra pessoa. O foco aqui é totalmente outro. Quero que você saia para encontrar você mesmo!

A vida é muito mais do que ficar ligado em redes sociais, curtidas de fotos ou retuítes de frases de efeito. O que temos como recordações não são só as fotos que colocamos milhões de filtros para que fiquem perfeitas. São os momentos nos quais estamos presentes que se eternizam em nossa memória. Pensa quanta coisa você lembra de quando era criança, pré adolescente ou adolescente mesmo e não precisou ser compartilhando por aí. São as piadas internas com os amigos. Aquela hora que não existe - todo o mundo - além das pessoas que estão com você. Só vocês possuem essa junção de minutos, segundos e hora, que determina o tempo em que passaram juntos, com essa única história vivida e, assim também podemos dizer, compartilhada. E isso, meus queridos, é lindo. 

Que em 2017 eu me torne alguém bem mais aventureiro e que se permite mergulhar nas possibilidades, sem ficar ponderando tanto (libriano detected here). Que em 2017 você se permita viver o que você quiser. Que a gente aprenda muito assim. Seja do jeito que for. E nos vemos no final do ano!

Leandro Faria  
Silvestre Mendes, o nosso colunista de quinta-feira no Barba Feita, é carioca e formado em Gestão de Produção em Rádio e TV, além de ser, assumidamente, um ex-romântico. Ou, simplesmente, um novo consciente de que um lance é um lance e de que romance é romance.
FacebookTwitter


Um comentário:

Nerd Fajuto disse...

Adorei o texto, muito bom