sábado, 28 de janeiro de 2017

Eu Também Tenho Um Canal no Youtube






Meu negócio é escrever. Se tem uma atividade à qual me dedico com gosto na web, é blogar. Como tenho feito há mais de dois anos, aqui no Barba Feita, e há muito mais tempo em outros blogs. Mas agora também posso dizer que sou vlogueiro. Há três meses, completados no último dia 25/01, comecei a pôr a carinha no sol, logo ali no Youtube. O nome do canal: Memória Teledramatúrgica.

O Memória Teledramatúrgica, como o próprio nome já diz, propõe-se a revisitar nossas memórias televisivas e homenagear os profissionais que tornam memoráveis as melhores produções feitas no Brasil, que são nossas novelas, minisséries, seriados e especiais. Do autor que a gente ama, passando pelas trilhas-sonoras que adoramos; dos grandes sucessos aos fracassos retumbantes; das homenagens aos atores que admiramos pelo vilão maléfico e inesquecível ou a heroína lacradora, tudo está lá no nosso canal. Somos dois noveleiros, apaixonados por dramaturgia, num bate-papo descontraído e informativo.

Mas por que resolvi me render a essa pequena fogueira de vaidades que é o Youtube? Bem, eu sempre achei meio bleh essa porção de youtubers pagando de celebridades e servindo de incentivo pra qualquer Zé Mané criar canal. Tirando meia dúzia realmente bons, o resto é só encheção de linguiça. Eu não queria me tornar mais um a entrar na estatística dessa modinha virtual. Sempre que me questionavam por que eu não virava youtuber, respondia que só me daria ao trabalho se de fato tivesse um bom conteúdo pra isso, algo que me motivasse, fosse diferente e do qual falasse apaixonadamente. Cinema, literatura, séries eram assuntos que me empolgavam, mas já havia vários canais sobre. Aí me surgiu uma vontade louca de criar um blog sobre o universo da teledramaturgia, algo que fez parte de tudo que sempre gostei a minha vida toda. Sempre fui noveleiro, sempre amei os artistas e sempre sonhei em trabalhar na área. Faria um site incrível, completo, com muita pesquisa e curiosidades sobre os assuntos abordados. No processo de criação, o Edu (companheiro de apresentação) plantou a sementinha: por que não transformar essa ideia num canal?

Achei a ideia original, pois nunca vi um canal parecido com o Memória Teledramatúrgica na web, se houver, me avisem, pois realmente desconheço. Três meses depois estreávamos, colocando mais um conteúdo no Youtube. Foi no dia 25 de outubro de 2016, recordando a minissérie Queridos Amigos (2008).


Demos o pontapé inicial com a cara e a coragem, sem câmeras profissionais, sem estúdio, sem um editor experiente, confiando apenas num conteúdo inédito e interessante para um tipo específico de pessoas, as noveleiras. Com tantos canais de gamers, tutoriais de maquiagem e gente engraçadinha, um canal como o nosso fazia falta, ao menos pra quem curte o assunto.

Absolutamente sem nenhuma pretensão a não ser a de falar de algo que gostamos e satisfazer os fãs de teledramaturgia, embarcamos nessa empreitada e aí estamos há três meses, procurando trazer sempre temas nostálgicos, divertidos e deleitosos. Mesmo com todo o amadorismo não é fácil manter um canal com o mínimo de qualidade e, embora tecnicamente ele ainda não esteja perfeito como gostaríamos, as pautas sempre nos satisfazem bastante. Ainda estamos aprendendo e corrigindo erros como a duração dos vídeos, que já chegaram a quase 50 minutos. Ninguém tem paciência para assistir um vídeo no Youtube com a duração de um episódio de série, por isso quem nos acompanha já reparou que os vídeos mais recentes caíram pra menos de 20 minutos. São pequenos ajustes necessários para que o resultado final agrade a nós e a quem nos assiste, porque apesar da pouca pretensão, uma calibrada nos inscritos e nas visualizações (ainda ínfima) é sempre muito bem-vinda.

Também estamos testando formatos para que o canal fique cada vez mais bacana e com uma identidade própria, aos três meses de existência ainda temos muito a melhorar, mas a proposta se mantém intacta, um canal de noveleiros para noveleiros, que merece um minutinho da sua atenção (mesmo que você não seja tão noveleiro assim). Por isso hoje, tomei a liberdade de utilizar esse espaço para fazer essa auto-divulgação.  Publicamos vídeos novos todas as terças e, até agora, 14 programas foram ao ar. Além do vídeo de estreia, sobre Queridos Amigos, logo acima, recomendo também os vídeos abaixo:

Musas da Playboy

História de Amor

Lícia Manzo

Espero que tenham curtido a dica e aproveitem o fim de semana para fuçar o Memória Teledramatúrgica. E já sabem, se gostar dá um like e, se não gostar, abafa!

Leandro Faria  
Esdras Bailone, nosso colunista oficial do Barba Feita aos sábados, é leonino, romântico, sonhador, estudante de letras, gaúcho de São Paulo, apaixonado-louco pelas artes e pelas gentes.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: