terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Um Amor Chamado Paula Lima





E aí, minha gente! Como é que ceis tão? Eu tô ótimo, apaixonado por Porto Alegre, por Tatianna, de RuPaul's Drag Race, mas isso é história que conto semana que vem! No texto de hoje eu vou falar sobre essa mulher talentosa que se chama Paula Lima. Conhecem? Não? Então tasca o dedo no play pra curtir esse som deliciosíssimo!


Delícia demais, né não? 

Vinicius me mandou no Spotify esses dias, e como ele sabe o quão aberto eu sou pras dicas que ele me dá (só que não), me avisou da dica, já pedindo pra eu dar uma chance, porque ia gostar. E AMEI! 
Paula, formada em piano e em Direito, cantora e compositora de MPB e Funk, mistura Samba, Funk, Soul e muito suingue em suas músicas.

No terceiro ano do curso de Direito, Paula começou a cantar, e sempre que podia, dava umas escapadelas aqui e ali, pra esquecer das leis e se deixar levar pela Música. Começou participando da banda Unidade Móvel, que mais tarde se chamaria Unidade Bop. Também participou da gravação do CD 23, de Jorge Ben, e fez parte da banda Funk Como Le Gusta, entre 98 e 2000, quando foi convidada a gravar seu primeiro CD solo, intitulado É isso aí, tendo três músicas inéditas de Seu Jorge, que ele mesmo cedeu. O CD teve participação de Ed Motta, Gerson King Combo, e outros nomes de peso. É isso aí fez tanto sucesso, dentro e fora do país (com lançamentos na Europa e no Japão), que Paula recebeu o prêmio de Cantora Revelação do Ano, no Prêmio Multishow. Demais, né?

Daí pra frente foi só alegria. Saiu mais um CD, mais outro, mais outro, e cada um mais gostoso de ouvir que o outro. Por falar em ouvir, vamos dar play em mais uma maravilha? 


É uma leveza de som que eu não sei explicar. Tudo limpo, cada um fazendo a sua parte, sem ninguém sobressaindo, e Paula com sua voz limpa, cantando e encantando. A mistura de estilos musicais torna tudo isso muito incrível, porque músicos brasileiros sabem muito bem como reproduzir outros estilos com maestria, e juntando todos eles com o Samba... Nossa, fica uma obra prima.

Paula também participou do programa Ídolos, no SBT (a versão sem Jennifer Lopez), conciliando com sua participação no musical Cats, que era exibido no Teatro Abril, em São Paulo, e no Vivo Rio, bem, no Rio, sendo essa sua primeira experiência como atriz. Também participou do espetáculo Samba e Suor Brasileiro, e também cantou com Daniela Mercury, Elba Ramalho e Margareth Menezes, no show Mulheres do Brasil Cantam Chico Buarque. Ufa, e isso não é nem metade do trabalho dessa mulher incrivelmente simpática, acessível, de presença poderosa e firme. Com o CD O Samba é do Bem, Paula conquistou uma indicação ao Grammy Latino, se apresentando na Guiana Francesa, na Tunísia, Japão, e vários outros lugares do mundo, sempre humilde, carismática, pé no chão, e cada vez mais talentosa.

Eu poderia ficar horas falando de Paula e seus trabalhos, e como ela é incrível, mas a melhor coisa a se fazer é mostrar, então fiquem com Paula Lima e Seu Jorge cantando Cuidar de Mim.


É isso aí, minha gente. Espero que tenham gostado da dica de hoje, e semana que vem nós nos vemos outra vez! Fui! 
Leandro Faria  
Glauco Damasceno, do interior do RJ, aparece por aqui toda terça-feira, munido de sarcasmo, mau humor, ironia, café, vinho e cerveja, afinal, ninguém é de ferro. Gosta de passeios na praia e de assistir o pôr-do-sol, enquanto espera Olivia Pope aparecer e recrutá-lo para ser um Gladiador de Terno. Fala umas coisas bonitinhas de vez em quando, mas só de vez em quando!
FacebookTwitter


Nenhum comentário: