segunda-feira, 27 de março de 2017

Em Petrópolis, Leandro Diz Ter Sido Confundido com Latino





A internet não tem limites e a gente, é claro, se diverte com o bom humor dos internautas. Afinal, não há crise ou perda de direitos que acabe com a capacidade do brasileiro de zoar qualquer coisa que aconteça. E as redes sociais são um verdadeiro celeiro de bom humor e piadas diversas, com memes que viram sucessos instantâneos, surgindo e desaparecendo com a mesma velocidade. E foi um meme da última semana que acabou me lembrando de um caso real (e trágico, se não fosse cômico) que aconteceu comigo anos atrás.

A manchete "Em Los Angeles, Anitta diz ter sido confundida com Jennifer Lopez.", veiculada por diversos sites, rendeu a brincadeirinha dos últimos dias, onde os bem-humorados anônimos da internet, muitos deles uns queridos do meu Facebook, imaginaram-se na mesma situação da cantora. Alguns deles, inspirados, como os prints abaixo:



Eu, é claro, entrei na brincadeira:



O que eu não contava, entretanto, foi com a memória de elefante do meu amigo Wellington Oliveira, que me lembrou do caso abaixo:



Porque sim, caros amigos e leitores, esse é um fato da vida real. Por isso, senta que lá vem história...

Era 2008. Ou seja, uma vida inteira já se passou desde aquele fatídico dia. Lembro bem que era uma sexta-feira e, morando em Petrópolis, eu só contava os minutos para sair do trabalho e voltar para casa. Foi então que, com fome, tive uma ideia: passar no McDonalds para comprar um milkshake. E foi o que fiz assim que passei em frente à lanchonete,.

Eram duas filas de atendimento e eu me posicionei no fim de uma delas. De mochila nas costas, casaco vermelho com capuz na cabeça, cavanhaque no rosto se misturando com uma barba por fazer (mea culpa, eu já fui MUITO brega nessa vida), eu só queria o meu milkshake. Foi quando reparei em duas garotas na fila ao lado me encarando cheias de risinhos. Eu, com mania de perseguição e morrendo de vergonha na época, só pensei em uma coisa: "Putz, será que estou dando tanta pinta assim?". E, com o fone de ouvido, tentava ignorar as risadinhas, quando uma das meninas chegou até mim e disparou:
-Posso tirar uma foto com você?
E ela pediu isso já me segurando na cintura e olhando para a amiga, que com o celular nas mãos tirava uma foto. Foi quando percebi que o McDonalds inteiro já olhava pra gente e eu, com uma cara de idiota, não entendia nada do que acontecia. Até que uma das meninas, falando para mim, com o olhar brilhando, atraiu a atenção de toda a loja:
- Seu CD novo é tão bom! E você é mais magro pessoalmente, né? A televisão engorda! Eu adorei te ver no Faustão!
Eu, cada vez entendendo menos, só me dei conta da merda total quando ouvi um rapaz falando ao telefone logo atrás de mim na fila:
- É o Latino, vem pra cá! Ele tá aqui no McDonalds!
PQP! Eu já tinha ouvido falar em inconsciente coletivo, mas o que aconteceu em seguida foi surreal. Todo mundo dentro daquele McDonalds da Rua do Imperador no centro de Petrópolis tinha absoluta certeza que eu era o Latino. Tiravam fotos, pediam autógrafo e eu ali, tentando dizer que não era o Latino coisa nenhuma, mas eles apenas riam e falavam que sabiam que eu era, não dando a mínima para o que eu dizia. Uma senhorinha até falou:
- É normal aqui em Petrópolis. O Luciano Huck tava aqui esses dias gravando um quadro do Caldeirão e hoje é você lanchando no McDonalds.
Eu só queria sair dali, daquela muvuca, pegar o meu milkshake e partir pra minha casa onde eu era só eu, não nenhum cantor de hits sobre bundalelê. Quando finalmente cheguei até o caixa e fui pagar o milkshake com o meu cartão, foi a vez da atendente sentenciar:
- Descobri o nome e o sobrenome do Latino. É ele mesmo. Até a inicial do primeiro nome é a mesma de Latino.
Saí de lá correndo e com vergonha. Porque, tipo, eu não tenho NADA a ver com o Latino. Nada a ver MESMO. E todo mundo pra quem eu contei essa história depois que aconteceu apenas riu como se não houvesse amanhã da situação absurda.

Afinal, debochar faz parte. Principalmente se o confundido com o Latino não foi você e sim o seu pobre e inocente amigo.

Então, querida Anitta, eu também poderia ter uma manchete para chamar de minha e até ostentar uma capa no Ego:
Em Petrópolis, Leandro diz ter sido confundido com Latino.
Afinal, cada um é confundido com a celebridade que merece...

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


Um comentário:

Unknown disse...

faltou uma foto da época pra gente ver se vc estava mesmo parecendo o Latino...kkkkk