sexta-feira, 28 de abril de 2017

A Verdade Está Lá Fora - Parte 2





Na semana passada eu falei um pouco daquela brincadeira bacana das 9 verdades e 1 mentira e suas variações que bombaram no Facebook. Muitos acharam uma chata bobagem ou então uma superexposição do ego... Ah, sem mimimis, mas o que são as redes senão uma exposição do id, formado por nossos instintos e desejos inconscientes e buscando sempre o que produz o prazer?

Como disse na coluna anterior, é somente uma modinha... Mas que certamente tornou a rede social de Zuckerberg bem mais humana. Então, vamos à segunda e última parte da brincadeira!

1- Já convenci uma mulher desconhecida na rua para fingir que era minha mãe e ir até à orientadora educacional do colégio depois que fui suspenso por uma semana.

VERDADE. Foi uma brincadeira idiota que me fez ficar suspenso. Eu sempre fui aqueles alunos que queriam organizar greves e reivindicar melhorias. Na época, os meninos (que eram em número menor na turma) tinham que tomar banho depois das aulas de educação física em um local horroroso e insalubre que chamávamos "bat caverna". Enquanto isso, as meninas dividiam os dois banheiros da quadra. A minha ideia (esdrúxula) era provar que elas não tomavam banho e, então, não necessitavam de dois banheiros exclusivos para elas. E o que eu fiz? Organizei uma forma de provar que elas não eram chegadas à água, fotografando o que acontecia dentro do vestiário delas. Óbvio que fomos descobertos e todos os meninos ficaram suspensos por uma semana e só poderiam retornar com os pais ou o responsável legal. 

Não falei nada pra minha mãe. Continuei fingindo todos os dias que ia para o colégio e ficava comendo sonho de creme nas Sendas, zoando no McDonald´s ou então escutando discos na Mesbla. 

Passada uma semana, eu precisava voltar com minha mãe no colégio para que a assistente social e a orientadora explicassem o porquê da suspensão. Foi nesse dia que convenci uma mulher qualquer na rua e a levei até o colégio. A pobre da mulher ficou levando esporro por quase uma hora e ainda era boa atriz... Olhava para a minha cara e ainda dizia "quando a gente chegar em casa a gente vai conversar... ah, vai"...

Depois que nos despedimos ainda fomos comer pastel e caldo de cana numa birosca perto da estação do Méier!

2 - Já passei por uma turbulência em um avião e achei que fosse morrer. Na poltrona de trás estava o ator Rodrigo Santoro, também apavorado.

VERDADE. Foi terrível. Por causa de uma troca de aeronave, me colocaram às pressas para embarcar, na pista mesmo, em um daqueles modelos turbohélices Brasília. Vinha de Navegantes para o Rio e no meio do caminho passamos por uma tempestade. O avião parecia um carrinho de montanha russa e eu já estava rezando para tudo que era santo enquanto o Rodrigo Santoro tentava chamar a aeromoça para entender o que estava acontecendo. A mulher estava amarradinha na cadeirinha dela e sequer olhava pra nossa cara... Foi ali que eu percebi que as coisas não estavam bem.

Num gesto desesperado, eu peguei minha identidade e coloquei dentro do meu tênis. Meu sapato seria encontrado em algum lugar caso o avião caísse. Eu só pensava na manchete do dia seguinte "ator morre em acidente aéreo". E eu? Ninguém falaria. Por isso guardei a identidade para saberem que eu estava lá; afinal, eu era para estar em outro avião.

Quando cheguei ao Rio, são e salvo, beijei o chão que nem o Papa.

3 - Nunca tive coragem de fazer xixi na rua.

VERDADE. Nunca mesmo. Nem apertado em bloco de carnaval, passeata, show ou comício. Sempre achei que, se um dia fizesse isso eu seria preso.

4 - Já namorei duas pessoas ao mesmo tempo, consensualmente.

VERDADE. Já namorei até três pessoas ao mesmo tempo quando era mais adolescente. Adulto, já namorei duas pessoas, com elas sabendo. E vou te falar uma coisa: foi bem legal! hehehe

5- Já fiquei dois anos de castigo sem poder sair, depois que fugi de casa para ver o Queen, no primeiro Rock in Rio, em 1985. 

VERDADE. Levei uma surra bíblica depois que cheguei em casa, todo cheio de lama, com o sol na minha cara. Tinha saído às 11 da manhã do dia anterior dizendo que ia fazer um trabalho do colégio em plenas férias de janeiro. Por causa da mentira, além da surra, fiquei dois anos sem poder sair e, com isso, perdi o show do The Cure, em 1987, no Maracanãzinho, mesmo fazendo um drama a la Meryl Streep. Minha mãe foi categórica: "não e não!". Fiquei doente por causa disso.

6 - Os sonhos da minha vida são conhecer Londres e conseguir fazer a dança do passinho.

VERDADE. Londres sempre está nos meus planos e tenho certeza que um dia vou dar uma circulada naqueles pubs enfumaçados, cruzar a Abbey Road, ir na feirinha da Portobello Road e em Greenwich; além de claro, dar um rolé em Liverpool. Já a dança do passinho também está sempre nas listas de resoluções do ano novo. Não sei dançar nem "atirei-o-pau-no-gato", mas o Dream team do Passinho são meus ídolos.

7 - Já quis ser médico legista. 

VERDADE. Hoje eu acho isso muito estranho, mas quando adolescente, meu sonho era trabalhar num necrotério. Hoje, passo longe.

8 - Já joguei um ovo no cantor Wanderley Cardoso na discoteca das Sendas da Penha e saí correndo depois.

MENTIRA. Pra falar a verdade, é uma "meia-verdade", pois eu presenciei o fato, mas não fui eu quem lascou o ovo no cantor da jovem-guarda. Aliás, essa discoteca dos supermercados Sendas era o maior barato. Havia uma grande variedade de LP´s e cantores sempre iam fazer tardes de autógrafos e pocket-shows por lá. Era meio brega, mas bem divertido. 

9 - Já entrei em uma jaula com tigres e leões. 

VERDADE. Foi em Lujan, na Argentina. Existe uma lenda que dizem que os animais são dopados. Sei não... No dia em que estive lá eles pareceram bem espertinhos. Um dos treinadores que ficam conosco nas jaulas explicou que, durante o cruzamento dos animais (tigres, leões e leopardos), cachorros também esperam seus respectivos filhotes, pois o período de gestação é bem semelhante. Ao nascerem, os animaizinhos são amamentados pelas cachorras, que domam as ferinhas. Então eles crescem e os cães educam a não atacar ninguém. Quem for lá vai ver: sempre há vários cães convivendo pacificamente nas mesmas jaulas em que os gigantes animais recebem os afagos dos turistas.

10 - Já cantei uma música com os Titãs que eles mesmos não sabiam a letra de cor. 

VERDADE. Eles estavam fazendo um show de lançamento do álbum Titanomaquia, em 1993, e o Paulo Miklos chegava a escrever uma cola para cantar Disneylândia, uma letra gigantesca. Ele anunciou a nova canção e previamente se desculpou se caso errasse a letra. Eu, na fila do gargarejo berrei a plenos pulmões que era a melhor música do disco e ele duvidou que eu a soubesse inteira. Ele propôs o desafio e eu aceitei: subi no palco e mandei ver. Foi uma das coisas mais legais que já fiz. De lá pra cá nunca mais perdi um show dos caras e sempre fico ali na frente agitando e sempre descolo umas palhetas! 

Ainda está rolando a brincadeira na rede. Não deixe de fazer a sua listinha. A incredulidade dos amigos e as respostas sempre são bem divertidas!

Leandro Faria  
Marcos Araújo é formado em Cinema, especialista em Gestão Estratégica de Comunicação e Mestre em Ciências em Saúde. Nas horas vagas é vocalista da banda de rock Soft & Mirabels, um dos membros da Confraria dos Bibliófilos do Brasil, colunista do Papo de Samba e um dos criadores do grupo carnavalesco Me Beija Félix. E também o colunista das sextas-feiras aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: