segunda-feira, 19 de junho de 2017

O Círculo: Emma Watson e Tom Hanks Em Uma Discussão Necessária Sobre a Privacidade





Estamos todos conectados. As redes sociais há muito são uma realidade em nossas vidas e é comum fazermos comentários no Twitter, atualizar nossos feeds do Facebook e postar fotos no Instagram. Nossas vidas virtuais se confundem um pouco com a realidade e, na maioria das vezes, aparentar ser feliz na rede é mais importante do que na vida real. O Círculo, novo filme estrelado por Emma Watson e Tom Hanks pega carona em nossa virtualidade para nos levar a uma reflexão interessante e necessária.

Dirigido pelo não muito conhecido James Ponsoldt, O Círculo é baseado no best seller de Dave Eggers e nos leva para conhecer a vida de Mae Holland, uma jovem recém-formada, que exerce um trabalho burocrático enquanto mora com os pais. Até que um dia recebe uma ligação de um amiga que a indica para uma entrevista n'O Círculo, a maior empresa do mundo, uma espécie de Facebook ainda mais poderoso. Quando lançado, o TrueYou, a rede social da empresa, uniu todas as contas de seus usuários, apresentando um único sistema, que acabou caindo na graça do público e transformando a empresa em um sucesso.

Agora, Mae se vê em um mundo novo, com toda a modernidade ao seu lado. Enquanto isso, lida com a esclerose múltipla do pai, que definha devido à doença, e com a desconfiança de um amigo de infância, que prefere a privacidade à superexposição das redes sociais. E, é claro, as coisas acabam tomando uma proporção muito grande quando o desejo d'O Círculo de saber tudo sobre todos, acaba se tornando um perigo real e Mae se vê envolvida no meio de toda essa confusão.

Emma Watson vive aqui mais uma vez uma menina inocente e que acaba se descobrindo mais forte do que poderia imaginar com o decorrer do filme. A atriz apresenta um trabalho bastante digno, fazendo de Mae alguém com quem nos importamos e somos empáticos. Mae está descobrindo um mundo novo de possibilidades e se encanta com tudo aquilo. Até que vem a hora de tomar uma decisão e é essa virada que a atriz apresenta de maneira excelente com seu trabalho.

Já Tom Hanks parece no piloto automático. Se bem que, verdade seja dita, como Eamon Bailey, um dos donos da empresa que dá nome ao filme, Hanks não tem muita oportunidade de brilhar. Exceto por uma excelente cena final, quando ele arranca verdadeiras gargalhadas do público, o ator está apenas ok em seu trabalho.

Mais que uma história interessante, O Círculo é certeiro ao trazer à tona a discussão do que é privacidade na época em que vivemos. Será que o slogan da empresa ("Saber é bom. Saber tudo é muito melhor.") realmente é uma verdade e estamos todos interessados em saber tudo de todo mundo o tempo todo? Não seria a nossa exposição irrefletida nas redes sociais um sintoma maior de que há algo muito errado com a nossa sociedade? São retóricas que surgiram em minha mente enquanto eu assistia ao filme e que divido com vocês.

Assim, O Círculo, que estreia nessa quinta, dia 22 de junho em todo o Brasil, é um filme imperdível. Tanto como entretenimento como para inspirar uma reflexão.

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


Nenhum comentário: