sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Ano Que Vem, Madonna Faz 60




Daqui a um ano, Madonna vai fazer 60 anos.  Essa semana ela fez 59, mas sempre acho que essas datas quebradas não são motivo de tanta comemoração.  Afinal, só quem é muito festeiro celebra aniversário de 59 anos, a não ser que se festeje antecipado ou então, realize uma espécie de contagem regressiva para os 60. 

Provavelmente, vindo de Madonna e dos fãs dela, que lotaram as timelines fazendo homenagens à cantora nessa semana, tudo pode ser uma grande jogada de marketing.  Comemoremos 59 anos já fazendo uma grande festa para 2018, com o sexagenário da rainha do pop!  Sim... Ou você ainda duvida que Madonna é ainda a rainha do pop?  Se pararmos para pensar, Michael Jackson, Prince e George Michael, os astros que dividiam o reinado com ela, já partiram dessa.  Madonna é a única estrela pop que sobreviveu aos anos oitenta, noventa e dois mil ainda sentada no trono.  Ah, mas também tem outras cantoras famosas como Lady Gaga, Britney Spears, Shakira,  Beyoncé, Avril Lavigne, Kate Perry, Christina Aguilera, Taylor Swift que beberam da fonte de Madonna.  Mas espera aí, quem realmente conseguiu destronar Madonna Louise Veronica Ciccone?

Desde que se mudou para Nova Iorque na segunda metade dos anos 1970, com 18 anos e somente 35 dólares no bolso, Madonna já estava planejando sua trajetória, mesmo trabalhando como atendente no Dunkin´ Donuts.  As estratégias de marketing sempre saíram da cabecinha dela.  Lembro muito bem que seu primeiro single, Everybody, não tinha seu rosto.  A arte da capa do disco era uma colagem de pessoas circulando pelas ruas de NY.  Diz a lenda que Madonna queria confundir as pessoas, para que pensassem que era uma nova cantora negra reinventando a disco music.  A estratégia deu certo.  Tanto que chegou ao terceiro lugar das paradas.  Um efeito sensacional para uma estreia.

Madonna, influenciada por David Bowie, lançou e continua ditando as regras na moda (quem não se lembra daquela onda dos crucifixos, correntes e pulseiras coloridas nos anos oitenta?), foi vadia, virgem, puta, santa, loira, morena, ruiva, homem, gay, bi, provocante, política, sarcástica, irônica e icônica.

Infelizmente, a galerinha mais jovem (ou os millennials), nunca saberão a importância que Madonna teve (e ainda tem) para a música, moda, comportamento, liberação sexual e muito mais, assim como também não tem noção de quem foi Bowie, por exemplo.  Para eles, Madonna sempre vai ser aquela tia velha esquisitona que não tem senso de ridículo ao ficar fazendo coreografias com uma roupinha apertando sua pele enrugada.

Madonna, a véia safada, fez 59 anos.  E daqui a um ano, podem ter certeza, ela vai fazer uma festança e botar pra quebrar.  Quem viver, verá. 

Leia Também:
Leandro Faria  
Marcos Araújo é formado em Cinema, especialista em Gestão Estratégica de Comunicação e Mestre em Ciências em Saúde. Nas horas vagas é vocalista da banda de rock Soft & Mirabels, um dos membros da Confraria dos Bibliófilos do Brasil, colunista do Papo de Samba e um dos criadores do grupo carnavalesco Me Beija Félix. E também o colunista das sextas-feiras aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


3 comentários:

Cleber Eldridge disse...

Madonna sempre a maravilhosa, sempre cheia de talento e atenta a política, espero que ainda nos entregue muita musica boa.


zoionarola.blogspot.com.br

Marcia Marino disse...

Madonna...um mito! Luv u❤️

Marcia Pereira disse...

Querida...lacra sempre!