segunda-feira, 13 de novembro de 2017

O Lugar Bom





Eu ainda não tinha conferido The Good Place e, sinceramente, nem pensava em ver a série. Eu não sou lá muito fã de comédias e, com tantas opções chegando todos os dias, eu não pretendia incluir mais uma série em minha já grande lista de produções que acompanho. Mas, alguns amigos cujo gosto eu normalmente respeito me indicaram e eu pensei: ok, não custa ver o primeiro episódio, né? O que, é claro, não se resumiu a isso, já que esse texto não existiria se eu não tivesse devorado a primeira temporada inteira disponível na Netflix em pouquíssimo tempo e não estivesse acompanhando a segunda temporada semanalmente no serviço de streaming

Mas, preciso confessar que o principal atrativo para eu conferir The Good Place atende por nome e sobrenome: Kristen Bell. A atriz, que vive Eleanor, a protagonista da história, mora em meu coração desde que me apaixonei por seu trabalho em Veronica Mars. E aqui, vivendo uma personagem completamente diferente, ela arrasa.

A série começa imediatamente após a morte de Eleanor, com ela sendo recepcionada no The Good Place. Tudo que sempre aprendemos sobre Deus, diabo, céu e inferno não é exatamente como nos ensinaram, mas existe sim um Lugar Bom e um Lugar Ruim. E você é direcionado para cada um desses lugares de acordo com a sua pontuação total em vida. É uma ideia genial e um método sem falhas. Teoricamente. Porque Eleanor logo se dá conta de que não, ela não deveria estar no The Good Place. Mas, uma vez lá, ela faz de tudo para permanecer e, por isso, causa uma instabilidade na perfeição do lugar.

Divertida, com ótimas piadas e episódios rápidos (22 minutos cada um), The Good Place é viciante. Com apenas 13 episódios em sua primeira temporada, é daquelas que você devora tudo, um atrás do outro. Com o plus da season finale ter uma sacada GENIAL que nos deixa ansiosos para o segundo ano que mantém o nível da série, ampliando as possibilidades. É realmente imperdível.

E, assistindo a série, uma questão é naturalmente levantada pelos telespectadores: para onde eu iria depois da minha morte, para o The Good ou para o The Bad Place? Pois, antes de eu assistir a série, um argumento que meus amigos usaram foi o seguinte: "você PRECISA assistir a The Good Place, porque você é muito parecido com a Eleanor, a protagonista"

Sentiram como estou bem de amigos? Também amo vocês, guys. Que, tenho certeza, estarão juntinhos comigo no The Bad Place. Não é não? ;-)

Leia Também:
Leandro Faria  
Leandro Faria:, do Rio de Janeiro, 30 e poucos anos, viciado em cultura pop em geral. Gosta de um bom papo, fala pelos cotovelos e está sempre disposto a rever seus conceitos, se for apresentado a bons argumentos. Odeia segunda-feira, mas adora o fato de ser o colunista desse dia da semana aqui no Barba Feita.
FacebookTwitter


Um comentário:

NovoTauro disse...

Uma das melhores séries de comédia que assisti até hj...